Filmes por gênero

INTOCÁVEIS (2011)

Intouchables
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Amigos improváveis (Portugal)
The Intouchables (USA, Austrália)
Quasi amici (Itália)
Intocable (Espanha)
Amigos (Chile, México, Peru)
Amigos intocables (Argentina, Uruguai)
Amigos para siempre (Venezuela)
Ziemlich beste freunde (Alemanha)
En oväntad vänskap (Suécia)
Pais: França
Gênero: Biográfico, Comédia, Drama
Direção: Olivier Nakache, Eric Toledano
Roteiro: Olivier Nakache, Eric Toledano
Produção: Nicolas Duval-Adassovsky, Laurent Zeitoun, Yann Zenou
Design Produção: François Emmanuelli
Música Original: Ludovico Einaudi
Fotografia: Mathieu Vadepied
Edição: Dorian Rigal-Ansous
Direção de Arte: Mathieu Vadepied
Figurino: Isabelle Pannetier
Guarda-Roupa: Paulette Ribot, Muriel Legrand, Ariane Daurat
Maquiagem: Thi Thanh Tu Nguyen, Alice Robert, Elisa Costa
Efeitos Sonoros: Pascal Armant, Jean Goudier, Johann Nallet e outros
Efeitos Visuais: Vautey Frédérique, Jeanne Loyer, Laurent Brett e outros
Nota: 9.2
Filme Assistido em: 2012

Elenco

François Cluzet Philippe
Omar Sy Driss
Anne Le Ny Yvonne
Audrey Fleurot Magalie
Clotilde Mollet Marcelle
Alba Gaïa Kraghede Bellugi Elisa
Cyril Mendy Adama
Absa Diatou Toure Mina
Grégoire Oestermann Antoine
Dominique Daguier Amiga de Philippe
François Caron Amigo de Philippe
Christian Ameri Albert
Thomas Solivéres Bastien
Dorothée Brière Eléonore
Marie-Laure Descoureaux Chantal, a faxineira
Emilie Caen Mulher da Galeria
Nicky Marbot Policial
Benjamin Baroche Policial
Caroline Bourg Frédérique
Michel Winogradoff Garçom do "Deux Magots"
Kévin Wamo Amigo de Driss
Alain Anthony Piloto de parapente
Dominique Henry Piloto de parapente

Prêmios

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Ator (Omar Sy)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Filme da União Européia (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Associação dos Críticos de Filmes Afro-Americanos

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Academia Japonesa de Cinema, Japão

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Grande Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmio do Público de Melhor Filme Estrangeiro (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmios Leão Tcheco, Praga, República Tcheca

Leão Tcheco de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Círculo dos Críticos de Cinema da Flórida, USA

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Prêmios Goya - Academia Espanhola, Espanha

Goya de Melhor Filme Europeu (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmios Lumière, França

Prêmio Lumière de Melhor Ator Comediante (Omar Sy)

Prêmios Rembrandt, Holanda

Rembrandt de Melhor Filme Internacional

Prêmios Sant Jordi de Barcelona

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Festival do Cinema Internacional de Santa Barbara, EUA

Prêmio Virtuoso (Omar Sy)

Festival de Cinema de Sarajevo, Bosnia Herzegovina

Prêmio do Público de Melhor Filme (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmios Satellite, Los Angeles

Prêmio Satellite de Melhor Filme Estrangeiro

Associação dos Críticos de Cinema de St. Louis, USA

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Prêmios Globes de Cristal, França

Globe de Cristal de Melhor Filme (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Globe de Cristal de Melhor Ator (Omar Sy)

Festival Internacional de Cinema de Tóquio, Japão

Grand Prix de Tóquio (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmio de Melhor Ator (Omar Sy)

Festival de Cinema de Wisconsin, EUA

Prêmio do Público de Melhor Narrativa (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmios Étoiles d'Or, Paris, França

Étoile d'Or de Melhor Revelação Masculina (Omar Sy)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Phoenix, Arizona, USA

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Indicações

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Atriz Coadjuvante (Anne Le Ny)

César de Melhor Som (Pascal Armant , Jean Goudier, Jean-Paul Hurier)

César de Melhor Direção (Olivier Nakache, Eric Toledano)

César de Melhor Edição (Dorian Rigal-Ansous)

César de Melhor Fotografia (Mathieu Vadepied)

César de Melhor Ator (François Cluzet)

César de Melhor Roteiro Original (Olivier Nakache, Eric Toledano)

César de Melhor Filme

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmios Amanda - Festival de Haugesund, Noruega

Amanda de Melhor Filme Estrangeiro (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Círculo dos Roteiristas de Cinema, Espanha

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Denver, Colorado, EUA

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Academia do Cinema Europeu

Prêmio do Público de Melhor Filme (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmio de Melhor Roteiro (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmio de Melhor Ator

Prêmio de Melhor Filme

Prêmios Gaudi, Barcelona, Espanha

Prêmio Gaudi de Melhor Filme Europeu (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Trilha Sonora (Ludovico Einaudi)

Prêmios Lumière, França

Prêmio Lumière de Melhor Filme (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmios do Cinema Polonês, Varsóvia, Polônia

Prêmio de Melhor Filme Europeu (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Sociedade dos Críticos de Cinema de San Diego, USA

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Prêmios Satellite, Los Angeles

Prêmio Satellite de Melhor Ator (Omar Sy)

Prêmio Satellite de Melhor Roteiro Original (Olivier Nakache, Eric Toledano)

Prêmios Globes de Cristal, França

Globe de Cristal de Melhor Ator

Círculo dos Críticos de Cinema de Vancouver, Canadá

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Associação dos Críticos de Cinema de Washington DC

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Driss dirige em alta velocidade o Maserati de Philippe. Ao serem perseguidos e apanhados pela polícia, Driss, impertubável, dobra a aposta que havia feito com Philippe, convencido que eles podem conseguir uma escolta e, assim, manter a alta velocidade em que estavam. Em seguida, diz aos policiais que Philippe precisa ser urgentemente levado à emergência de um Hospital. Philippe finge ter um AVC e os policiais enganados os escoltam em velocidade até o hospital mais próximo.

Em flashback, vê-se que Philippe é um riquíssimo tetraplégico que vive em sua luxuosa mansão parisiense e que sua assistente, Magalie, está entrevistando diversos candidatos com a finalidade de contratar um cuidador para o patrão. Driss, um dos candidatos, não tem a menor intenção de ser contratado. Ele está ali apenas para conseguir um documento de que foi entrevistado e rejeitado e, assim, poder continuar a receber benefícios do governo. Extremamente descontraído, ele flerta descaradamente com Magalie, que lhe diz para voltar no dia seguinte a fim de pegar o seu documento assinado. Em seguida, ele volta para o minúsculo apartamento que divide com sua família num sombrio subúrbio parisiense.

No dia seguinte, Driss retorna à mansão de Philippe onde descobre, para sua surpresa, ter sido escolhido para passar um período de avaliação como o cuidador procurado pela família. Ele, então, toma conhecimento da extensão da deficiência de Philippe e, em seguida, passa a acompanhá-lo em cada minuto do dia, descobrindo, com espanto, um estilo de vida completamente diferente. Um amigo de Philippe lhe mostra a ficha criminal de Driss que inclui seis meses de prisão por roubo. Philippe, entretanto, lhe diz que não está interessado no passado de Driss e que este foi o único candidato que não o tratou com pena ou compaixão, e sim como um igual.

Com o passar do tempo, Driss e Philippe tornam-se mais próximos. Obedientemente, ele cuida de seu chefe que sofre com frequentes dores. Por outro lado, Philippe lhe conta que seus problemas de saúde se devem a um grave acidente de parapente que sofreu tempos atrás. Ele lhe conta, também, que sua esposa morreu sem lhe dar filhos.

Assim, gradualmente, Philippe passa a ouvir mais as sugestões que lhe são dadas por seu cuidador, inclusive em relação à sua vida privada, como passar a ser mais rigoroso com sua filha adotiva, Elisa, que se comporta como uma criança mimada.

Por sua vez, Driss descobre as artes moderna e tradicional, a ópera e passa a se interessar pela pintura, sendo muito elogiado pelo chefe ao concluir sua primeira tela. No aniversário de Philippe, um concerto de música clássica é apresentado na sala de estar da mansão. Em seguida, Driss coloca uma música de seu gosto em homenagem ao patrão, “Boogie Wonderland”, interpretada por Earth, Wind & Fire, abrindo a sala para que todos passem a dançar.

Ao descobrir que Philippe mantém uma relação puramente epistolar com uma mulher chamada Eléonore, que vive em Dunquerque, Driss o encoraja a conhecê-la pessoalmente, mas ele teme a reação dela ao tomar conhecimento de sua deficiência.
Insistente, o cuidador convence Philippe a se comunicar com ela por telefone e, em seguida, sugere que ele lhe envie uma foto sua na cadeira de rodas. Ele concorda em princípio, mas termina por pedir à sua assistente, Yvonne, que envie uma fotografia sua anterior ao acidente. Um encontro entre Eléonore e Philippe chega a ser marcado, mas apavorado, ele deixa o local em companhia de Yvonne antes que ela Eléonore chegue.

Pouco tempo depois, Philippe convida Driss para viajar com ele em seu jatinho particular para um fim de semana de parapente. Na ocasião, entrega ao seu cuidador um envelope contendo 11.000 euros, o montante que conseguiu obter com a venda, para um de seus amigos, da tela pintada por Driss.

Adama, primo mais jovem de Driss que se encontra com problemas com uma gangue, refugia-se na mansão de Philippe. Driss fala para seu chefe sobre sua família e seu passado, como órfão no Senegal, onde foi adotado por uma tia então sem filhos e que o trouxe para a França. Mais tarde, seus pais adotivos começaram a ter seus próprios filhos, seu tio morreu e sua tia teve ainda mais crianças.

Philippe reconhece a necessidade de Drill sustentar sua família e o libera sugerindo que ele pode não querer empurrar uma cadeira de rodas por toda a vida. Assim, ele volta para o subúrbio onde consegue um emprego numa companhia de transportes, junta-se aos amigos e consegue ajudar seu primo mais novo. Enquanto isso, Philippe contrata novos cuidadores para substituírem Driss, mas não consegue ficar satisfeito com nenhum deles e passa a não cuidar de si mesmo.

Yvonne procura Driss, a quem expõe sua preocupação em relação ao estado em que Philippe se encontra. Ele volta à mansão, põe seu ex-chefe na luxuosa Maserati e sai em alta velocidade pelas ruas de Paris, o que traz a história para a primeira cena do filme.

Depois de enganar os policiais, quando estes escoltaram a Maserati até o hospital, Driss leva Philippe até o litoral onde os dois entram num luxuoso restaurante com uma bela vista para o mar. De repente, Driss levanta-se da mesa, deseja sorte ao amigo e se retira. Philippe não entende os motivos de tal atitude, mas, segundos depois, Eléonore chega à mesa onde ele se encontra. Emocionalmente tocado, Philippe olha pela janela e vê Driss do lado de fora sorrindo para ele. Sentindo-se feliz por ter conseguido reunir o casal, Driss se afasta do local.

imagem imagem imagem

Comentários

Escrita e dirigida pelos cineastas Olivier Nakache e Eric Toledano, “Intocáveis” é, sem dúvida alguma, uma extraordinária comédia dramática. Baseada na história verídica de Philippe Pozzo di Borgo e Abdel Yasmin Sellou, a trama é basicamente contada através de um longo flashback. Por outro lado, apesar de abordar temas difíceis como a tetraplegia e as diferenças sociais, o filme cativa o espectador da primeira à última cena.

Os diretores roteiristas realizam um magnífico trabalho, no que são ajudados pelas atuações perfeitas da dupla de protagonistas formada pelo renomado ator francês, François Cluzet, e pelo igualmente francês Omar Sy. A química entre os dois é espantosa e, na maioria das vezes, é Sy quem rouba a cena.

Na área técnica, merecem ser destacadas a excelente fotografia de Mathieu Vadepied e a bela trilha sonora assinada por Ludovico Einaudi.

CAA