Filmes por gênero

ADORÁVEIS MULHERES (1994)

Little Women
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: As mulherzinhas (Portugal)
Les quatre filles du Docteur March (França, Canadá)
Piccole donne (Itália)
Mujercitas (Argentina, Espanha, México, Peru)
Betty und ihre Schwestern (Austria, Alemanha)
Unga kvinnor (Suécia)
Pigebørn (Dinamarca)
Male kobietki (Polônia)
Маленькие женщины (Rússia)
Pais: Estados Unidos, Canadá
Gênero: Drama, Romance
Direção: Gillian Armstrong
Roteiro: Robin Swicord
Produção: Denise Di Novi, Robin Swicord, Warren Carr
Design Produção: Jan Roelfs
Música Original: Thomas Newman
Coreografia: Truddi Forrest
Fotografia: Geoffrey Simpson
Edição: Nicholas Beauman
Direção de Arte: Richard Hudolin
Figurino: Colleen Atwood
Guarda-Roupa: Jennifer Grossman, Nancy McArdle, Debbie Douglas, Zoya Niechoda
Maquiagem: Ma Kalaadevi Ananda, Naomi Donne, Jan Newman e outros
Efeitos Sonoros: Martin Oswin, Peter Townend, Phil Heywood, Eric Batut e outros
Efeitos Especiais: William H. Orr, David Allinson, Michael Walls, Jak Osmond
Efeitos Visuais: Roger Cowland
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1995

Elenco

Winona Ryder Jo March
Gabriel Byrne Friedrich Bhaer
Trini Alvarado Meg March
Samantha Mathis Amy March
Kirsten Dunst Amy March, jovem
Claire Danes Beth March
Christian Bale Theodore Lawrence (Laurie)
Eric Stoltz John Brooke
Susan Sarandon Sra. March
Matthew Walker Sr. March
John Neville Vovô Lawrence
Mary Wickes Tia March
Florence Paterson Hannah
Corrie Clark Belle Gardiner
Rebecca Toolan Sra. Gardiner
Janne Mortil Sally Moffat
Sarah Strange Amiga de Sally
Ahnee Boyce Amiga de Sally
Michele Goodger Hortense
A.J. Unger Ned Moffat
Marco Roy Sr. Parker
Christine Lippa Sra. Hummel
Alan Robertson Dr. Bangs
Natalie Friisdahl Daisy
Sean Finn Demi
Marilyn Norry Sra. Kirk
Tegan Moss Minnie Kirk
Janet Craig Srta. Norton
Scott Bellis John McCracken
John Shaw Charles Botts

Prêmios

Sociedade dos Críticos de Cinema de Boston

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Kirsten Dunst)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Kirsten Dunst)

Círculo dos Críticos de Cinema de Kansas City, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Winona Ryder)

Prêmios para Jovens Artistas, EUA

Prêmio de Melhor Atriz Jovem em Papel Coadjuvante (Kirsten Dunst)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Winona Ryder)

Oscar de Melhor Figurino (Colleen Atwood )

Oscar de Melhor Trilha Sonora (Thomas Newman)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Figurino (Colleen Atwood )

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Atriz (Winona Ryder)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Claire Danes)

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Claire Danes)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro baseado em material previamente publicado (Robin Swicord )

Prêmios para Jovens Artistas, EUA

Prêmio de Melhor Filme-Drama para a Família

Prêmio de Melhor Atriz Jovem em Papel Coadjuvante (Claire Danes)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Durante a Guerra Civil Americana, uma mãe e quatro filhas passam por graves problemas financeiros, enquanto o marido se encontra no serviço militar. Meg e Jo March, as irmãs mais velhas, trabalham para sustentar a família. Meg dá aulas a quatro crianças de uma família que mora nas proximidades, enquanto Jo ajuda sua tia-avó, uma viúva rica que precisa de alguém por perto por conta de sua idade avançada. As mais novas, Beth ajuda sua mãe, enquanto Amy freqüenta a escola.

O vizinho mais próximo é um homem rico cujo neto, órfão, de nome Laurie, vive com ele. As jovens se apresentam a Laurie, que se mostra tímido e tem a mesma idade de Jo. Com o tempo, ele passa a freqüentar a casa das garotas, participando de apresentações de peças escritas por Jo. Seu avô, o Sr. Lawrence, encantado com Beth, a presenteia com um piano que fora de uma irmã de Laurie, já falecida. Já Meg, a mais intelectualizada das irmãs, que sonha em ser escritora, ao ser cortejada pelo rico vizinho, o rejeita e vai morar em Washington, onde se envolve com John Brooke, um professor alemão. No entanto, quando chega a notícia de que sua irmã Beth contraiu escarlatina, ela volta pra casa.

Depois que a irmã se recupera, Meg pensa em se casar, mas a família sugere que ela espere um pouco mais, já que tem apenas 17 anos. Ela concorda em esperar e, nesse ínterim, Brooke serve um ano na guerra, de onde volta ferido. Depois de se recuperar, ele encontra trabalho e começa a se preparar para seu casamento com Meg. Logo em seguida, a guerra termina.

Brooke e Meg, finalmente, se casam e em pouco tempo ela fica grávida de gêmeos. Quando as crianças nascem, ela se mostra uma mãe dedicada a ponto do marido começar a se sentir excluído. No entanto, graças aos conselhos recebidos da mãe, ela consegue equilibrar os seus deveres como mãe e esposa. Como conseqüência, Brooke se mostra um bom pai, rejuvenescendo seu casamento.

Laurie se forma na faculdade, enquanto Jo decide passar seis meses em Nova York, onde fica trabalhando como governanta na casa de uma família amiga de sua mãe. A família, na realidade, tem uma pensão com alguns hóspedes. Um deles é Friedrich Bhaer, com quem ela tem aulas de alemão. Ao voltar para casa, meses depois, Jo recusa uma proposta de casamento de Laurie, deixando-o desapontado.

Por outro lado, Amy faz uma turnê pela Europa acompanhando sua tia, seu tio e um primo. Durante a viagem, ela se encontra com Laurie e, em seguida, ao tomar conhecimento da morte de sua irmã Beth, os dois jovens buscam consolo entre si e terminam apaixonados e casados pouco tempo depois.

Na casa da família, o professor Bhaer aparece para uma visita e termina passando duas semanas, ao fim das quais ele propõe casamento à Jo. Ela aceita seu pedido, mas como ele ensina numa faculdade do oeste, os dois preferem aguardar um pouco enquanto se estruturam melhor.

Com a morte de Tia March, Jo herda a casa grande e a transforma numa escola para crianças, proporcionando trabalho para ela e Bhaer, agora casados.

Poucos anos depois, durante o período da colheita de maçãs, a Sra. March, ao lado do marido, das filhas, dos genros e dos netos, comemora seu 60º aniversário de nascimento.

imagem

Comentários

Adaptação do romance de Louisa May Alcott, “Adoráveis Mulheres” é um ótimo filme realizado pela cineasta australiana Gillian Armstrong, a partir de um roteiro assinado por Robin Swicord. Sua trama fala de uma bela história de amor familiar, passando por momentos de ternura, adversidades, esperança. Temas como a pobreza, a dignidade humana e a descoberta de si mesmo acham-se presentes.

Na direção, esbanjando sensibilidade, Gillian Armstrong nos brinda com um ótimo trabalho. Na área técnica, merecem ainda ser citados os belos cenários, o figurino assinado por Colleen Atwood e a música de Thomas Newman.

No elenco, os maiores destaques ficam por conta das excepcionais atuações das atrizes Winona Ryder e Kirsten Dunst, esta última na época com apenas 12 anos. No papel da mãe das jovens, Susan Sarandon também se sai muito bem.

CAA