Filmes por gênero

BUFFALO BILL (1944)

Buffalo Bill
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Aventuras de Buffalo Bill (Portugal)
Las aventuras de Buffalo Bill (Espanha)
Buffalo Bill, der weiße indianer (Alemanha)
I epistrofi tou Buffalo Bill (Grécia)
Баффало Билл (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Biográfico, Faroeste
Direção: William A. Wellman
Roteiro: Clements Ripley, Cecile Kramer, Æneas MacKenzie
Produção: Darryl F. Zanuck, Harry Sherman
Música Original: David Buttolph
Direção Musical: Emil Newman
Fotografia: Leon Shamroy
Edição: James B. Clark
Direção de Arte: James Basevi, Lewis H. Creber
Figurino: René Hubert
Guarda-Roupa: Sam Benson
Maquiagem: Guy Pearce
Efeitos Sonoros: Roger Heman Sr., Alfred Bruzlin
Efeitos Especiais: Fred Sersen
Nota: 7.9
Filme Assistido em: 1947

Elenco

Joel McCrea William Frederick 'Buffalo Bill' Cody
Maureen O'Hara Louisa Frederici Cody
Linda Darnell Estrela do Amanhecer
Thomas Mitchell Ned Buntline
Edgar Buchanan Sgt. Chips McGraw
Anthony Quinn Chefe Mão Amarela
Moroni Olsen Senador Frederici
Frank Fenton Murdo Carvell
Matt Briggs General Blazier
George Lessey Sr. Schyler Vandervere
Frank Orth Sherman
Chief Many Treaties Chefe Touro Alto
Chief Thundercloud Chefe Crazy Horse
Fred Graham Editor
Edwin Stanley Médico
John Dilson Presidente Rutherford B. Hayes
Evelyn Beresford Rainha Victoria
Sidney Blackmer Theodore Roosevelt
Robert Homans Policial
Edward Biby Sargento
Kermit Maynard Soldado Smith
George Sherwood Repórter

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

 Em 1872, William Frederick Cody, batedor do exército em um remoto posto de fronteira, e amigo de longa data dos índios Cheyennes, acha-se cavalgando quando vê uma diligência sendo atacada por um grupo de índios. Após fazer com que os indígenas fujam, ele se aproxima da diligência onde se acha o sargento da cavalaria, Chips McGraw, que o apresenta ao senador Frederici e à sua filha Louisa, e ao empresário Murdo Carvell. Ao senador, Bill explica que os índios embriagados não constituíam um real perigo.

À noite, Louisa convida Bill para um jantar em sua casa perto do forte, para grande desespero de Estrela do Amanhecer, uma professora cheyenne que se acha apaixonada por ele. O jantar é interrompido por Chips, que trouxe Mão Amarela, filho do cacique cheyenne Touro Alto, para discutir o plano do Sr. Schyler Vandervere que visa construir uma ferrovia através de das terras cheyennes. Apesar da advertência de Mão Amarela de que tal projeto irá causar uma guerra, Vandervere insiste que irá em frente com o mesmo. Ned Buntline, jornalista presente no jantar, fica entusiasmado com a possibilidade de cobrir uma guerra com os índios, mas Bill teme um resultado trágico.

Vandervere inicia a construção da ferrovia e os cheyennes, liderados por Mão Amarela, dão início a uma campanha de destruição. Estrela do Amanhecer, que é irmã de Mão Amarela, envia-lhe uma mensagem dizendo-lhe que se ele fizer o senador Frederici seu refém, terá mais condições de obter a paz. Frederici é capturado, mas Bill negocia sua liberdade e, logo depois, um tratado de paz é assinado. Ned retorna ao Leste depois de falar a Bill sobre suas intenções de escrever sobre ele. Louisa, agora ainda mais apaixonada pelo batedor, o persuade a pedi-la em casamento e os dois se casam.

Dois anos se passam em que Bill e Louisa desfrutam de uma vida tranqüila. Um dia, o senador traz a notícia de que ele e Vandervere abriram uma empresa para negociarem roupas de pele de búfalo, principalmente mantas e casacos. Bill concorda em gerenciar as operações de aquisição de peles, mas fica enojado com a matança de búfalos. No entanto, suas preocupações são temporariamente esquecidas quando Louisa anuncia que se acha grávida. Enquanto isso, Mão Amarela reúne-se com o guerreiro Sioux, Chefe Crazy Horse, e juntos declaram guerra contra o homem branco por estar dizimando sua principal fonte de alimento.

Enquanto os índios atacam no Norte, onde há menos soldados, Louisa entra em trabalho de parto, dando à luz um belo menino a quem Bill dá o nome de Kit Carson Cody. No Forte, ele e Louisa tomam conhecimento de que os Sioux venceram as tropas do general Custer na batalha de Little Big Horn, ocasião em que o general Blazier incita Bill a se alistar no Exército. Louisa, por outro lado, o adverte de que, se ele for para a guerra, ela e o filho irão para o Leste. Compelido a acompanhar o exército, Bill subverte as ordens do general ao liderar a cavalaria para o encontro com as forças de Mão Amarela na batalha de Warbonnet Creek. O chefe cheyenne é morto por Bill em julho de 1876 e, quando chegam os reforços do Exército, os índios são derrotados em uma sangrenta batalha, durante a qual Estrela do Amanhecer é morta.

Embora não seja seu desejo, Bill concorda em ir à Washington a fim de receber a Medalha de Honra do Congresso por suas ações heróicas. Durante a viagem, fica surpreso ao tomar conhecimento de que as publicações de Ned sobre suas façanhas o tornaram uma celebridade. Uma vez na Capital Federal, descobre que seu filho se encontra gravemente doente. Ele corre até a casa de Louisa, mas ao chegar lá verifica que a criança já havia morrido de difteria. Fora de controle, ele acusa a mulher de responsável pela morte do filho ao dizer que, se tivesse permanecido no oeste, a criança não teria sido acometida de tal enfermidade. Em seguida, bate a porta e vai embora.

De luto, ataca Vandervere e outros industriais, acusando-os de perseguirem os índios em proveito próprio. Poderosas forças políticas alinham-se contra Bill e arruínam sua reputação através de calúnias. Sem dinheiro, ele entra numa casa onde há um estande de tiro ao alvo e, usando de sua habilidade, deixa todos os presentes boquiabertos com sua exímia pontaria. O Sr. Sherman, proprietário do estabelecimento, o contrata como parte de seu show. Quando Louisa decide, finalmente, localizá-lo, o encontra nesse trabalho para ela humilhante.

O casal se reconcilia, mas Bill se recusa a voltar para o oeste por achar que não agiu bem com seus amigos índios. Certa tarde, ao ouvir por acaso, Bill dizer a algumas crianças que as crianças indígenas são exatamente como elas, Ned o convence a apresentar um rodeio durante o qual ele e seus amigos índios possam demonstrar suas habilidades. Assim, em 1883, seu show Oeste Selvagem torna-se um sucesso e, com o passar dos anos, Bill viaja por todo o mundo, apresentando-se inclusive em Londres, quando das celebrações do jubileu da Rainha Victoria, em 1887. Anos mais tarde, ao final de mais um de seus shows, ele agradece aos fãs e anuncia que está se aposentando a fim de voltar com a esposa para o Oeste.


imagem

Comentários

Com base numa história escrita por Frank Winch, “Buffalo Bill” é um bom filme produzido pela Twentieth Century Fox em meados dos anos 40. Realizado pelo cineasta William A. Wellman, a trama acompanha sua vida desde 1872, quando Bill era um batedor da cavalaria dos Estados Unidos, até o dia em que se despede de seu show “Oeste Selvagem” para gozar uma aposentadoria ao lado da família.

O desenrolar da trama divide-se basicamente em duas partes: a primeira, que cobre sua vida na época em que era um batedor da cavalaria, caracterizada por seqüências memoráveis, com ênfase para a famosa batalha de Warbonnet Creek, quando ele mata e escalpela seu antigo amigo Mão Amarela; e a segunda, quando ele vai para o leste e se torna mundialmente famoso com seu show Oeste Selvagem.

Na direção, Wellman realiza um ótimo trabalho, no que é ajudado pela fotografia de Leon Shamroy. No elenco, composto por grandes nomes da época, os principais nomes a serem destacados são os de Joel McCrea, no papel-título, e de Anthony Quinn, como o cheyenne Mão Amarela.

CAA