Filmes por gênero

A MARCA RUBRA (1950)

Branded
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Marqué au fer (França)
Marcado a fuego (Espanha)
Il marchio di sangue (Itália)
Das brandmal (Austria, Alemanha)
Brännmärkt (Suécia)
Mannen van staal (Holanda)
Luoti luodista (Finlândia)
Eventyreren fra Dodge City (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Faroeste
Direção: Rudolph Maté
Roteiro: Cyril Hume, Sydney Boehm
Produção: Mel Epstein
Música Original: Roy Webb
Fotografia: Charles Lang
Direção de Arte: Hans Dreier, Roland Anderson
Figurino: Edith Head
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Harry Lindgren, John Cope
Nota: 7.5
Filme Assistido em: 1952

Elenco

Alan Ladd Choya
Mona Freeman Ruth Lavery
Charles Bickford Sr. Richard Lavery
Robert Keith T. Jefferson Leffingwell
Joseph Calleia Rubriz
Peter Hansen Tonio
Selena Royle Sra. Lavery
Tom Tully Ransom
John Berkes Tattoo
Milburn Stone Dawson
Martin Garralaga Hernandez
Edward Clark Dad Travis
John Butler Spig
Edward Peil Sr. Tully
Jimmie Dundee Link
Salvador Baguez Roberto
Bob Kortman Hank
George J. Lewis Andy
Joe Dominguez Capanga de Rubriz
Tony Urchel Capanga de Rubriz
Henry Wills Capanga de Rubriz

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Quando um pistoleiro, conhecido como Choya, escapa de ser capturado, ele é seguido por dois vaqueiros, T. Jefferson Leffingwell e Tattoo. Ao encontrá-lo, Leffingwell lhe diz que tem um plano para se apossar dos bens de um rico fazendeiro chamado Richard Lavery. Para tanto, precisam de sua participação, que deverá, antes de mais nada, ter um de seus ombros tatuado.

Choya concorda com a proposta e, depois que Tattoo faz uma tatuagem em um de seus ombros, Leffingwell mata o tatuador para não ter que dividir o dinheiro com os três. Os dois seguem juntos e se separam ao chegarem ao Bar do rancho de Lavery. Choya diz ao capataz Ransom que está à procura de um emprego, mas ao ser negado, os dois entram em uma luta corporal. Durante a luta, o Sr. Lavery e sua filha Ruth chegam ao local e terminam por contratá-lo por sentirem que ainda têm deficiência de mão de obra.

Naquela noite, Ruth volta a se encontrar com Choya e comenta que um irmão seu foi vítima de sequestro quando tinha apenas cinco anos de idade e, apesar de seu pai ter oferecido uma recompensa de US$100.000, o garoto nunca mais foi visto.

Certo dia, o Sr. Lavery percebe a tatuagem no ombro de Choya e fica espantado porque ela coincide com a de seu filho sequestrado. Choya finge que se trata de uma coincidência, mas seguindo o plano que ele e Leffingwell criaram, conta uma história sobre uma memória de infância que convence o Sr. e a Sra. Lavery de que ele é realmente "Richard Lavery, Jr." Embora calorosamente recebido como o herdeiro do Sr. Lavery, Choya se sente fortemente desconfortável com a responsabilidade de ter que mentir para a família que o acolheu. No entanto, quando ele está prestes a contar toda a verdade, Leffingwell aparece e é contratado para trabalhar na fazenda. Seu plano é matar o Sr. Lavery para que Choya possa herdar o rancho.

Sentindo-se culpado por participar do plano de Leffingwell, Choya o impede de assassinar o Sr. Lavery e lhe oferece, como alternativa, roubar e vender uma parte do seu gado. Leffingwell concorda com sua ideia, mas ao chegarem em El Paso, Choya deposita o dinheiro na conta bancária do Sr. Lavery. Por outro lado, ao tomar conhecimento, através de um xerife, que o sequestrador do filho do Sr. Lavery foi por ele perseguido até Nova Orleans, Choya percebe que Leffingwell é, na realidade o sequestrador da criança.

Em um quarto de hotel, ao jogar roleta russa com Leffingwell, Choya descobre que, após o rapto da criança, ela foi entregue a um bandido mexicano, Rubriz, que a adotou como filho e lhe deu o nome de Tonio. Choya adverte Leffingwell para ficar longe da família Lavery e, depois de contar a verdade à Ruth, ele vai embora. Em seguida, ele atravessa a fronteira e vai ao encontro de Tonio, a quem convence de retornar à sua verdadeira família.

Rubriz, que criou Tonio como seu filho, sentindo-se traído, envia seus homens para trazê-lo de volta. Choya e Tonio são encurralados perto do Rio Grande, mas são salvos pelo Sr. Lavery e Ransom, que estavam à procura de Choya depois que Ruth lhes contou toda a verdade.

Pouco tempo depois que eles retornam ao rancho, Rubriz e seus homens aparecem dispostos a matá-los. No entanto, desarmado por Toya, é convencido de que Tonio não o traiu. Com o filho de volta depois de quase trinta anos, o Sr. Lavery garante a Rubriz que Richard Jr. poderá visitá-lo sempre que assim o desejar. Enquanto isso, Choya tenta escapar sem ser percebido, mas Ruth o segue disposta a acompanhá-lo.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Rudolph Maté, a partir de um roteiro escrito por Cyril Hume e Sydney Boehm, “A Marca Rubra” é um faroeste norte-americano produzido pela Paramount Pictures em 1950.

Na direção, Maté realiza um trabalho razoavelmente bom, marcado por um ritmo linear e ótimos enquadramentos. Por outro lado, a fotografia a cargo de Charles Lang é de muito boa qualidade.

No elenco, Alan Ladd brilha no papel de Choya, seguido pelas convincentes atuações de Charles Bickford e Robert Keith.

CAA