Filmes por gênero

RAIZES DA PAIXÃO (1948)

Tap roots
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Minha terra, meu sangue (Portugal)
Le sang de la terre (França)
Raíces de pasión (Espanha)
La quercia dei giganti (Itália)
Das Tal der Leidenschaften (Alemanha, Austria)
De stredo för sin rätt (Suécia)
Omstreden aarde (Holanda)
Den fagre jord (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Melodrama, Guerra Civil
Direção: George Marshall
Roteiro: Alan Le May
Produção: Walter Wanger
Design Produção: Alexander Golitzen
Música Original: Frank Skinner
Fotografia: Winton C. Hoch, Lionel Lindon
Edição: Milton Carruth
Direção de Arte: Frank A. Richards
Figurino: Yvonne Wood
Maquiagem: Bud Westmore
Efeitos Sonoros: Glenn E. Anderson, Leslie I. Carey
Nota: 8.1
Filme Assistido em: 1951

Elenco

Van Heflin Keith Alexander
Susan Hayward Morna Dabney
Boris Karloff Tishomingo
Julie London Aven Dabney
Whitfield Connor Clay McIvor
Ward Bond Hoab Dabney
Richard Long Bruce Dabney
Sondra Rodgers Shellie Dabney
Russell Simpson Sam Dabney
Griff Barnett Dr. McIntosh
Arthur Shields Reverendo Kirkland
Jonathan Hale General Johnston
Ruby Dandridge Dabby
George Hamilton Quint
Gregg Barton Capitão
Bill Neff Tenente
Keith Richards Tenente
William Challee Sargento
Elmo Lincoln Sargento
Charles Flynn Murphy

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1860, Sam Dabney, fundador da fazenda Dabney em Levington, Mississippi, insta sua neta Morna a se casar com seu namorado, o oficial militar Clay McIvor, antes que ele venha a morrer. Morna começa a notar que a urgência de seu avô tem a ver com o fato de sua irmã mais nova, Aven, também se mostrar interessada em Clay. Este, no entanto, acredita que seu casamento deve ser adiado face à iminente deflagração de uma guerra civil.

Acreditando que o Mississippi planeja deixar a União após a eleição de Lincoln, Sam Dabney sofre um colapso e morre. Irritado com um editorial sobre seu avô, Bruce, irmão de Morna, é impedido de desafiar Keith Alexander, editor do “The Mississippi Whig”, para um duelo com Tishomingo, um amigo índio de seu avô.

Após a eleição de Lincoln, Clay deixa Levington e segue para Washington, recusando os apelos de Morna para se casarem. Tal fato faz com que Keith comece a namorar a jovem. Enquanto isso, o pai dela, Hoab Dabney, faz planos para declarar o vale do Mississipi como uma área neutra e, embora cético, Keith concorda em dar a Hoab o suporte do seu jornal. Algum tempo depois, ao praticar equitação, Morna sofre um acidente e fica paralítica. Keith, tendo se apaixonado por ela, escreve ao seu poderoso pai em Washington para conseguir uma licença de emergência para Clay.

Ao retornar à Levington, o oficial se recusa a acabar seu noivado com Morna, mas inicia um romance com Aven. No entanto, ao iniciar a secessão dos estados do sul, Hoab e seus seguidores declaram Levington neutra, e Clay, um legalista confederado, se vê obrigado a deixar o vale. Ele e Aven fogem, deixando Morna com o coração partido. Por outro lado, embora o Dr. McIntosh declare a incapacidade de Morna irreversível, Tishomingo inicia uma terapia à base de massagens indígenas e, meses mais tarde, ela começa a recuperar os movimentos das pernas. Keith demonstra suas reais intenções para com Morna, mas Hoab o adverte de que a filha ainda se mostra irremediavelmente apaixonada por Clay.

Enquanto isso, usando seu conhecimento da região, Clay inicia os preparativos para um ataque confederado contra Levington, que inclui o bloqueio de linhas de abastecimento do vale para o Golfo do México. Por outro lado, com o início da estação chuvosa, Keith se dirige ao sul com cerca de trezentos homens, na esperança de conseguir novos suprimentos para a região.

Quando Tishomingo e Bruce capturam um dos homens de Clay, eles tomam conhecimento de que um ataque confederado é iminente. Por outro lado, ao tomar conhecimento de que Keith se acha a doze horas de distância, Morna vai até o acampamento do exército confederado para se encontrar com Clay. No entanto, ao tomar conhecimento dos planos da jovem, Tishomingo cavalga à frente para impedi-la, mas é baleado e morto por um soldado confederado.

Morna, então, seduz Clay, atrasando o tempo suficiente para que os homens de Keith retornem à Levington. Na manhã seguinte, ela conta para ele os motivos que a levaram a seduzi-lo, mas ele, por sua vez, informa-lhe que usou o tempo para avançar seus canhões, já que, com sua chegada, um ataque surpresa seria impossível. Ao começar o ataque confederado, Keith ordena que seus homens se refugiem nos pântanos contra o fogo inimigo. Os defensores de Levington são derrotados, mas Keith consegue matar Clay antes do fim da batalha.

Mais tarde, quando Morna retorna para sua família, Hoab a acusa de deslealdade. Keith, no entanto, afirma que suas ações foram heroicas e proclama abertamente o seu amor por ela. Ao perceber sua responsabilidade na destruição da fazenda, Hoab sofre um colapso e morre nos braços de sua esposa, Shellie. Finalmente, Keith diz à Morna que o legado de sua família sobreviverá.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta George Marshall, a partir de um roteiro escrito por Alan Le May, “Raizes da Paixão” é um bom filme produzido por Walter Wanger Productions e pela Universal International Pictures em 1948. Sua trama, baseada num livro de James H. Street, lembra um pouco aquela do inesquecível “E o Vento Levou”, de 1939, por mim considerado o 4º melhor filme de todos os tempos.

A direção de Marshall se mostra apenas razoável, embora consiga manter um bom ritmo, principalmente nos seus últimos vinte minutos. Ainda na área técnica, merece ser citada a boa fotografia a cargo de Winton C. Hoch e Lionel Lindon.

No elenco, o maior destaque é Boris Karloff, que nos brinda com uma ótima atuação, seguido pelos atores Van Heflin e Susan Hayward.

CAA