Filmes por gênero

LUZES DA RIBALTA (1952)

Limelight
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Les feux de la rampe (França, Bélgica, Canadá)
Luci della ribalta (Itália)
Candilejas (Espanha, Argentina, México)
Rampenlicht (Alemanha)
Rampljus (Suécia)
Rivaldafény (Hungria)
Rampelys (Dinamarca)
Swiatla rampy (Polônia)
Огни рампы (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Dramática
Direção: Charles Chaplin
Roteiro: Charles Chaplin
Produção: Charles Chaplin
Música Original: Charles Chaplin
Coreografia: Charles Chaplin, Melissa Hayden, Andre Eglevsky
Fotografia: Karl Struss
Edição: Joe Inge
Direção de Arte: Eugène Lourié
Guarda-Roupa: Riley Thorne
Maquiagem: Ted Larsen
Efeitos Sonoros: Hugh McDowell Jr., Harold E. McGhan
Nota: 9.4
Filme Assistido em: 1953

Elenco

Charles Chaplin Calvero
Claire Bloom Thereza
Nigel Bruce Postant, um empresário
Buster Keaton Velho amigo de Calvero
Sydney Chaplin Neville
Norman Lloyd Bodalink
Marjorie Bennett Sra. Alsop
Wheeler Dryden Médico de Thereza
Barry Bernard John Redfern
Stapleton Kent Claudio
Edna Purviance Sra. Parker
Leonard Mudie Dr. Blake
André Eglevsky Dançarino
Melissa Hayden Dançarina
Cyril Delevanti Griffin, um palhaço
Charles Chaplin Jr. Palhaço
Geraldine Chaplin Garotinha na cena de abertura
Josephine Chaplin Garotinha na cena de abertura
Michael Chaplin Criança na cena de abertura
Mollie Glessing Empregada
Loyal Underwood Músico de rua
Julian Ludwig Músico de rua

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Trilha Sonora Original de um Drama (Ray Rasch, Larry Russell)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Claire Bloom)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Filme Estrangeiro (Charles Chaplin)

Círculo dos Roteiristas de Cinema, Espanha

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Estados Unidos)

Indicações

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Charles Chaplin)

Prêmio de Melhor Ator (Charles Chaplin)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme (Estados Unidos)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Calvero é um grande comediante e palhaço em absoluta decadência, que não tem mais condições de atuar, a não ser que esteja bêbado.  Um dia, ao chegar ao seu apartamento, ele sente um forte cheiro de gás vindo do apartamento ao lado, onde mora uma jovem bailarina que ele não conhece.  Ele vai até lá e, ao conseguir entrar, fecha o gás, abre as janelas e chama um médico.  Quando este chega, diz a Calvero que ela viverá, mas que precisará de alguém que cuide dela, uma vez que, embora não tenha qualquer problema físico, ela não anda por sofrer de paralisia histérica.

Ele decide, então, acolhê-la.  Os dois conversam muito, contam suas vidas e, com isso, começam a se ajudar mutuamente.  Quando surge uma nova oportunidade para Calvero, ele acredita que esta será o começo de sua reabilitação.  Ao mesmo tempo, Thereza, a bailarina, começa a sair de sua concha e a superar sua paralisia.

A apresentação é um fracasso e, agora, é Thereza quem dá força a Calvero, mostrando o seu infinito potencial como ser humano.  Ela chega a se apaixonar por ele, pedindo para que se case com ela, mas ele mostra que já está velho enquanto ela tem toda uma vida pela frente.  É nesta hora, que ela dá os seus primeiros passos em direção a ele, dizendo-lhe: 'Calvero, estou andando, estou andando!'

Superada a paralisia, Thereza começa sua vitoriosa carreira como bailarina, sem se descuidar de dar força ao amigo que, cada vez mais se entrega ao alcoolismo.  Mesmo assim, ela não o abandona.

Com a ajuda de seus agentes, organiza uma volta de Calvero aos palcos.  Quando chega a grande e mágica noite, ele é recebido com muitos aplausos, para sua alegria.  Está ali, novamente, o Grande Calvero, que termina sua apresentação formando um dueto com um velho amigo.  Depois de uma noite triunfante, Calvero sofre um fulminante ataque cardíaco e morre, enquanto aprecia a performance de Theresa no palco.

imagem

Comentários

"Luzes da Ribalta" é um dos melhores e mais comoventes filmes deste gênio que foi Charles Chaplin.  Ao mesmo tempo em que expõe o lado mais amargo da arte de fazer rir, ele nos emociona com o lado humano, o lado da solidariedade entre as pessoas.

O filme apresenta alguns dos melhores e mais engraçados momentos de Chaplin, como uma bela pantomima e, ao final, um dueto com a participação do famoso ator do cinema mudo, Buster Keaton.

Chaplin e Claire Bloom estão perfeitos como Calvero e Thereza.  Merecem ainda destaque, a extraordinária trilha sonora, assinada por Chaplin, Ray Rasch e Larry Russell, bem como, a coreografia musical que cresce ilimitadamente nas mãos de Chaplin e Buster Keaton.

CAA