Filmes por gênero

VELOCIDADE MÁXIMA 2 (1997)

Speed 2 - Cruise Control
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Speed 2: Cap sur le danger (França)
Speed 2: Perigo a bordo (Portugal)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Ação, Suspense
Direção: Jan de Bont
Roteiro: Randall McCormick, Jeff Nathanson
Produção: Jan de Bont, Steve Perry, Michael Peyser
Design Produção: Bill Kenney, Joseph Nemec III
Música Original: Mark Mancina
Música Não Original: Giacomo Puccini
Fotografia: Jack N. Green
Edição: Alan Cody
Direção de Arte: William Ladd Skinner, Dan Olexiewicz, Daniel Ross
Figurino: Louise Frogley
Guarda-Roupa: Michael Butler, Joel Voorhies, Mitchell Kenney e outros
Maquiagem: Dennis Liddiard, Melanie Hughes, Amy Disarro, P. Westmore
Efeitos Sonoros: Mike Dobie, Kevin Brooks, Steve Kempster e outros
Efeitos Especiais: John Bare, Bret Barrett, Robert Garcia e outros
Efeitos Visuais: Bert Terreri, Stefen Fangmeier, Mark Hamilton e outros
Nota: 4.1
Filme Assistido em: 1998

Elenco

Willem Dafoe John Geiger
Sandra Bullock Annie Porter
Jason Patric Alex Shaw
Glenn Plummer Maurice
Lois Chiles Celeste
Temuera Morrison Juliano
Brian McCardie Merced
Christine Firkins Drew
Colleen Camp Debbie
Francis Guinan Rupert
Jeremy Hotz Ashton
Jessica Diz Isabel
Connie Ray Fran Fisher
Kimmy Robertson Liza
Charles Parks Frank
Susan Barnes Constance
Tim Conway Sr. Kenter
Joe Morton Ten. Herb McMahon
Mike Hagerty Harvey
Bo Svenson Capitão Pollard
Royale Watkins Dante
Mark Kriski Repórter
Carlinhos Brown Cantor

Sinopse

Após terminar um relacionamento com Jack, por achar que ele tinha uma profissão perigosa, Annie Porter está de namorado novo.  O que sabe é que, Alex Shaw também é policial, mas que tem um trabalho muito mais tranqüilo, patrulhando de bicicleta Venice Beach.  Assim, ao descobrir que ele é membro de uma unidade de elite da SWAT e que havia mentido para ela com medo de perdê-la, o relacionamento entre eles fica abalado.

É quando ele lhe mostra dois bilhetes que havia comprado para os dois embarcarem num cruzeiro de luxo para o Caribe, oportunidade que aproveitariam para se conhecer melhor.  O que eles não imaginam é que, no mesmo navio, embarca John Geiger, um programador de sistemas de segurança, responsável por todo o projeto de automação e segurança do referido navio.  Depois de ser demitido da Empresa, Geiger está determinado a se vingar dos donos do navio, responsáveis por sua demissão, e a roubar jóias que estarão sendo nele transportadas.

Assim, quando o navio se afasta da costa, através de um sistema portátil, ele programa o piloto automático para que a embarcação saia de sua rota.  Em seguida, mata o comandante e corta todas as comunicações, impedindo qualquer tipo de contato do navio com a Guarda Costeira.  Controlando todas as operações a partir de sua cabine, ordena que o navio seja evacuado em 15 minutos sob pena dele explodir tudo.  Cria-se um pânico entre os passageiros e a operação de evacuação é abortada por motivos técnicos.

Alex se junta à tripulação numa tentativa de retomarem o controle da embarcação.  Enquanto isso, Geiger rouba uma fortuna em diamantes.

Ao se aproximarem da costa, verificam que o navio se acha programado para que se choque com um petroleiro carregado, ancorado a umas duas milhas da terra firme.  A essa altura, Geiger deixa o navio em uma lancha, levando Annie como sua refém.

Numa última e desesperada tentativa de evitarem a colisão frontal com o petroleiro, já que todos os controles automáticos acham-se bloqueados, Alex e um dos tripulantes, seguindo orientação do 1º imediato, conseguem ir até um compartimento inundado onde, manualmente, alteram o curso do navio.  A temível explosão é evitada, mas a embarcação segue em direção a um resort, à beira- mar, onde, após destruir vários pequenos barcos e algumas edificações, termina parando.

Começa, agora, a incansável corrida de Alex para libertar Annie das garras do vilão, o que finalmente consegue depois de muita luta.  Na tentativa de fugir num pequeno hidroavião, Geiger termina se chocando contra o mastro do petroleiro, morrendo com a explosão que se segue.

imagem imagem imagem

Comentários

Depois de realizar "Velocidade Máxima" em 1994, o cineasta Jan de Bont volta, agora, com esse "Velocidade Máxima 2".  Ao contrário do primeiro, um muito bom filme de ação, essa continuação é fraca, aquém das expectativas criadas pelo seu antecessor.  Ao invés de um ônibus que não pode parar, agora temos um luxuoso navio que parte para um cruzeiro pelo Caribe e que fica, quando menos se espera, totalmente sem controle.

O roteiro é ruim, cheio de furos e inconsistências.  O trabalho de edição apresenta vários cortes em momentos inadequados.  O elenco também não se acha inspirado.  Sandra Bullock, que esteve tão bem no filme de 1994, não repete aqui sua boa atuação.  A química entre Jason Patric e a Sra. Bullock não se mostra boa.

Algumas seqüências são muito mal feitas e completamente inconvincentes.  A pior delas é quando o vilão, ao tentar fugir num pequeno avião, a uma velocidade não inferior a 100 km/hora, bate no mastro do petroleiro e pára instantaneamente, ficando espetado no topo do referido mastro. Uma outra é aquela em que o navio, entrando no resort, derruba uma série de edificações que mais parecem feitas de papelão.

CAA