Filmes por gênero

007 - O ESPIÃO QUE ME AMAVA (1977)

The spy who loved me
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: 007 - Agente Irresistível (Portugal)
L'espion qui m'aimait (França, Canadá)
Agente 007, la spia che mi amava (Itália)
La espía que me amó (Espanha, Argentina, México, Peru)
James Bond 007 - Der Spion, der mich liebte (Alemanha)
Älskade spion (Suécia)
Szpieg, który mnie kochal (Polônia)
Spionen der elskede mig (Dinamarca)
Шпион, который меня любил (Rússia)
Pais: Reino Unido
Gênero: Ação, Suspense
Direção: Lewis Gilbert
Roteiro: Richard Maibaum, Christopher Wood
Produção: Albert R. Broccoli, William P. Cartlidge
Design Produção: Ken Adam
Música Original: Marvin Hamlisch
Direção Musical: Marvin Hamlisch
Fotografia: Claude Renoir
Edição: John Glen
Direção de Arte: Peter Lamont
Guarda-Roupa: Rosemary Burrows
Maquiagem: Paul Engelen
Efeitos Sonoros: Gordon Everett, Allan Sones, Gordon K. McCallum
Efeitos Especiais: John Evans, Ron Cartwright, John Gant
Efeitos Visuais: Alan Maley, Derek Meddings
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1978

Elenco

Roger Moore James Bond
Barbara Bach Major Anya Amasova
Curd Jürgens Karl Stromberg
Richard Kiel Jaws
Caroline Munro Naomi
Walter Gotell General Anatol Gogol
Bernard Lee M
Geoffrey Keen Sir Frederick Gray
Desmond Llewelyn Q
George Baker Capitão Benson
Michael Billington Sergei Barsov
Olga Bisera Felicca
Lois Maxwell Srta. Moneypenny
Edward de Souza Xeque Hosein
Vernon Dobtcheff Max Kalba
Shane Rimmer Comandante Carter
Cyril Shaps Dr. Bechmann
Milo Sperber Prof. Markovitz
Sydney Tafler Capitão do Navio Petroleiro Liparus
Nadim Sawalha Aziz Fekkesh
Eva Reuber-Staier Rubelvitch
Marilyn Galsworthy Assistente de Stromberg
Jeremy Wilkin Capitão Forsyth

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Ken Adam, Peter Lamont, Hugh Scaife)

Oscar de Melhor Canção Original (Marvin Hamlisch, Carole Bayer Sager)

Oscar de Melhor Trilha Sonora (Marvin Hamlisch)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Trilha Sonora Original (Marvin Hamlisch, Carole Bayer Sager)

Prêmio de Melhor Canção Original (Marvin Hamlisch, Carole Bayer Sager)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio Anthony Asquith de Melhor Música (Marvin Hamlisch)

Prêmio de Melhores Design de Produção / Direção de Arte (Ken Adam)

Prêmios Grammy, EUA

Grammy de Melhor Album da Trilha Sonora de um Filme (Marvin Hamlisch)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Comédia adaptada de outro meio de comunicação (Christopher Wood, Richard Maibaum)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Submarinos nucleares britânicos e soviéticos estão a ser roubados em algumas partes do mundo. Na Áustria, Bond escapa de uma armadilha preparada pelos soviéticos, matando um deles. Esquia pela montanha até saltar de uma ravina, quando abre um paraquedas com a bandeira do Reino-Unido.

Ao regressar ao país, é informado que alguém está a roubar as rotas secretas dos submarinos. O agente viaja, então, para o Egito, a fim de se encontrar com um vendedor. Uma vez lá, ele se encontra com uma agente soviética, a Major Anya Amasova, que se torna sua rival. Ambos viajam até Luxor numa tentativa de encontrarem um microfilme com as rotas dos submarinos.

Os superiores dos dois agentes concordam em torná-los parceiros. Assim, Bond e Amasova viajam até a Sardenha, onde esta última é salva pelo agente do parceiro de Karl Stromberg, Jaws. Em seguida, passando-se por um casal de biólogos, eles visitam Stromberg em seu Laboratório marinho de nome Atlantis.

Após a visita, eles saem de carro, quando são perseguidos primeiramente por um helicóptero. Na fuga, o carro submerge no mar e se transforma num submarino. Ao tentarem espiar a Atlantis, são atacados por mergulhadores, e, ao submergirem, por um sidecar e outro veículo. Amasova promete assassinar Bond ao final da missão, ao saber que ele matou seu amante, quando este se achava a trabalho na Áustria.

Em seguida, embarcam em um submarino norte-americano e se aproximam do navio-petroleiro Liparus, pertencente a Stromberg. O submarino é capturado pelo petroleiro e Stromberg inicia o seu plano que consiste em lançar duas bombas atômicas a partir de dois submarinos, uma sobre Nova York e a outra sobre Moscou, de modo a provocar uma guerra nuclear. Seu objetivo é recriar a civilização humana sob o mar.

Minutos depois, Stromberg pega Amasova e foge para o Atlantis. Por outro lado, Bond entra na sala de controle, desencadeando um conflito dentro do petroleiro e conseguindo alterar as coordenadas das bombas. As rotas são alteradas para que os dois submarinos lancem suas bombas um contra o outro.

O petroleiro é afundado e Bond dirige-se à Atlantis onde mata Stromberg com uma pistola por baixo da mesa e liberta Amasova. Em seguida, ao se deparar com Jaws, luta com o mesmo e consegue lançar o gigante em um tanque cheio de tubarões.

Com a Atlantis sob bombardeio, Bond e Amasova escapam através de uma cápsula. Nela, Amasova aponta uma arma contra Bond, relembrando o que havia prometido, mas atira na rolha do champanhe que o agente segurava.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta britânico Lewis Gilbert, “007 – O Espião Que Me Amava” está entre os melhores filmes da série sobre o famoso Agente Secreto.

Na direção, Gilbert nos brinda com um ótimo trabalho, marcado por inúmeras cenas de ação, principalmente em sua parte final. Apenas a perseguição com um carro anfíbio me pareceu como um pequeno ponto fraco. Adicionalmente, o filme apresenta um roteiro eficiente, bem amarrado, uma ótima trilha sonora e grandes efeitos especiais.

No elenco, Roger Moore encarna muito bem o famoso James Bond, além de apresentar uma perfeita química ao lado da Bondgirl vivida pela bela atriz nova-iorquina Barbara Bach.

CAA