Filmes por gênero

O GRANDE MASSACRE (1965)

The great Sioux massacre
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Le massacre des Sioux (França)
Il massacro dei Sioux (Itália)
La gran matanza Sioux (Espanha)
La gran represalia (Argentina)
Entscheidung am Big Horn (Alemanha)
General Custers sista strid (Suécia)
Viimeiset urhot (Finlândia)
Den store Sioux massakre (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Faroeste
Direção: Sidney Salkow
Roteiro: Marvin A. Gluck
Produção: Leon Fromkess
Música Original: Emil Newman, Edward B. Powell
Direção Musical: Emil Newman
Fotografia: Irving Lippman
Edição: William Austin
Direção de Arte: Frank Paul Sylos
Figurino: Frank Tauss
Guarda-Roupa: Frank Tauss
Maquiagem: Beau Wilson
Efeitos Sonoros: John Bury Jr., Milton K. Mann
Efeitos Especiais: Jack Erickson
Nota: 6.2
Filme Assistido em: 1985

Elenco

Joseph Cotten Major Reno
Darren McGavin Capitão Benton
Philip Carey Coronel Custer
Julie Sommars Caroline Reno
Nancy Kovack Libbie Custer
John Matthews Dakota
Michael Pate Sitting Bull
Don Haggerty Senador Blaine
Frank Ferguson General Alfred Howe Terry
Stacy Harris Sr. Turner
Iron Eyes Cody Crazy Horse
House Peters Jr. Repórter
John Napier Tom Custer
William Tannen Miner
Louise Serpa Sra. Turner
Blair Davies .

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Um tribunal disciplinar do exército dos Estados Unidos acusa o major Reno de ser o responsável pelo massacre ocorrido no último confronto das tropas lideradas pelo coronel George Armstrong Custer contra os índios Sioux. O capitão Benton levanta-se para refutar as acusações contra Reno e assume a responsabilidade pelo ocorrido. Ele relata a situação que levou Custer e seus homens ao vigoroso embate que teve lugar às margens do rio Little Big Horn.

Benton afirma que se juntara à equipe de Custer porque ambos acreditavam que os índios deveriam receber um tratamento justo do governo dos Estados Unidos. Pouco depois, ele conheceu a filha do major Reno, Caroline, e ambos se apaixonaram.

Continuando, Benton diz que o coronel Custer acusou funcionários do poderoso governo de Washington, D.C., de enganar os índios através de acordos com agentes corruptos e, como consequência, perdeu seu comando e passou a viver uma aposentadoria forçada. Entretanto, o senador James Blaine aproximou-se de Custer e lhe ofereceu sua reintegração no exército e a chance de se tornar presidente dos Estados Unidos, caso ele concordasse em oprimir os índios. Assim, acreditando que se tornaria um herói público, Custer, acompanhado por um repórter, comprometeu seus princípios e passou a assassinar índios em todas as oportunidades que surgiam. Incentivado por sua ambiciosa esposa, Libbie, ele seguiu ordens para liderar seus homens em uma grande batalha contra os Sioux. No entanto, quando ele e suas forças chegaram ao rio Little Big Horn, as unidades indígenas, lideradas pelos chefes Crazy Horse e Sitting Bull, provaram-se mais fortes. Os Sioux mataram Custer e massacraram seus soldados.

Depois que Benton termina seu depoimento, o Conselho militar decide que nada ocorreu que justifique a continuação do inquérito.

imagem imagem imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Sidney Salkow, “O Grande Massacre” é um medíocre faroeste do cinema americano de meado dos anos 60. Sua trama gira em torno do famoso massacre sofrido pela 7ª Cavalaria do Exército americano frente aos bravos guerreiros da tribo Sioux, liderados pelo lendário Crazy Horse.

Tecnicamente, o filme apresenta uma série de problemas, a começar pelo roteiro escrito por Marvin A. Gluck. A direção e o trabalho de edição, dois outros quesitos básicos em qualquer filme, deixam a desejar. No elenco, também não vejo nenhum destaque a ser feito. Até Joseph Cotten, ganhador do Oscar de Melhor Ator de 1949, por sua atuação em “O Retrato de Jennie”, apresenta-nos um desempenho apenas regular.

CAA