Filmes por gênero

SONHOS (1990)

Yume
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Dreams (USA)
Sogni (Itália)
Rêves (França)
Akira Kurosawa's Träume (Alemanha)
Pais: Japão, Estados Unidos
Gênero: Drama, Fantasia
Direção: Akira Kurosawa
Roteiro: Akira Kurosawa
Produção: Hisao Kurosawa, Mike Inoue
Design Produção: Yoshirô Muraki, Akira Sakuragi
Música Original: Shinichirô Ikebe
Coreografia: Michiyo Hata
Fotografia: Masaharu Ueda, Takao Saitô
Edição: Tome Minami
Direção de Arte: Yoshirô Muraki, Akira Sakuragi
Figurino: Emi Wada
Guarda-Roupa: Kazuko Kurosawa, Yoko Nagano, Mitsuru Otsuka, Akira Fukuda
Maquiagem: Norio Sano, Shoshichiro Ueda, Tameyuki Aimi
Efeitos Sonoros: Kenichi Benitani, Ichirô Minawa, Masatoshi Saito
Efeitos Especiais: Mark Sullivan, Peter Takeuchi
Efeitos Visuais: Ken Ralston, Mark Sullivan, Minoru Nakano e outros
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 2007

Elenco

Akira Terao Eu
Mieko Harada Fada na neve
Chishu Ryu Ancião
Hisashi Igawa Trabalhador de uma Usina Nuclear
Mitsunori Isaki Eu, quando garoto
Mieko Suzuki Irmã de Eu
Martin Scorsese Vincent Van Gogh
Mitsuko Baisho Mãe de Eu
Toshihiko Nakano Eu, quando criancinha
Yoshitaka Zushi Soldado Noguchi
Masayuki Yui Membro do grupo de alpinistas
Sakae Kimura Membro do grupo de alpinistas
Shu Nakajima Membro do grupo de alpinistas

Prêmios

Academia Japonesa de Cinema, Japão

Prêmio de Melhor Trilha Sonora

Indicações

Academia Japonesa de Cinema, Japão

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Akira Kurosawa)

Prêmio de Melhor Direção de Arte

Prêmio de Melhor Iluminação

Prêmio de Melhores Efeitos Sonoros

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Mieko Harada)

Prêmio de Melhor Fotografia (Takao Saitô, Shôji Ueda)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Videoclipes

70 anos de cinema 70 anos de cinema

Sinopse

O filme é dividido em 8 segmentos distintos, cada um representando um sonho.

1º Sonho: "O Brilho do Sol Através da Chuva"

Num dia chuvoso, um garotinho é avisado pela mãe que não pode ir à floresta quando há chuva e sol, pois é a época do acasalamento das raposas, as quais não gostam de ser observadas.  Desobedecendo o conselho recebido, ele segue até a floresta onde, escondido atrás de uma árvore, as observa.  Ao retornar para casa, encontra sua mãe a aguardá-lo no portão.  Esta lhe diz que ele foi visto e que uma raposa zangada esteve lá, deixando um punhal para que ele se mate.  Entretanto, sugere-lhe que as procure e tente conseguir seu perdão, sob pena de não poder mais entrar em sua casa.  Sem opção, ele recebe o punhal e parte à procura das raposas.

2º Sonho: "O Pomar dos Pêssegos"

O irmão mais novo de uma família, ao servir chá para suas irmãs, depara-se na sala ao lado com uma jovem que foge.  Indo ao seu encalço, descobre que ela é uma boneca e nota que os pessegueiros do pomar de sua casa acham-se totalmente cortados.  Os espíritos dos pessegueiros surgem e lhe dizem que não faz mais sentido a presença das bonecas ali, já que elas festejam a florada do pomar, que se acha reduzido a tocos.  O choro do garoto, entretanto, comove os espíritos que, após um ritual de dança, permitem que ele veja mais uma vez florido, o pomar dos pessegueiros.

3º Sonho: "A Nevasca"

Um grupo de homens das montanhas tenta fugir de uma forte nevasca que, há três dias, os impede de chegarem ao seu acampamento.  Cansados, adormecem enquanto os flocos de neve, que não cessam de cair, quase que os deixam totalmente enterrados. Surge, então, uma fada que envolve o líder do grupo com uma echarpe, aquecendo-o.  Quando a bela mulher se retira, a nevasca começa a enfraquecer, enquanto o líder acorda e reanima seus homens para continuarem sua caminhada.

4º Sonho: "O Túnel"

Depois de sair de um campo de concentração, o comandante de um pelotão entra a pé em um túnel, onde é surpreendido por um cão que ladra.  Com cuidado, consegue atravessar o tal túnel em curtos passos.  Na saída, ouve alguém caminhar e se depara com um de seus soldados, morto em combate, que acredita continuar vivo.  O oficial tenta convencê-lo que ele se acha morto e lhe pede que volte a descansar em paz. O soldado retira-se mas, minutos depois, retorna com todo o pelotão que havia sido dizimado.  Mais uma vez, o comandante insiste que todos eles acham-se mortos.  Como ninguém arreda o pé, ele dá ordens para que se alinhem, dêem meia-volta e marchem.  Assim, marchando, o pelotão desaparece no túnel.

5º Sonho: "Corvos"

Durante uma exposição de obras de Van Gogh, um jovem pintor vê-se, de repente, caminhando pelos locais retratados, iniciando essa aventura por Arles, no sul da França, onde se dirige a um grupo de mulheres que lavam roupa ao pé da Ponte de Langlois.  A elas, ele pede informações sobre como chegar ao grande mestre da pintura.  Seguindo as instruções recebidas, continua sua caminhada por extensos campos de trigo até o encontrar.  Por alguns minutos, conversa com Van Gogh, que lhe confessa como a paisagem o impele a pintar freneticamente.

6º Sonho: "Monte Fuji em Vermelho"

No Japão, por trás do Monte Fuji, seis reatores nucleares explodem em série, por falha humana, provocando pânico entre a população.  Nuvens radioativas contendo plutônio 239, estrôncio 90 e césio 137 começam a envolver a todos, cuja maioria prefere se jogar ao mar e morrer por afogamento, a aguardar a lenta morte provocada pela radiação.

7º Sonho: "O Demônio Chorão"

Num mundo pós-hecatombe nuclear, um viajante encontra-se com um ogro, antigo humano que, deformado pela ação da radioatividade, alimenta-se de carne humana, segundo uma hierarquia.  Os que possuem apenas um chifre, são naturalmente comidos pelos que têm 2 ou 3 chifres.  Num planeta que se tornou um lixão para detritos venenosos, estes acham-se condenados a não morrerem, torturados eternamente pelos erros cometidos e que levaram ao quase total extermínio da vida.  Já os de categoria inferior, ao serem comidos, libertam-se desse verdadeiro inferno.

8º Sonho: "A Aldeia dos Moinhos"

O viajante chega a um pequeno lugarejo conhecido, por muitos, como 'A Aldeia dos Moinhos'.  Lá, não há energia elétrica nem urbanização.  Entretanto, a beleza natural acha-se presente por todos os lados.  Um idoso, ao ser por ele indagado, relata que a maioria dos inventos torna as pessoas infelizes e que, para se ter uma vida saudável, o mais importante é contar com ar e água limpos, dois elementos fornecidos por árvores e plantas.

imagem imagem imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo genial cineasta japonês, Akira Kurosawa, "Sonhos" é, sem dúvida, um dos seus mais importantes filmes.  Através da narração de oito sonhos, o que é feito com extrema sensibilidade, ele nos brinda com um verdadeiro poema onde são tratados temas como honra, medo, morte, arte, preservação ambiental, entre outros.

O trabalho de Kurosawa, como sempre, é excelente, o que é realçado pelas belíssimas fotografias de Takao Saitô e Masaharu Ueda, principalmente nos segmentos "O Pomar dos Pêssegos" e "Corvos".  Neste último, o cineasta presta uma bela homenagem ao pintor holandês, Vincent Willem van Gogh, ao fazer com que um jovem pintor penetre nas suas telas e passeie pelos locais por ele retratados, inclusive o famoso "Campo de Trigo com Corvos".

Todos os segmentos carregam uma importante mensagem, terminando com a utópica "Aldeia dos Moinhos", onde o homem viveria feliz em completa harmonia com a natureza.  Nesse segmento, quando o viajante encontra o idoso e lhe indaga a respeito da falta de eletricidade, este sabiamente lhe responde: "Não precisamos dela.  Ademais, eu não ia querer uma noite clara, como o dia, que me impedisse de melhor contemplar as estrelas".

CAA