Filmes por gênero

SIMBAD, O MARUJO (1947)

Sinbad the sailor
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Sinbad, o marinheiro (Portugal)
Sinbad le marin (França)
Sinbad il marinaio (Itália)
Sinbad el marino (Espanha)
Sindbad, der seefahrer (Alemanha)
Sinbad sjöfararen (Suécia)
Sindbad zeglarz (Polônia)
Sinbad de zeeman (Holanda)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Aventura, Romance
Direção: Richard Wallace
Roteiro: John Twist
Produção: Stephen Ames
Música Original: Roy Webb
Direção Musical: C. Bakaleinikoff
Fotografia: George Barnes
Edição: Frank Doyle
Direção de Arte: Carroll Clark, Albert S. D'Agostino
Figurino: Dwight Franklin, Edward Stevenson
Maquiagem: Gordon Bau
Efeitos Sonoros: Clem Portman, John E. Tribby
Efeitos Especiais: Vernon L. Walker, Harold E. Wellman
Nota: 7.5
Filme Assistido em: 1948

Elenco

Douglas Fairbanks Jr. Sinbad
Maureen O'Hara Shireen
Walter Slezak Melik / Jamal
Anthony Quinn Emir de Daibul
George Tobias Abbu
Jane Greer Pirouze
Mike Mazurki Yusuf
Sheldon Leonard Leiloeiro
Alan Napier Aga
John Miljan Moga
Brad Dexter Muallin
Mary Bradley Dançarina
Norma Brown Esposa
Ann Cameron Esposa
Dolores Castelli Esposa
Leslie Charles Esposa
Lida Durova Escrava
Paul Guilfoyle Montador de camelo

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Séculos atrás, na Pérsia, na época do califa Harun-Al-Rashid, o prepotente Sinbad, o Marujo, diverte um grupo de viajantes ao redor de uma fogueira, ao falar sobre mais uma de suas aventuras:

Um dia, perto da cidade portuária de Basra, Sinbad e seu fiel amigo Abbu resgatam uma escuna, cuja tripulação teria morrido por envenenamento. A bordo, ele encontra um mapa que acredita mostrar o caminho para o lendário tesouro de Alexandre, o Grande, na ilha de Deryabar. Por outro lado, emociona-se ao encontrar um vitral no qual é mostrada a mesma cena de uma ilha que se acha num medalhão por ele usado desde sua infância.

No entanto, ao navegar para Basra, a escuna é confiscada pelo Khan local para ser vendida em leilão público. Ao conseguir um acordo para conseguir ficar com a escuna, caso não haja lances, Sinbad passa a afugentar todo e qualquer potencial licitante, fazendo comentários de que o barco é amaldiçoado. No último momento, surge uma mulher misteriosa coberta por um véu e carregada por quatro servos. Ela é Shireen, amante do ambicioso Emir de Daibul, que dá um bom lance para arrematar a escuna em leilão. Sinbad a sobrepuja com um lance maior, enquanto Abbu rouba o leiloeiro para permitir que o amigo honre sua proposta.

Pelas roupas extravagantes que Sinbad está usando, todas encontradas na escuna, Shireen pensa que ele é o príncipe Ahmed e, portanto, deve conhecer o caminho para Deryabar. Por outro lado, Sinbad acredita que o interesse de Shireen na escuna seja um indicativo de que ela conheça o caminho para a tal ilha. Ao visitá-la naquela noite, ele toma conhecimento de que um misterioso e cruel homem, conhecido por Jamel, está disposto a tudo para pôr as mãos no tesouro. Este, que se achava escondido atrás de uma cortina, tenta esfaquear Sinbad, mas o marujo escapa enquanto o agressor foge.

Destemido, Sinbad contrata uma tripulação e embarca para Deryabar no dia seguinte. Enquanto navega, percebe um papagaio que vira na noite anterior, quando da visita à casa de Shireen, voar de sua escuna para um navio, deduzindo que ela esteja a bordo da tal embarcação. Ignorando as advertências de seu barbeiro, recém-contratado, Melik, Sinbad segue o navio por vários dias até Daibul, onde arriscando a vida, vai visitar Shireen no harém. Ele é capturado, mas ao acreditar tratar-se do príncipe de Deryabar, o Emir passa a tratá-lo como seu convidado. Esperto e com seus truques, Sinbad seqüestra Shireen e foge do palácio. Eles embarcam na escuna e partem na esperança de chegar a Deryabar, mas em pouco tempo são ultrapassados e capturados pelo Emir.

Nesse momento, Melik revela ser Jamal, bem como, que destruiu o mapa com o roteiro para Deryabar, depois de memorizá-lo. Formando uma aliança de conveniência, todos navegam para a ilha do tesouro. Uma vez lá, entre as ruínas do palácio de Alexandre, Sinbad, o Emir e Shireen encontram o solitário morador do lugar, o velho Aga, pai de Ahmed. Depois que Sinbad lhe mostra o medalhão, Aga o reconhece como seu filho, o verdadeiro Príncipe de Deryabar, e explica que para protegê-lo, o entregou a um grupo de marinheiros. Com relação à escuna, Aba diz que a mesma pertenceu a um impostor.

Quando o Emir ameaça matar Sinbad, Aga cede e mostra o verdadeiro local onde se acha escondido o fabuloso tesouro. Por outro lado, quando é descoberto que Jamel tinha a intenção de envenenar o Emir e sua tripulação para ficar com o tesouro para si, este o obriga a beber o líquido mortal. Sinbad escapa mais uma vez e resgata Shireen, que lhe confessa amá-lo. O Emir é morto por uma bomba de fogo lançada do navio por sua amotinada tripulação de escravos.

Concluido seu conto, Sinbad rindo mostra aos viajantes, que o ouviam, alguns dos despojos de Alexandre. Estes, ainda reunidos em torno da fogueira, mostram-se descrentes, mas logo mudam de idéia quando o marujo distribui jóias preciosas e ouro. A bela Shireen aparece e os dois sobem a bordo do navio para regressarem à Deryabar.

imagem

Comentários

“SIMBAD, O MARUJO” é um filme de ação e aventura com bastante humor e excepcionais diálogos. Realizado pelo cineasta Richard Wallace, a partir de um roteiro escrito por John Twist, sua trama gira em torno do que teria sido a oitava viagem do marujo, na qual ele descobre o fabuloso tesouro de Alexandre o Grande. Como as demais, a viagem faz parte das fábulas sobre as Noites da Arábia (Arabian Nights).

Wallace não chega a imprimir um ritmo tão rápido como se poderia desejar, o que é mais do que compensado pela exuberância visual do filme. A fotografia em tecnicólor de George Barnes é excepcional. Os diretores de arte, Carroll Clark e Albert S. D'Agostino merecem igualmente uma menção especial.

No elenco, o grande nome é o de Douglas Fairbanks Jr., no papel de Simbad. Dizem que ele fez deste filme um tributo ao seu pai, Douglas Fairbanks, falecido em 1940, pelo trabalho dele na versão de 1924 de “O Ladrão de Bagdad”. A seguir, Walter Slezak, também nos brinda com um excelente desempenho na pele do desonesto e cruel Melik/Jamal. Ainda com boas atuações, acham-se Anthony Quinn e Maureen O'Hara.

Enfim, “Simbad o Marujo” é um filme para divertir toda a família. Eu, particularmente, o assisti aos 14 anos.

CAA