Filmes por gênero

MELODIA DA BROADWAY DE 1940 (1940)

Broadway melody of 1940
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Idílio musical (Portugal)
Broadway qui danse (França, Bélgica)
Balla con me (Itália)
La nueva melodía de Broadway (Espanha)
La melodia de Broadway de 1940 (México)
Broadway Melodie 1940 (Alemanha)
Broadways melodi 1941 (Suécia)
Broadwayn sävel 1940 (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Musical
Direção: Norman Taurog
Roteiro: George Oppenheimer, Leon Gordon
Produção: Jack Cummings
Música Original: George Stoll, George Bassman
Direção Musical: Alfred Newman
Coreografia: Bobby Connolly, Albertina Rasch
Fotografia: Joseph Ruttenberg, Oliver T. Marsh
Edição: Blanche Sewell
Direção de Arte: Cedric Gibbons
Figurino: Valles, Adrian
Guarda-Roupa: Eugene Joseff
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1947

Elenco

Fred Astaire Johnny Brett
Eleanor Powell Clare Bennett
George Murphy King Shaw
Frank Morgan Bob Casey
Ian Hunter Bert C. Matthews
Florence Rice Amy Blake, secretária de Casey
Lynne Carver Emmy Lou Lee
Ann Morriss Pearl Delonge
Trixie Firschke Malabarista
George Chandler Sr. Jones
Edgar Dearing Policial
Mary Field 2ª noiva
Barbara Jo Allen Srta. Konk, recepcionista na Casey & Matthews
Gladys Blake Srta. Martin
Carmen D'Antonio Soprano
Libby Taylor Angel, empregada de Clare Bennett
Bess Flowers Mullher no Salão de Danças
Jean Del Val Garçom italiano
Jack Mulhall George, o porteiro
Johnny Broderick Hanks
Hal K. Dawson O'Grady, assistente de Matthews
Eddie Hall Convidado do 1º casamento
Douglas McPhail Cantor mascarado

Videoclipes

70 anos de cinema 70 anos de cinema

Sinopse

Johnny Brett e King Shaw são dois amigos bailarinos que trabalham num Salão de Danças, enquanto Clare Bennett é uma consagrada estrela de Musicais da Broadway.

Ao vê-los dançar, o produtor Bob Casey fica impressionado com o maravilhoso desempenho de Johnny, fato que o leva a pensar na contratação do bailarino para assumir o papel principal em seu próximo grande show, ao lado de Clare. No entanto, face a um grande equívoco de identidade, o agente teatral Bert Matthews termina por contratar King Shaw para o referido papel, ao invés de Johnny.

Conhecedor das limitações do amigo, o humilde Johnny se dispõe a ficar para ajudá-lo, coreografando seus números de dança. Assim, aos poucos, King Shaw vai-se mostrando um ótimo bailarino, mas por outro lado um homem egoísta e soberbo, a ponto de começar a negligenciar no trabalho, principalmente depois que se torna convencido de que Clare se acha apaixonada por ele. Enquanto isso, a consagrada estrela percebe que Johnny é o verdadeiro talento por trás de King, e por ele se apaixona.

Na noite da estréia, King tem uma briga feia com Johnny, o que o deixa tão embriagado e incapaz de entrar em cena. Para salvar o show, Johnny vê-se obrigado a substituí-lo, o que o faz com o uso de uma máscara. O sucesso é absoluto, a ponto de King Shaw, uma vez sóbrio, perceber quão idiota ele foi e decidir renunciar ao contrato que assinara e ao amor que devotava à Clare.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Norman Taurog, com coreografia de Bobby Connolly, “Melodia da Broadway de 1940” é, sem sombra de dúvidas, um dos maiores musicais de todos os tempos. Sua trama, envolvendo um caso de erro de identidade, é bastante simples e não merece qualquer destaque. Afinal de contas, quem assiste a um espetáculo como esse, não vai estar preocupado com a estória e, sim, com os inesquecíveis números musicais apresentados por Fred Astaire e sua partner, Eleanor Powell. Em musicais anteriores, Astaire sempre brilhara ao lado da também inesquecível Ginger Rogers. No entanto, aqui, parece-me que o que já era perfeito consegue ainda se aperfeiçoar. Em outras palavras, enquanto considerava a dupla Astaire-Ginger nota 10, considero a Astaire-Eleanor nota 10 com louvor!

Enquanto a música de Cole Porter encanta nossos ouvidos, os números de dança fazem o mesmo com nossos olhos. O Grand Finale apresenta a genialidade dessa fabulosa dupla ao som de “Begin the Beguine”.

CAA