Filmes por gênero

LUZ DEL FUEGO (1982)

imagem

Ficha Técnica

Pais: Brasil
Gênero: Drama, Biográfico
Direção: David Neves
Roteiro: Joaquim Vaz de Carvalho
Produção: Joaquim Vaz de Carvalho, Evelyn Chamma, Carlos Molleta
Design Produção: Fausto Balloni
Música Original: Carlos Molleta
Coreografia: Angela Rainho, Júlio César Lacombe
Fotografia: Fernando Duarte
Edição: Marta Luz, Marco Antônio Cury, Ricardo Miranda
Figurino: Hiluz del Priori, Luiz Augusto Bicalho
Maquiagem: Carlos Prieto, Tomaz Dourado
Efeitos Sonoros: Cristiano Maciel, David Presas, José Luiz Sasso, Antônio César
Nota: 6.8
Filme Assistido em: 1983

Elenco

Lucélia Santos Luz del Fuego
Walmor Chagas Senador João Gaspar
Joel Barcellos Canário
Ivan Cândido Teodoro Dias
Helber Rangel Indalécio Ribeiro
Marco Soares Agildo
José de Abreu Mestre de Cerimônias
Carlos Kroeber Trancoso
Nildo Parente Padre Delgado
Jalusa Barcelos Maria Júlia
Mariana de Moraes Filha de Teodoro
Guilherme Karan Travestí
Monique Lafond Advogada
Ítala Nandi Isabel
Mário Petráglia Paco
Fábio Sabag Celestino
Irving São Paulo Menino do Circo
Maria Sílvia Ivonete
Cecil Thiré Comprador
Tamara Taxman Yara Satã
Laís Chamma Mulher de Canário
Dayse de Lourenço Alzira
Beatriz Horta Jornalista
Wilson Grey Heleno

Prêmios

Festival de Gramado, Brasil

Kikito de Ouro de Melhor Ator (Walmor Chagas)

Kikito de Ouro de Melhor Atriz (Lucélia Santos)

Kikito de Ouro de Melhor Fotografia (Fernando Duarte )

Kikito de Ouro de Melhor Cenografia (Fausto Balloni)

Indicações

Festival de Gramado, Brasil

Kikito de Ouro de Melhor Filme (David Neves)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Ao passear de lancha pela Baía de Guanabara, João Gaspar, um idoso senador, conta para a enfermeira que o acompanha que, entre os anos 50 e 60, se envolveu com uma exótica dançarina, Luz Del Fuego,  que adotara esse nome artístico ao vê-lo na tampa de um batom.

Continuando com suas memórias, ele diz que, já adulta e no teatro de revista, ela participou de um coro de vedetes e foi presa pela primeira vez, por atentado violento ao pudor.

Na cadeia fez amizade com um repórter, Indalécio, e um gay, Agildo, que ficariam ligados a ela para sempre. 

No teatro, estreou completamente nua, envolta por cobras.  O sucesso gerou uma mesa-redonda na TV Tupi, composta por um padre, uma vedete, um delegado e o presidente da Liga de Proteção aos Animais.

Nessa época, ela se envolveu com ele, político casado, que estava em campanha para o Senado.  Homenageado por ela, que lhe deu um beijo na boca publicamente, temeu por sua imagem, mas mesmo assim conseguiu ser eleito.

No auge da fama, Luz del Fuego vendeu sua bela mansão, que lhe havia presenteado, abandonou o teatro e se mudou para a Ilha do Sol, onde pretendia criar um paraíso ecológico naturalista.    Nessa ilha, ela viveu seus últimos dias de glória ao lado de um pescador.

imagem

Comentários

"Luz del Fuego" é um bom filme brasileiro que conta alguns pontos marcantes da vida de uma lendária vedete que escandalizou a sociedade brasileira nos anos 50.  A história é contada em forma de memória do velho senador João Gaspar, um ambicioso político cuja vida pública esteve ligada por muito tempo ao seu tempestuoso caso com a referida vedete.

Realizado por David Neves, o filme parte de um roteiro mal estruturado, apresentando altos e baixos.  Em contrapartida, as magníficas atuações de Lucélia Santos e Walmor Chagas sustentam o filme até o fim.  Merecem ainda destaques a bela fotografia de Fernando Duarte e o trabalho de cenografia, assinado por Fausto Balloni.

CAA