Filmes por gênero

A ORQUÍDEA NEGRA (1958)

The black orchid
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'orchidée noire (França)
Orchidea nera (Itália)
Orquídea negra (Espanha, Portugal, Argentina)
Die schwarze orchidee (Alemanha)
Den svarta orkidén (Suécia)
Czarna orchidea (Polônia)
Den sorte orkidé (Noruega)
Den sorte orkidé (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Martin Ritt
Roteiro: Joseph Stefano
Produção: Carlo Ponti, Marcello Girosi
Música Original: Alessandro Cicognini
Fotografia: Robert Burks
Edição: Howard Smith
Direção de Arte: Hal Pereira, Roland Anderson
Figurino: Edith Head
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Hugo Grenzbach, Winston H. Leverett, Ray Alba
Efeitos Visuais: Farciot Edouart, John P. Fulton
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1961

Elenco

Sophia Loren Rose Bianco
Anthony Quinn Frank Valente
Peter Mark Richman Noble
Virginia Vincent Alma Gallo
Frank Puglia Henry Gallo
Jimmy Baird Ralph Bianco
Naomi Stevens Giulia Gallo
Whit Bissell Sr. Harmon
Robert Carricart Padre
Joe Di Reda Joe
Ina Balin Mary Valente
Jack Washburn Tony Bianco
Lili Valenty Tia Agnes
Grazia Narciso Tia Catherine
Nina Varela Tia Millie
Maria Andre Filha de Tia Millie
Majel Barrett Luisa
Ellen Hope Monroe Luisa, aos 12 anos
Dr. John Giovanni Tio Mike
Frank Yaconelli Tio Angelo
Howard Joslin Guarda da prisão
Hugh Lawrence Policial
Don Orlando Primo Peter

Prêmios

Festival Internacional de Veneza, Itália

Copa Volpi de Melhor Atriz (Sophia Loren)

Prêmios David di Donatello, Itália

Prêmio Golden Plate (Sophia Loren)

Indicações

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Martin Ritt)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Depois que seu marido Tony é assassinado por bandidos, por seu papel em um assalto a banco, Rose Bianco, que havia emigrado da Itália para se casar com ele, relembra o dia de seu casamento, quando dançava alegremente e lhe falou sobre a bela casa com que sonhava. Agora viúva, Rose aceita um emprego onde faz flores artificiais para se sustentar.

Certa noite, quando está a embrulhar hastes de flores em casa, é interrompida por sua vizinha intrometida, Giulia Gallo, que a convida para conhecer Frank Valente, um amigo que se tornou viúvo e que se acha apaixonado por ela. Na ocasião, Giulia ainda comenta que ela faz Frank se lembrar de orquídeas negras por conta de seus trajes de luto. Desesperada pelo fato de seu filho Ralph encontrar-se numa fazenda estadual para delinqüentes, por ter sido apanhado roubando parquímetros, uma amarga e reservada Rose rejeita o convite.

Frank, cuja filha Mary está se preparando para se casar e se mudar para Atlantic City, não se abala e começa a falar com Rose quando esta se acha a trabalhar em sua varanda, mas ela o ignora. Mais tarde naquela noite, Frank lhe traz alguns alimentos de Giulia e lhe pede para acompanhá-la quando ela for visitar o filho no domingo. Durante a referida visita, um funcionário da fazenda estadual, Sr. Harmon, avisa à Rose que, se seu filho tentar fugir novamente, ele será enviado para um reformatório. Enquanto Frank a espera do lado de fora, Ralph a faz chorar ao dizer-lhe que odeia a fazenda, dando-lhe ainda a entender que ela é a responsável por sua situação infeliz e pela morte do pai.

No fim de semana seguinte, Frank leva Mary para um chá-de-panelas surpresa, preparado pela amiga Alma Gallo, após o que ele se encontra com Rose para um sorvete. Na ocasião, ele comenta que depois do nascimento de Mary, sua esposa tornou-se uma doente mental, vindo a falecer mais tarde. Em seguida, menciona que gostaria de comprar uma pequena casa perto de seu negócio, em Somerville, e a pede em casamento.

Para sua grande surpresa e alegria, Rose aceita seu convite, mas Mary, ao tomar conhecimento da possibilidade de seu pai vir a se casar com a viúva de um gângster, o confronta, mas ele lhe garante que nada pode ameaçar o seu amor por Rose. Na fazenda do Estado, Frank procura Ralph e, enquanto passeiam juntos, ele pede ao jovem a mão de sua mãe em casamento. Satisfeito com a notícia, Ralph sente-se feliz ao saber que vai ter permissão para viver com o casal.

Como Mary e seu noivo, Noble, têm planos para viverem em Atlantic City, após o casamento, ela insiste para que, ao se mudarem, levem seu pai, por acreditar que foi sua solidão que o levou a procurar Rose. Irritado, Nobel a manda para casa, onde ela encontra o pai e Rose se beijando. Inconformada, a jovem se tranca em seu quarto por vários dias, assim como sua mãe havia feito. Insistindo que Frank deve ficar com a filha, Rose rompe o noivado. Pouco depois, ela toma conhecimento que o filho fugiu da fazenda.

No domingo, Frank vai à igreja a fim de orar por Mary e Ralph, enquanto a filha prefere ficar em casa à espera de um telefonema de Noble. Durante a missa, Ralph entra na igreja e fica surpreso ao saber que o término do noivado da mãe não se deveu a problemas dela, e sim de Frank. Enquanto isso, Rose visita Mary e, admitindo que sua ganância levou à morte de seu marido, ela implora para que a jovem permita ao pai alguma felicidade. Mary, finalmente, cede e a convida para ficar para o café da manhã. Quando as duas começam a prepará-lo, Frank entra na cozinha e fica entusiasmado ao ver que as duas estão se dando bem.

Ele informa Rose de seu encontro com Ralph, bem como, que o levou pessoalmente de volta à fazenda, onde falou com o Sr. Harmon sobre seus planos para o jovem. Em seguida, Noble chega à casa e os dois casais sentam-se à mesa para o café da manhã. Algum tempo depois, Frank e Rose vão apanhar Ralph na fazenda, e os três partem juntos para o novo lar.

imagem imagem imagem

Comentários

“A Orquídea Negra" é um bom melodrama sobre o romance entre a viúva de um mafioso assassinado, e um viúvo que mora ao lado. Embora não seja um de seus melhores trabalhos, o filme é bem dirigido pelo cineasta Martin Ritt.

Seu grande trunfo, entretanto, é poder contar com duas grandes estrelas nos papéis principais: Sophia Loren, perfeita no papel da viúva Rose Bianco, e de quebra, brindando os espectadores com sua beleza aos 24 anos de idade; e Anthony Quinn, igualmente perfeito como o viúvo apaixonado. Entre os coadjuvantes, o melhor desempenho é o apresentado pela atriz Naomi Stevens. Estreando no cinema, Ina Balin, aos 21 anos, faz o papel da filha Mary Valente.

CAA