Filmes por gênero

MORANGOS SILVESTRES (1957)

Smultronstället
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Les fraises sauvages (França, Bélgica)
Wild strawberries (UK / USA)
Il posto delle fragole (Itália)
Fresas salvajes (Espanha)
Wilde erdbeeren (Alemanha)
Jordbærstedet (Noruega)
A nap vége (Hungria)
Ved vejs ende (Dinamarca)
Pais: Suécia
Gênero: Drama
Direção: Ingmar Bergman
Roteiro: Ingmar Bergman
Produção: Allan Ekelund
Design Produção: Gittan Gustafsson
Música Original: Erik Nordgren
Fotografia: Gunnar Fischer
Edição: Oscar Rosander
Figurino: Millie Ström
Maquiagem: Nils Nittel
Efeitos Sonoros: Aaby Wedin
Nota: 9.6
Filme Assistido em: 1959

Elenco

Victor Sjöström Professor Isak Borg
Bibi Andersson Sara
Ingrid Thulin Marianne Borg
Folke Sundquist Anders
Björn Bjelfvenstam Viktor
Max von Sydow Henrik Äkerman
Naima Wifstrand Mãe de Isak
Gunnel Broström Sra. Alman
Gertrud Fridh Karin, esposa de Isak
Sif Ruud Tia Olga
Gunnar Sjöberg Sr. Sten Alman
Äke Fridell Amante de Karin
Yngve Nordwall Tio Aron
Per Sjöstrand Sigfrid Borg
Gio Petré Sigbritt Borg
Gunnel Lindblom Charlotta Borg
Maud Hansson Angelica Borg
Ann-Marie Wiman Eva Äkerman
Eva Norée Anna Borg
Lena Bergman Kristina Borg, gêmea
Monica Ehrling Birgitta Borg, gêmea
Gunnar Björnstrand Evald Borg
Göran Lundquist Benjamin Borg
Ulf Johansson Pai de Isak
Josef Norman Professor Tiger
Gunnar Olsson Bispo

Prêmios

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Ouro ( Ingmar Bergman)

Prêmio FIPRESCI (Victor Sjöström)

Festival de Cinema de Mar del Plata, Argentina

Prêmio de Melhor Filme ( Ingmar Bergman)

Prêmio de Melhor Ator (Victor Sjöström)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Pasinetti de Melhor Filme (Ingmar Bergman)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Filme Europeu (Ingmar Bergman)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor de Filme Estrangeiro (Ingmar Bergman)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro Original (Ingmar Bergman)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (Victor Sjöström)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O professor e médico Isak Borg é uma pessoa egoísta e amarga que precisa viajar de Stockholm para Lund, a fim de receber uma homenagem  por seus 50 anos de trabalho.  Na véspera de sua viagem, ele tem um pesadelo, no qual ele se encontra numa rua deserta quando um caixão cai de um carro fúnebre e, para seu desespero, ele se vê deitado no tal caixão.  Ao acordar, assustado, desiste de pegar o avião para Lund e resolve fazer a viagem por terra.

Em sua viagem, ele é acompanhado por Marianne, sua nora, em crise com seu marido Evald, que parece carregar a mesma amargura do pai.  No caminho, ele para num local e comenta que ele e seus irmãos costumavam ir ali durante o verão.  Marianne resolve dar um mergulho num lago, deixando Isak envolto em suas lembranças.  Em sua imaginação, ele vê Sara, sua paixão da adolescência, colhendo morangos silvestres e aos beijos com seu irmão, Sigrid.  Ele é despertado por uma jovem, que também se chama Sara, pedindo carona para ela e seus amigos Anders e Viktor.  Em seguida, ele acolhe o Sr. e a Sra. Alman, um casal que acabara de sofrer um acidente.  Quando o casal, em crise, começa a discutir, Marianne pede para que eles saltem do carro.

Depois que param para almoçar, Isak visita sua velha mãe.  A seguir, continuam a viagem e Isak volta a se envolver com suas lembranças: Sara lhe diz que vai casar com Sigrid; numa floresta, ele vê sua esposa falecida encontrar-se com o amante.

Voltando à realidade, confessa à Marianne "que se sente morto embora continue vivendo".  Marianne percebe que essas palavras são as mesmas que lhe foram ditas por Evald.  Ela, então, conta a Isak que está grávida e que o motivo de sua crise conjugal é que Evald não quer o bebê.

Eles, finalmente, chegam à Lund, onde Isak é homenageado.  Naquela mesma noite, ele conversa com Evald e Marianne.   Depois, ele volta a refletir sobre sua existência, seu passado, seus medos e termina reencontrando um pouco de humanidade dentro de si e experimentando uma nova comunhão com a vida.

imagem imagem imagem

Comentários

"Morangos Silvestres" é uma das mais comoventes obras de Ingmar Bergman, além de ser, talvez, o seu melhor filme.  Este clássico influenciou fortemente o cinema europeu de sua geração.  O cineasta cria cenas magníficas, misturando passado e presente nas mesmas imagens.  O rosto do professor Isak Borg, muito bem interpretado pelo diretor Victor Sjöström, faz parte das emoções inesquecíveis do cinema.


Embora haja um deslocamento real, físico, através da viagem de automóvel, Bergman faz com que o professor Isak Borg, através de seus sonhos e de sua imaginação, viaje ao seu passado, talvez como uma forma de se purgar de uma vida sem amor.

CAA