Filmes por gênero

CICATRIZES D'ALMA (1963)

In the cool of the day
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Ânsia de amar (Portugal)
Lidenskabens slave (Dinamarca)
Amor prohibido (Espanha)
Dans la douceur du jour (França)
Amori proibiti (Itália)
Begierde an schattigen tagen (Alemanha)
Varjoisat päivät (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Melodrama
Direção: Robert Stevens
Roteiro: Meade Roberts
Produção: John Houseman
Design Produção: Ken Adam
Música Original: Francis Chagrin
Direção Musical: Francis Chagrin
Fotografia: Peter Newbrook
Edição: Thomas Stanford
Guarda-Roupa: Ivy Baker, Orry-Kelly, Pierre Balmain
Maquiagem: Tony Sforzini
Efeitos Sonoros: A.W. Watkins, J.B. Smith, John Bramall, Janet Davidson
Efeitos Especiais: Tom Howard
Nota: 6.5
Filme Assistido em: 1964

Elenco

Peter Finch Murray Logan
Jane Fonda Christine Bonner
Angela Lansbury Sybil Logan
Arthur Hill Sam Bonner
Constance Cummings Sra. Nina Gellert
Alexander Knox Frederick Bonner
Nigel Davenport Leonard Groves
John Le Mesurier Dr. Arraman
Alec McCowen Dickie Bayliss
Valerie Taylor Lily Kendrick
Andreas Markos Andreas
Madeleine Sherwood .

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Christine é uma bela, porém frágil mulher que leva uma vida de casada infeliz, sufocada pela superproteção de seu marido, Sam Bonner. Tal situação faz com que ela passe uma temporada afastada dele, após o que concorda em voltar para casa com a condição de não continuar a ser superprotegida e ter um filho.

Pouco depois, ela conhece Murray Logan, um editor amigo de Sam que também vive um casamento infeliz. A esposa dele, Sybil, o culpa por um acidente automobilístico que a deixou com cicatrizes na face e tirou a vida de seu filho. Apesar de sentir uma forte atração por Christine, Murray faz de tudo para ajudar Sam a se reconciliar com a esposa.

Algum tempo depois, os dois casais decidem tirar umas férias e viajar para a Grécia. Entretanto, Sam é forçado a permanecer em casa para cuidar de seu pai doente.

Em Atenas, Murray leva Christine para conhecer a Acrópole, enquanto Sybil permanece em seu quarto de hotel. Perto do fim da viagem, Sybil foge com um inglês mulherengo, mas não antes de informar Sam sobre o romance de sua mulher.

Sam viaja às pressas para a Grécia, onde encontra Christine gravemente doente com uma pneumonia. Antes de morrer, ela faz com que Murray lhe prometa que visitará a pequena ilha grega que os dois esperavam ver juntos.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado num romance de Susan Ertz e roteirizado por Meade Roberts, “Cicatrizes d’Alma” não chega a ser um bom filme. Sua trama gira em torno de dois amigos que são infelizes em seus respectivos casamentos.

Na direção, Robert Stevens, mais conhecido por seus trabalhos para a televisão, não se mostra seguro. Aliás, na minha opinião, apenas duas área técnicas merecem elogios: a fotografia de Peter Newbrook que nos brinda com excelentes tomadas da bela Grécia, e o figurino, assinado pelo famoso estilista australiano, Orry-Kelly, que se mostra impecável. Aliás, nos trinta e um anos que o mesmo passou pelos Estúdios Hollywoodianos, ele foi responsável pelos figurinos de cerca de 300 filmes, dentre eles, só para citar alguns, “Anjos de Cara Suja”, de 1938, “Casablanca”, de 1942, “Sinfonia de Paris”, de 1951, “Um Americano em Paris”, de 1951, “Les Girls”, de 1957, “Quanto mais Quente, Melhor”, de 1959, e “Irma La Douce”, de 1963, seu último filme, já que veio a falecer no ano seguinte aos 66 anos de idade. Embora tenha sido indicado a vários Oscars de Melhor Figurino, Orry-Kerry saiu três vezes vencedor com a famosa estatueta.

No elenco, talvez Angela Lansbury tenha sido aquela que se saiu melhor no elenco. Peter Finch e Jane Fonda não demonstraram a menor química entre eles.

Finalmente, ressalto ainda a voz de Nat King Cole ao interpretar a canção-título, “In the cool of the day”.

CAA