Filmes por gênero

VIDAS SEPARADAS (1958)

Separate tables
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Tables séparées (França, Bélgica)
Tavole separate (Itália)
Mesas separadas (Espanha)
Getrennt von Tisch und Bett (Alemanha)
Vid skilda bord (Suécia)
Aparte tafels (Holanda)
Fra bord til bord (Dinamarca, Noruega)
Отделни маси (Bulgária)
За отдельными столиками (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Delbert Mann
Roteiro: Terence Rattigan, John Gay
Produção: Harold Hecht
Design Produção: Harry Horner
Música Original: David Raksin
Música Não Original: Harry Warren
Fotografia: Charles Lang
Edição: Charles Ennis, Marjorie Fowler
Direção de Arte: Edward Carrere
Guarda-Roupa: Edith Head, Mary Grant
Maquiagem: Harry Maret, Franz Prehoda
Efeitos Sonoros: Fred Lau
Nota: 8.7
Filme Assistido em: 1960

Elenco

Deborah Kerr Sibyl Railton-Bell
Rita Hayworth Ann Shankland
David Niven Major Pollock
Burt Lancaster John Malcolm
Wendy Hiller Pat Cooper
Gladys Cooper Sra. Railton-Bell
Felix Aylmer Sr. Fowler
Cathleen Nesbitt Lady Matheson
Rod Taylor Charles
Audrey Dalton Jean
May Hallatt Srta. Meacham
Priscilla Morgan Doreen
Hilda Plowright Mabel

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (David Niven)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Wendy Hiller)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (David Niven)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator (David Niven)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Atriz Estrangeira (Deborah Kerr)

Prêmios Sant Jordi de Barcelona

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (David Niven)

National Board of Review, USA

Prêmio NBR dos 10 Melhores Filmes

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Deborah Kerr)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Charles Lang)

Oscar de Melhor Filme (Harold Hecht )

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Terence Rattigan, John Gay)

Oscar de Melhor Trilha Sonora (David Raksin)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Wendy Hiller)

Prêmio de Melhor Direção (Delbert Mann)

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Deborah Kerr)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator em um Drama (David Niven)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Deborah Kerr)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante (Wendy Hiller)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Roteiro (Terence Rattigan, John Gay )

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Terence Rattigan, John Gay )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Durante o período de baixa estação, no Hotel Beauregard, em Bournemouth, Inglaterra, apenas um pequeno grupo de residentes permanece no mesmo.

O Major Pollock só vive a falar de seus méritos como soldado.  Sibyl Railton-Bell, a dócil e introvertida filha da Sra. Railton-Bell, desenvolveu uma grande afeição por ele, para desgosto da mãe.  Quando um jornal publica um artigo sobre Pollock, expondo-o como uma fraude e citando que o mesmo fora recentemente preso por comportamento lascivo em um cinema, ela é a única hóspede que procura Pat Cooper, a proprietária do Hotel, para dizer-lhe que deve pedir ao Major para que ele vá embora.  Para Sibyl, tal fato a deixa desiludida.

Um outro hóspede é o escritor John Malcolm.  Ele é comprometido com Pat Cooper, com quem pretende casar-se, até que sua ex-esposa, Ann Shankland, chega ao Hotel.  Ela é uma bela e vaidosa ex-modelo de modas.  Ao chegar, afirma que veio ao encontro de John para ajudá-lo a deixar o vício do álcool.  Seu casamento terminara há cinco anos, após uma briga.  Ele ainda desconfia dela mas, esta, usando o seu charme, logo o tem novamente aos seus pés.  No entanto, depois de uma nova briga, ele sai correndo para a noite.

Enquanto isso, Sibyl diz a Pollock que todos conhecem a verdade sobre ele.  Ele confessa que realmente cometeu o 'ato imoral' e que inventou as histórias sobre o Major Pollock como herói de guerra', por ser uma pessoa insegura como ela, com medo da vida, das pessoas e do sexo.  Aos poucos, Sibyl percebe que ele é um bom homem.

Ann sente-se realmente triste por tudo que ocorreu entre ela e John no passado.  Quando este volta ao hotel na manhã seguinte, os dois concordam em se darem uma nova chance.

Pat Cooper diz a Pollock que ele não precisa sair do hotel, se não quiser.  Sibyl toma coragem para se libertar do domínio da mãe, ao descobrir que ela e Pollock são muito parecidos e têm os mesmos gostos.

imagem

Comentários

Baseado numa peça de Terence Rattigan, "Vidas Separadas" é um excelente filme.  Realizado pelo grande cineasta Delbert Mann, o filme se passa num pequeno hotel da Inglaterra.  Embora não tenha efeitos especiais, milhares de extras ou um grande orçamento, é tecnicamente muito bom, com uma direção segura, um roteiro bem estruturado, uma bela fotografia e uma adequada trilha sonora.

Mas é seu elenco, brindando-nos com suas magníficas interpretações, o grande destaque de "Vidas Separadas".  Deborah Kerr, David Niven, Wendy Hiller e Rita Hayworth estão maravilhosos em seus respectivos papéis.  Burt Lancaster e Gladys Cooper também apresentam ótimas atuações.

CAA