Filmes por gênero

O JORNAL (1994)

The paper
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Le journal (França, Canadá)
Cronisti d'assalto (Itália)
Detrás de la noticia (Espanha)
El periódico (México, Argentina, Uruguai)
Schlagzeilen (Austria, Alemanha)
Press-stopp! (Suécia)
Før deadline (Dinamarca)
Lapzárta (Hungria)
Газета (Rússia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Dramática
Direção: Ron Howard
Roteiro: David Koepp, Stephen Koepp
Produção: Brian Grazer, Frederick Zollo
Design Produção: Todd Hallowell
Música Original: Randy Newman
Direção Musical: Jane Luttenberger
Fotografia: John Seale
Edição: Daniel P. Hanley, Mike Hill
Direção de Arte: Maher Ahmad
Figurino: Rita Ryack
Guarda-Roupa: Irene Ferrari, Karen Lloyd, Benjamin Wilson e outros
Maquiagem: Manlio Rocchetti, Jean-Luc Russier, Neal Martz e outros
Efeitos Sonoros: Rick Dior, Bob Olari, Lisa Levine, Louis Cerborino e outros
Efeitos Especiais: Hugo Cimmelli
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1995

Elenco

Michael Keaton Henry Hackett
Robert Duvall Bernie White
Glenn Close Alicia Clark
Marisa Tomei Martha Hackett
Randy Quaid Michael McDougal
Jason Robards Graham Keighley
Jason Alexander Marion Sandusky
Spalding Gray Paul Bladden
Catherine O'Hara Susan
Lynne Thigpen Janet
Jack Kehoe Phil
Roma Maffia Carmen
Clint Howard Ray Blaisch
Geoffrey Owens Lou
Amelia Campbell Robin
Jill Hennessy Deanne White
William Prince Howard Hackett
Augusta Dabney Sarah Hackett
Bruce Altman Carl
Jack McGee Wilder
Mike Sheehan Richie
Bobo Lewis Anna
Edward Hibbert Jerry
Michael Countryman Emmett
Siobhan Fallon Lisa
Joe Viviani Max
Julie Rowen Kathy
Michael P. Moran Chuck
Herb Lovelle Victor
Paul Geier Dr. Porter
Karen Church Enfermeira
Rance Howard Médico de Alicia
Victor Truro Médico de Bernie

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Canção Original (Randy Newman )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Henry Hackett é editor de um tablóide em Nova York. Ele é um workaholic que ama seu trabalho, mas que se mostra descontente pelo baixo salário que recebe.  Por outro lado, Alicia Clark, editora-chefe e adversária ferrenha de Henry, impõe diversas medidas impopulares para enfrentar uma séria crise financeira.

Martha, esposa de Henry e antiga repórter, não suporta mais o pouco tempo que o marido dedica à família. Assim, embora se considere um workaholic convicto, Henry passa a considerar uma oferta de Paul Bladden para se tornar editor de um jornal do tipo do “New York Times”, o que significa mais respeitabilidade, mais dinheiro e menos horas de trabalho.

Por outro lado, o colunista do jornal, Michael McDougal, é ameaçado por um embriagado e furioso Marion Sandusky, que o acusa de estar a atormentá-lo por diversas semanas. O encontro dos dois em um bar termina em um tiroteio que atinge Alicia em uma de suas pernas. Esta, por ter um caso extraconjugal com Carl, um colega de trabalho, pensa em deixar o jornal para acabar com essa relação, ou conseguir um bom aumento de salário para continuar a bancar as despesas com quartos de hotel.

Bernie White revela a Henry que foi recentemente diagnosticado com câncer de próstata e que precisa reservar parte de seu tempo para conseguir se reconciliar com sua filha Deanne antes que seu tempo acabe.

Enquanto isso, circula na cidade uma notícia sobre o assassinato de dois empresários do Brooklyn, que resultou na prisão de dois adolescentes afro-americanos. Tanto Henry, quanto McDougal, acreditam que se trata de uma falsa acusação.

Obcecado em desvendar o que realmente ocorreu, Henry toma decisões difíceis ao fazer com que todos os seus funcionários trabalhem incansavelmente, com prazos curtos e bem definidos. Martha faz algumas investigações para ele, através de um amigo do Departamento de Justiça, e descobre que os empresários assassinados eram banqueiros que roubaram uma enorme soma em dinheiro de seu maior investidor: uma empresa que mantinha ligações com a máfia.

Com essa nova prova, Henry começa a acreditar que tudo não passou de uma armação e que os garotos foram presos como bodes expiatórios. Determinado a descobrir a história correta, ele não comparece ao jantar que teria naquela noite com Martha e seus pais, para ir à Delegacia de Polícia com McDougal, uma vez que precisam de uma confirmação, de que os adolescentes nada têm a ver com o crime, antes de publicarem a edição da manhã seguinte.

Uma vez na Delegacia, eles procuram um contato de McDougal, de nome Richie, o qual, tendo a garantia de permanecer no anonimato, admite que os jovens são inocentes e que foram apanhados por estarem passando pela cena do crime na hora do ocorrido.  Henry e McDougal saem excitados com a matéria conseguida.

Ao chegar à redação, no entanto, descobrem que Alicia já havia aprovado a manchete para a edição da manhã seguinte, admitindo que os jovens afro-americanos eram os culpados pelos crimes ocorridos. Apesar das provas conseguidas pelos dois, ela não aceita retirar o que escrevera. Quando Henry tenta parar as máquinas que se acham a imprimir o jornal com as informações falsas, os dois entram em uma luta corporal.

Logo depois, quando Martha é levada às pressas para o hospital, a fim de ser submetida a uma cesariana de emergência, Alicia tem uma crise de consciência e telefona para o jornal, ordenando a seus funcionários que substituam a matéria que está sendo impressa sobre o assassinato dos dois empresários, pelo furo de reportagem obtido por Henry e McDougal, provando a inocência dos rapazes.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Ron Howard a partir de um roteiro escrito por David Koepp e Stephen Koepp, “O Jornal” é um bom filme norte-americano dos anos 90. Sua trama gira em torno de um editor e de um colunista de um tablóide novaiorquino, que não poupam esforços para provarem que dois adolescentes afro-americanos presos por assassinato são, na verdade, jovens inocentes.

Com uma direção firme, Howard consegue manter um bom ritmo ao longo de seus 112 minutos de projeção. Duas cenas poderiam ter sido evitadas, mas as mesmas não chegam a prejudicar seu trabalho: o encontro no Bar que termina em tiroteio, assim como, a luta corporal entre Henry e Alicia. Por outro lado, ele é extremamente feliz ao procurar mostrar o estresse pelo qual um profissional da informação é submetido quando corre contra o tempo em busca de um furo de reportagem.

No elenco, o grande nome a destacar é o de Michael Keaton, no papel de Henry Hackett, seguido pelo de Randy Quaid. Já Glenn Close, como a editora-chefe Alicia Clark, não se mostra muito bem.

CAA