Filmes por gênero

BARULHO A BORDO (1942)

Ship ahoy
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Festa a bordo (Portugal)
Croisière mouvementée (França)
Rotta sui Caraibi (Itália)
Travesía caribeña (Venezuela)
Schiff ahoi! (Alemanha)
Lios a bordo (México)
På väg till Porto Rico (Suécia)
Tanssiva vakoilija (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Musical
Direção: Edward Buzzell
Roteiro: Harry Clork
Produção: Jack Cummings
Música Original: George Bassman, George E. Stoll
Direção Musical: George Stoll
Fotografia: Robert H. Planck, Leonard Smith
Edição: Blanche Sewell
Direção de Arte: Cedric Gibbons
Figurino: Robert Kalloch
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer
Nota: 7.4
Filme Assistido em: 1945

Elenco

Eleanor Powell Tallulah Winters
Red Skelton Merton K. Kibble
John Emery Dr. Farno
Bert Lahr Skip Owens
Virginia O'Brien Fran Evans
William Post Jr. H. U. Bennet
Stuart Crawford Art Higgins
Bernard Nedell Pietro Polesi
Moroni Olsen Inspetor Davis
Philip Ahn Koro Sumo
Russell Hicks Comandante O'Brien
Addison Richards Agente em Porto Rico
Tommy Dorsey Ele próprio
Frank Sinatra Crooner da Orquestra de Tommy Dorsey
James Cross Dançarino
Eddie Hartman Dançarino
Nestor Paiva Felix
Martin Garralaga Funcionário do Hotel
John Dilson Dr. Loring
Mary Currier Secretária de Merton
Anne O'Neal Esposa do Comandante
Barbara Bedford Sra. Loring
Gladys Blake Secretária de Merton
Henry Guttman Marinheiro alemão
Jo Stafford Ela própria

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

A dançarina da Broadway, Tallulah Winters, está prestes a viajar para Porto Rico com Tommy Dorsey e sua orquestra, quando é chamada ao escritório do Inspetor Davis, que lhe pede para levar, em sua viagem, uma poderosa mina magnética do governo, explicando-lhe que a arma não pode cair nas mãos inimigas e que ela foi escolhida por não levantar suspeitas. Ela e a orquestra foram contratadas para se apresentarem no transatlântico em que viajarão. O inspetor ainda lhe entrega metade de uma moeda antiga e lhe diz que, ao chegarem ao destino, ela será procurada por uma pessoa portando a outra metade da moeda. Sem que ela desconfie, o Inspetor Davis faz parte de uma rede de espionagem chefiada pelo Dr. Farno, que concebeu o plano depois de ler, em uma revista, um artigo escrito por Merton K. Kibble.

Skip Owens, assessor de Merton, que pretende ter um romance com a assistente de Tallulah, Fran Evans, o convence a embarcar no referido cruzeiro. Uma vez a bordo, Merton e Tallulah se conhecem e se sentem atraídos um pelo outro. Enquanto isso, os agentes do governo H. U. Bennet e seu assistente, Art Higgins, recebem permissão do capitão do navio para procurarem a mina desaparecida que eles acreditam estar a bordo.

Na noite anterior à chegada do navio, durante uma festa à fantasia, Tallulah comenta com Merton que, certa vez, ela usou o código Morse para transmitir uma mensagem enquanto sapateava. Ele lhe pede para sapatear “You’re wonderful” e lhe diz que a ama. Mais tarde, em sua cabine, Merton recebe um telegrama de seu editor estimulando-o a trabalhar em uma nova história. Quando ele e Skip discutem o enredo da história, Tallulah ouve a conversa através da janela e conclui que Merton é realmente um desonesto.

No dia seguinte, Farno e seu comparsa, Pietro Polesi, esperam por Tallulah nas docas, enquanto Merton vai à cabine dela. Uma vez lá, ele se mostra confuso face à estranha reação dela para com ele e, acidentalmente, troca suas malas. Assim, ao sair, ela não imagina que, agora, a mina magnética se encontra em poder de Merton.

Em terra, quando Bennett e Higgins discutem o caso com um agente do governo local, Bennett reconhece uma fotografia tirada de Farno na doca e conclui que ele foi quem pagou para que os animadores viessem a Porto Rico. Pouco tempo depois, quando se encontra em seu camarim, Tallulah é procurada por Polesi, que lhe apresenta a outra metade da moeda que recebera do Inspetor Davis. Na ocasião, ele lhe informa que seu contato é o Dr. Farno, o qual deverá procurá-la ainda naquela noite para apanhar a poderosa mina magnética.

Depois que Polesi se retira, Tallulah procura a mina em sua mala e descobre que esta foi trocada pela de Merton. Ela, então, vai à cabine dele e, sem ser vista, consegue recuperar sua mala com a mina. Quando o Dr. Farno a procura, ela faz um comentário sobre a troca das malas, ocasião em que ele lhe diz que Merton é, na verdade, um espião. Ela não acredita nele e, depois que Skip e Merton são trazidos para seu escritório, eles são presos pelos capangas de Farno.

Usando um estratagema por ele inventado para um livro, Merton logo se liberta, levando Skip consigo. Tallulah prepara-se para seu show, quando Bennett vem até ela com o distintivo do governo, ocasião em que a dançarina acredita que ele esteja trabalhando para Farno. No entanto, quando capangas do espião aprisionam Bennett, ela começa a perceber a verdade.

Farno planeja desfazer-se de Tallulah, mas como uma multidão está a chamá-la, ele permite que ela realize seu show, conforme programado. Assim, enquanto sapateia, ela envia uma mensagem de SOS, utilizando-se do código Morse. Higgins, que se acha na plateia, decifra a mensagem. Skip e Merton também ouvem a mensagem e decidem ajudá-la. Assim, os dois vão até o escritório de Farno onde, após uma briga, escapam com a mina e entram em um bote salva-vidas. Após remarem por algum tempo, os dois são recolhidos por um submarino americano.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Edward Buzzell a partir de um roteiro escrito por Harry Clork, “Barulho a Bordo” é uma razoável comédia musical produzida pela Metro-Goldwyn-Mayer no início dos anos 1940. Sua trama envolve a presença de espiões japoneses durante a 2ª Guerra Mundial, mas a meu ver, o filme merece ser visto apenas pelos números musicais executados pela Orquestra de Tommy Dorsey e, principalmente, por aqueles em que a maravilhosa Eleanor Powell nos brinda com o seu incomparável sapateado. Em início de carreira, aos 27 anos, Frank Sinatra aparece em três números musicais como crooner da Orquestra de Dorsey.

No elenco, o maior destaque é, sem dúvida, Eleanor Powell, seguida por Red Skelton.

CAA