Filmes por gênero

INFÂNCIA NUA (1968)

L'enfance nue
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Uma infância atribulada (Portugal)
Naked childhood (USA, UK)
Nackte kindheit (Alemanha)
Nagie dziecinstwo (Polônia)
Den nøgne barndom (Dinamarca)
Pais: França
Gênero: Drama
Direção: Maurice Pialat
Roteiro: Maurice Pialat, Arlette Langmann
Produção: F. Truffaut, Claude Berri, Véra Belmont, Guy Benier, Mag Bodard
Fotografia: Claude Beausoleil
Efeitos Sonoros: Henri Moline, Gilbert Pereira
Nota: 9.1
Filme Assistido em: 1974

Elenco

Michel Terrazon François
René Thierry Sr. Minguet
Marie-Louise Thierry Sra. Minguet
Linda Gutemberg Simone
Raoul Billerey Roby
Pierrette Deplanque Josette
Henri Puff Raoul
Marie Marc Meme
Maurice Coussonneau Letillon

Prêmios

Prêmios Jean Vigo, França

Prix Jean Vigo de Melhor Filme (Maurice Pialat)

Indicações

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Maurice Pialat)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

François é um garoto de nove anos de idade, abandonado, que vive de casa em casa à procura de pais adotivos. Através do Serviço de Assistência Pública, ele é levado para ser adotado por uma família do norte.

Apesar do devotamento dos seus pais adotivos, estes não conseguem substituir os verdadeiros pais do garoto. Entre eles, se instaura uma verdadeira barragem de comunicação. François torna-se um jovem indisciplinado, mostrando-se muitas vezes com requintes de crueldade.

Não conseguindo mais suportar seu comportamento, seus pais adotivos procuram o Centro de Triagem para que este tente recolocá-lo junto a uma outra família. Antes de partir, François oferece um pequeno presente à sua até então mãe adotiva, como uma forma de provar, apesar de tudo, sua afeição pela família que o acolhera.

É um casal de seus cinquenta anos, Sr. e Sra. Minguet, ‘’Pépère’’ e ‘’Mémère’’, que aceitam recebê-lo. Ao lado de Raoul, uma criança vinda como ele do Serviço de Assistência Pública, ele encontra um verdadeiro irmão. No entanto, esse fato não é suficiente. Aos poucos, François volta a apresentar um comportamento não adequado. Somente sua ‘’avó adotiva’’, bastante doente, consegue entendê-lo. No dia de sua morte, ele volta a se sentir novamente só.

Como ocorrera na casa de seus primeiros pais adotivos, François volta a se tornar um garoto indisciplinado, a ponto de ‘’Pépère’’ e ‘’Mémère’’ desistirem da missão a que se propuseram, mesmo reconhecendo não ser ele um mau garoto. De volta ao Centro de Triagem, François considera-se abandonado por todos. De lá, ele escreve uma comovente carta endereçada aos seus últimos pais adotivos.

imagem imagem imagem

Comentários

Primeiro longa-metragem do cineasta francês Maurice Pialat, “Infância Nua” mostra a vida de uma criança que, por causa de seu comportamento perigoso e imprevisível, é forçada a passar de uma família para outra, na busca de uma adoção permanente.

Com um trabalho verdadeiramente estruturado, repleto de pequenos detalhes e reflexões às vezes cruéis e comoventes, Pialat consegue nos revelar um conjunto de pequenas coisas e atitudes com uma rara precisão.

Por todas essas qualidades, considero “Infância Nua” um filme que merece ser visto por todo apreciador de um bom cinema.

CAA