Filmes por gênero

UM ESTRANHO NO PARAISO (1955)

Kismet
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'étranger au paradis (França)
Uno straniero tra gli angeli (Itália)
Un extraño en el paraíso (Espanha)
Under Bagdads måne (Suécia)
Muukalainen paratiisissa (Finlândia)
Een vreemdeling in't paradijs (Holanda)
Кисмет (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Aventura, Fantasia, Musical
Direção: Vincente Minnelli
Roteiro: Luther Davis, Charles Lederer
Produção: Arthur Freed
Música Original: André Previn, Conrad Salinger
Direção Musical: Jeff Alexander
Coreografia: Jack Cole
Fotografia: Joseph Ruttenberg
Edição: Adrienne Fazan
Direção de Arte: Cedric Gibbons, E. Preston Ames
Figurino: Tony Duquette
Guarda-Roupa: LeVaughn Larson, Jack Martell
Maquiagem: William Tuttle
Efeitos Sonoros: Wesley C. Miller
Efeitos Especiais: Warren Newcombe
Nota: 7.9
Filme Assistido em: 1957

Elenco

Howard Keel Hajj, o poeta
Ann Blyth Marsinah
Vic Damone O Califa
Sebastian Cabot O Vizir
Dolores Gray Lalume
Jay C. Flippen Jawan
Monty Woolley Omar
Mike Mazurki Chefe da Polícia
Jack Elam Hassan-Ben
Ted de Corsia Policial
Reiko Sato 1ª princesa de Ababu
Patricia Dunn 2ª princesa de Ababu
Wonci Lui 3ª princesa de Ababu
Vera Frances Jovem no harém
Suzanne Ames Jovem no harém
June Kirby Jovem no harém
Julie Robinson Zubbediya
Virginia Lee Dançarina
Vera Lee Dançarina
Diana Norris Dançarina
Donna Norris Dançarina
Herman Rudin Mercador de seda
Frank Radcliffe Mercador de sedas
Frank Mitchell Mercador de escravos
Bernie Hamilton Mercador de pérolas

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na velha Bagdá, um poeta empobrecido e sua amada filha, Marsinah, vão ao mercado vender seus poemas para aquisição de alimentos. Ao se separarem, o poeta encontra um bom lugar para pedir esmolas, mas lhe é dito por outros pedintes que aquele local é reservado para o poeta Hajj. Ali, ele recebe esmola de Omar, um conselheiro do Califa e, de repente, é raptado por homens que o levam até uma tenda, no deserto, de Jawan, um idoso e notório ladrão. Preocupado, ele acredita que vai ser vendido como escravo, mas Jawan, que acredita ser ele Hajj, ordena que ele desfaça a maldição que lhe impôs quinze anos atrás. Após sofrer a maldição, Jawan teve seu amado filho raptado e passou a procurá-lo desde então. Percebendo uma oportunidade de ganhar algum dinheiro, Poeta pede cem moedas de ouro para reverter a maldição, com o que Jawan concorda. Em seguida, ele diz que Jawan deverá ir até Bagdá para encontrar seu filho. Ao partir com seus homens, o idoso ladrão deixa o poeta com uma bolsa cheia de ouro.

Em Bagdá, enquanto Jawan procura por seu filho, uma enorme procissão ocorre para saudar Lalume, esposa favorita do Vizir, que volta de Ababu. Lalume diz ao Vizir que o rei de Ababu está disposto a dar-lhe um empréstimo no montante de dez camelos carregados de ouro, se ele fizer com que uma de suas três filhas seja a principal esposa do jovem Califa. Enquanto isso, o Califa, que no período de luto por seu falecido pai, tem viajado incógnito, encontra Marsinah e se sente imediatamente atraído por ela. Agora, Poeta, que passou a se vestir com elegância, cumprimenta a filha e lhe diz que eles são ricos e podem comprar o que quiserem. Quando ela se mostra preocupada que ele tenha roubado dinheiro, ele lhe assegura que o ganhou honestamente.

Depois de lhe dar dinheiro para ela fazer compras, Poeta compra várias escravas atraentes, mas é preso por guardas do Vizir porque sua bolsa carrega a insígnia de uma rica família que foi roubada. Enquanto isso, o Califa se aproxima de Marsinah em um jardim, sem dizer seu nome, e ela acredita que ele é um jardineiro. Eles se apaixonam e concordam em voltar a se encontrar naquela noite. Mais tarde, no tribunal do Vizir, Poeta é considerado um ladrão. Lalume, que acompanhava tudo, fica impressionada com o dom da palavra do Poeta, e convence seu marido a ouvi-lo. Assim, quando Poeta começa a contar a história de como ele conseguiu a bolsa de ouro, Jawan que havia sido recentemente capturado, confirma sua história. Na ocasião, ao ver metade de um amuleto no pescoço do Vizir, Jawan afirma que ele é o seu filho que lhe foi tomado ainda na infância.

Embora impressionado com os poderes do Poeta, o Vizir manda Jawan para a masmorra, por não acreditar que tenha um pai ladrão. Enquanto o Vizir pensa sobre uma maldição que Poeta tenha colocado sobre ele, o Califa entra na Corte e anuncia que o período de luto chegou ao fim e que ele estará assumindo seus deveres reais e anunciando uma noiva naquela noite. Acreditando que a maldição de Poeta está se tornando realidade, o Vizir se preocupa com seus planos em relação ao empréstimo do rei de Ababu e aceita o conselho de Lalume, devolvendo o ouro ao Poeta e criando para ele o posto de Emir, se ele reverter a maldição. Poeta alegremente aceita a proposta e, quando o Vizir o deixa a sós com Lalume, os dois percebem que têm temperamentos semelhantes, chegando ela a comentar que seu relacionamento com o Vizir só a leva ao tédio. Pouco tempo depois, quando as trombetas são ouvidas em toda a cidade, o Vizir diz à Lalume e ao Poeta que o Califa vai reivindicar sua noiva. Por outro lado, irritado com o fato da maldição ainda não ter sido revertida, ele ordena que o Poeta seja confinado no palácio.

O Poeta, então, organiza uma cerimônia de reversão da maldição e aproveita um descuido do Vizir para fugir do palácio. No jardim, ele encontra Marsinah, que está curiosa com a procissão se aproximando. Embora ela deseje esperar pelo encontro, seu pai a convence de que a vida dele depende de sua imediata fuga de Bagdá. Entretanto, quando a notícia de que o Califa não encontrou a esperada noiva, corre pela cidade, feliz pela reversão da maldição, o Poeta dá o seu ouro à Marsinah e retorna ao palácio para se tornar o novo Emir. No palácio, o Vizir diz à Lalume que agora tem certeza que o Poeta tem poderes sobrenaturais e que ele deve morrer por causa do que ele sabe, mas ela o convence a mantê-lo no palácio e usar os seus poderes. Quando o Poeta retorna, o Vizir pede que Lalume cuide dele. Uma vez sozinhos, ele lhe diz que está preocupado com sua filha e ela sugere que ele a traga para viver no palácio. O Poeta gosta da companhia de Lalume, mas tem todo o cuidado para evitar os ciúmes do Vizir.

Quando Marsinah chega para viver no palácio, ela confessa ao pai que se apaixonou por um homem, mas que não sabe nem o nome de seu amado. Lalume se encarrega de vesti-la com elegância e escondida no harém para sua própria proteção. Enquanto isso, os homens do Califa procuram por Marsinah em toda a Bagdá e, quando ele vai ao palácio falar com o Vizir, este sugere que ele se case com as três princesas e tenha o prazer de dispor de um harém. Quando o Califa vê Marsinah entrando no harém do Vizir, este se mostra chocado ao descobrir que a pretendida do Califa se encontra ali. Decepcionado, o Califa diz que terá outra noiva naquela noite. Enquanto isso, rapidamente o Vizir descobre a identidade de Marsinah e lhe diz que eles vão se casar com um certificado datado do mês anterior. Mais tarde, quando o Califa retorna, apesar da beleza das mulheres que lhe são apresentadas, ele não aceita nenhuma como sua noiva.

Quando o Vizir, em particular, felicita o Poeta por ter trazido o verdadeiro amor do Califa para a proteção do harém, este percebe que o Califa é o amado de sua filha e elabora um truque que resulta no Vizir sendo jogado numa piscina. Enquanto este luta para sair da piscina, o Poeta pergunta ao Califa que nome ele daria para um assassino e torturador que também lhe custou sua noiva. O Califa responde a "morte", após o que o poeta foge. Quando os guardas recuperam o corpo do Vizir, eles o encontram ainda com vida. Em seguida, eles capturam o poeta, que está prestes a ser condenado à morte, quando chega o Califa. Naquele momento, o Califa vê o choro de Marsinah e Lalume explica tudo. Em seguida, o Califa condena o Vizir à morte e diz que o Poeta deve ir para o exílio. Este concorda, mas lhe pede que permita que Lalume o acompanhe. O Califa concorda e, alegremente, condena-se a uma vida com Marsinah.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Vincente Minnelli, a partir de um roteiro escrito por Luther Davis e Charles Lederer, “Um Estranho no Paraíso” é um interessante filme norte-americano produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) em 1955. Sua trama, baseada no musical “Kismet”, é marcada por mais de uma dezena de músicas, com clássicos como "Stranger in Paradise" e "Baubles, Bangles, and Beads".

Embora não se trate de uma obra premiada, a direção de Minnelli é consistentemente de primeira linha, assim como a fotografia assinada por Joseph Ruttenberg. No elenco, Howard Keel brilha no papel do poeta. Com atuações bastante convincentes, destacam-se Ann Blyth, Vic Damone e Dolores Gray.

CAA