Filmes por gênero

NA TEIA DO DESTINO (1949)

The reckless moment
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Momento de perdição (Portugal)
Almas desnudas (Espanha)
Les désemparés (França, Bélgica)
Sgomento (Itália)
Schweigegeld für liebesbriefe (Alemanha, Austria)
Kvinna i fara (Suécia)
Angstens timer (Dinamarca)
Момент безрассудства (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Filme Noir, Drama, Crime
Direção: Max Ophüls
Roteiro: Henry Garson, Robert Soderberg
Produção: Walter Wanger
Música Original: Hans J. Salter
Direção Musical: Morris Stoloff
Fotografia: Burnett Guffey
Edição: Gene Havlick
Direção de Arte: Cary Odell
Figurino: Jean Louis
Maquiagem: Newt Jones
Efeitos Sonoros: Russell Malmgren
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1996

Elenco

James Mason Martin Donnelly
Joan Bennett Lucia Harper
Geraldine Brooks Beatrice "Bea" Harper
Henry O'Neill Tom Harper
Shepperd Strudwick Ted Darby
David Bair David Harper
Roy Roberts Nagel
Frances E. Williams Sybil
Ann Shoemaker Sra. Catherine Feller
William Schallert Tenente da Polícia
Glenn Thompson Policial
Charles Ferguson Policial
Harry Harvey Funcionário dos Correios
Charles Evans Funcionário do Banco
Pat O'Malley Guarda do Banco
Sharon Monaghan Bridget
Kathryn Card Sra. Loring
Penny O'Connor Liza
Louis Mason Mike
Bruce Gilbert Norman Dennie
Pat Barton Recepcionista
Peter Brocco Pete, barman
Charles Marsh Bob, vendedor de jornais

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Sem falar para a família, Lucia Harper se dirige de sua casa à beira-mar, em Balboa, para Los Angeles, a fim de dizer a Ted Darby que ele fique longe de sua filha de dezessete anos, Beatrice. Quando ele afirma que se dispõe a se afastar da jovem em troca de dinheiro, ela não aceita a proposta, convencida de que sua filha não terá qualquer interesse em um homem que se porta dessa forma.

Ao voltar para Balboa, Lucia conversa com a filha sobre seu encontro com Darby, mas Bea, que já havia falado com ele por telefone, não acredita na história da mãe e se recusa a parar de vê-lo.

Lucia, cujo marido, Tom, encontra-se em viagem de negócios, se vê obrigada a lidar com esse problema, sem a ajuda dele. Assim, decide proibir a filha de voltar a freqüentar a Escola de Artes em Los Angeles. À noite, sem que a mãe saiba, Bea vai ao encontro de Darby, na casa dos barcos, mas quando ele confessa que realmente pediu dinheiro à mãe dela, enfurecida, Bea o golpeia com uma lanterna. Atordoado, ele tropeça e morre ao cair por cima de uma âncora.

Ao ver a filha perturbada, Lucia pede para que ela volte para a cama. Na manhã seguinte, ela descobre o corpo de Darby e, não querendo ver sua filha envolvida num escândalo, o joga na baia juntamente com a âncora que o matou. Pouco tempo depois, o corpo é encontrado, mas como ninguém em Balboa o conhece, Lucia e Bea se sentem livres de quaisquer suspeitas.

No entanto, quando Lucia acredita que todos os seus problemas acham-se resolvidos, um desconhecido bate à sua porta para chantageá-la. Ele se chama Martin Donnelly e se diz disposto a entregar todas as cartas enviadas por Bea a Darby em troca de uma grande quantia em dinheiro. Embora horrorizada, Lucia se mostra disposta a ceder à chantagem, mas teria que ir à Los Angeles, o que poderia levantar suspeitas. No dia seguinte, ao voltar a se encontrar com Donnelly, ela implora por mais tempo. A essa altura, sentindo-se apaixonado por ela, o chantagista lhe diz que ela só precisa conseguir a metade do valor inicialmente pedido, devido ao seu sócio, Nagel, já que ele está disposto a abrir mão de sua parte.

Mesmo assim, a quantia continua alta e, além de ter que ir à Los Angeles, ela precisaria ainda da assinatura do marido. Com dificuldade, ela empenha suas jóias por US$ 800,00 e, ao entregar o dinheiro a Donnelly, este lhe informa que um dos sócios de Darby havia sido preso por seu assassinato.

Sabendo que o homem preso não é culpado, já que Darby morreu ao cair sobre a âncora, Lucia diz a Donnelly que foi ela quem o matou. Não acreditando nela, ele lhe diz que, mesmo que o homem preso não seja o assassino, ele é culpado por muitos outros crimes.

Acreditando estar finalmente livre da chantagem, Lucia é surpreendida com a chegada de Nagel que veio exigir seu pagamento. Donnelly sai em defesa dela, luta contra o chantagista e o mata. Apavorada, ela quer contar tudo à polícia, mas Donnelly a interrompe, explicando que sua semelhança com a mãe dele fez com que ele quisesse se comportar decentemente pela primeira vez.

Quando Lucia se ausenta para buscar ataduras para o ferido Donnelly, este foge com o corpo. Lucia e sua criada, Sybil, o procuram e vêem quando ele joga o carro contra um poste. Quando ela tenta ajudá-lo, após devolver-lhe as cartas de Bea, ele lhe diz que a polícia vai pensar que Nagel foi morto no acidente. Com o coração partido, ele se despede de Lucia e, mais tarde, ela toma conhecimento de que, antes de morrer, Donnelly confessou ter assassinado Darby.

imagem

Comentários

Quarto e último trabalho do período americano do cineasta alemão Max Ophüls, “Na Teia do Destino” é um filme “noir” na mais pura tradição hollywoodiana. Um pouco melhor que “Coração Prisioneiro”, realizado pelo cineasta no mesmo ano, o filme é marcado pelas ótimas atuações de James Mason, no papel de um homem ambivalente e torturado por seus sentimentos, e de Joan Bennett, como uma mulher corajosa e lúcida, sempre disposta a se sacrificar por aqueles que ama.

Entre os quesitos técnicos, merece ainda ser mencionada a excelente fotografia a cargo de Burnett Guffey.

Enfim, contando com todos os ingredientes de um bom filme “noir”, “Na Teia do Destino” é um filme que merece ser visto.

CAA