Filmes por gênero

MacARTHUR (1977)

MacArthur, the rebel General
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: MacArthur, o General rebelde (Portugal)
MacArthur, le général rebelle (França, Canadá)
Mac Arthur il generale ribelle (Itália)
Mac Arthur, el general rebelde (Espanha)
MacArthur - Held des Pazifik (Alemanha, Áustria)
Generalen (Suécia)
MacArthur - kapinallinen kenraali (Finlândia)
MacArthur - Oprørsgeneralen (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Histórico, 2ª Guerra Mundial, Guerra da Coréia
Direção: Joseph Sargent
Roteiro: Hal Barwood, Matthew Robbins
Produção: Frank McCarthy
Design Produção: John J. Lloyd
Música Original: Jerry Goldsmith
Fotografia: Mario Tosi
Edição: George Jay Nicholson
Figurino: Larry Harmell
Maquiagem: Frank McCoy, James Lee McCoy
Efeitos Sonoros: Robert Hoyt, Don Sharpless, James Troutman
Efeitos Visuais: Albert Whitlock, Bill Taylor, Dennis Glouner
Nota: 7.8
Filme Assistido em: 1978

Elenco

Gregory Peck Gen. Douglas MacArthur
Ivan Bonar Gen. Richard Sutherland
Ward Costello Gen. George C. Marshall
Nicolas Coster Cel. Sidney Huff, ajudante de ordens
Marj Dusay Sra. Jean MacArthur
Ed Flanders Presidente Harry S. Truman
Russell Johnson Almirante Ernest King
Sandy Kenyon Maj. Gen / Ten. Gen. Jonathan Wainwright
Dan O'Herlihy Presidente Franklin D. Roosevelt
Kenneth Tobey Almirante William 'Bull' Halsey
Addison Powell Almirante Chester Nimitz
Allan Miller Coronel Legrande Diller
Dick O'Neill Coronel Courtney Whitney
Tom Rosqui Gen. Sampson
G. D. Spradlin Maj. Gen. Robert Eichelberger
Garry Walberg Ten. Gen. Walton Walker
Lane Allan Maj. Gen. William Marquet
Everett Cooper Ten. Gen. William Krueger
Charles Cyphers Brig. Gen. Forest Harding
Gerald Peters Gen. Sir Thomas Blamey
Eugene Peterson Gen. Collins
Alex Rodine Ten. Gen. Kuzma Derevyanko
Yuki Shimoda Primeiro Ministro Japonês
John Fujioka Imperador Hirohito

Indicações

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Gregory Peck)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Ao final da 2ª Guerra Mundial, a bordo do U.S.S. Missouri, representantes dos maiores poderes em guerra reúnem-se para assinar o Tratado que vai restaurar a paz.  O representante do imperador e o Ministro da Guerra do Japão são os primeiros a assinar a rendição incondicional japonesa, seguidos pelo Gen. Douglas MacArthur, Comandante Supremo das Forças Aliadas, e dos representantes dos governos dos Estados Unidos, China, Reino Unido, França, Austrália, Nova Zelândia e URSS.

Em seu discurso, MacArthur alerta, a todos, que os cidadãos japoneses devem ser tratados com cortesia e respeito, bem como, que eles não se acham ali como dominadores e sim como libertadores e reconstrutores do País devastado pela guerra.  Em seu governo, MacArthur quer ver o nascimento de um movimento sindical, os trabalhadores tendo voz nos meios de produção e as mulheres tendo o direito de votar.

Em audiência com o general, o 1º Ministro, Shidehara, pede que a nova Constituição do País proíba qualquer sistema militar no Japão.  Assim, sem Exército, Marinha e Aeronáutica, o País poderá mostrar ao mundo que não tem mais instintos belicosos contra ninguém.

Em Tóquio, iniciam-se os julgamentos de crimes de guerra, onde representantes de 8 nações têm nas mãos o destino de oficiais japoneses acusados de terem cometido atrocidades.  O general Yamashita, ex-comandante das tropas japonesas nas Filipinas, é condenado à morte, na forca, por seus inúmeros crimes.  Depois de dois anos e meio de trabalho árduo, os julgamentos em Tóquio chegam ao fim.

As mulheres japonesas conquistam várias vitórias, como o fim dos casamentos arranjados, o direito a rações iguais de cigarros e saquê, e o direito de votar.  O Japão passa por grandes reformas culturais e sua economia por uma estável recuperação.

Nos Estados Unidos, o nome de MacArthur é lembrado como possível candidato à Presidência da República, mas ele só obtém 8 Delegados de um total de 27.

MacArthur recebe um telefonema comunicando-lhe que os norte-coreanos acabam de atacar a Coréia do Sul, no Paralelo 38.  Seguindo instruções do Presidente Truman, vai ao front examinar a situação.  Em seguida, preocupado, visita o Gen. Chiang Kai-shek, líder dos nacionalistas chineses em Formosa.

Grande estrategista, pede autorização à Casa Branca para fazer um desembarque em Inchon, local considerado por muitos como o pior possível.  Acreditando que o fator surpresa é seu grande trunfo, insiste e termina a operação sendo o maior sucesso.

Truman encontra-se com ele na Ilha de Wake, onde discutem o conflito da Coréia.  Na ocasião, o general garante que o referido conflito estará resolvido até o Dia de Ação de Graças, desde que a China não intervenha em favor dos norte-coreanos.

Dias depois, entretanto, as tropas de MacArthur estão enfrentando cerca de 260.000 chineses.  Diante da situação, ele faz várias solicitações ao Presidente Truman, que não atende a nenhuma.  Parte do Congresso americano acredita que, face às desastrosas decisões tomadas pela Casa Branca, o País terminará entrando numa guerra maior e sem controle.  Diante da situação e para impor sua autoridade, Truman destitui MacArthur.  A imprensa diz que, mais uma vez, o governo demite o homem errado.  No Congresso, o senador Homer Ferguson faz duras críticas a Truman.  Durante uma partida de beisebol, o Presidente é vaiado.

Ao regressar aos Estados Unidos, MacArthur recebe a maior manifestação popular da história do País, superando os regressos de Lindberg e Eisenhower juntos.

imagem

Comentários

"MacArthur" é um bom filme, principalmente para os fãs de Gregory Peck e para aqueles que querem conhecer um pouco da vida desse militar e grande estrategista norte-americano.

Realizado pelo cineasta Joseph Sargent, o filme cobre cerca de uma década da história desse general, indo desde o início de 1942, com a queda de Bataã até sua destituição, pelo Presidente Truman, em 1951.

O trabalho de Sargent é consistentemente bom, embora parta de um roteiro que deixa a desejar.  A trilha sonora, assinada por Jerry Goldsmith, é um outro ponto alto do filme.

No elenco, Gregory Peck, no papel-título, é de longe o maior destaque.  Peck está perfeito e merecia ter sido premiado com um Oscar.  Ele consegue captar a arrogância e a determinação de MacArthur, de uma forma verdadeiramente memorável.  Merece, ainda, ser destacada a atuação de Ed Flanders, no papel do Presidente Harry S. Truman.

CAA