Filmes por gênero

A MORTE E A DONZELA (1994)

Death and the maiden
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A noite da vingança (Portugal)
La jeune fille et la mort (França)
La morte e la fanciulla (Itália)
La muerte y la doncella (Argentina, Espanha, México, Peru, Chile)
Der Tod und das Mädchen (Alemanha)
Döden och flickan (Suécia)
Smierc i dziewczyna (Polônia)
Смерть и девушка (Rússia)
Pais: Reino Unido, Estados Unidos, França
Gênero: Drama, Mistério, Suspense
Direção: Roman Polanski
Roteiro: Rafael Yglesias, Ariel Dorfman
Produção: Josh Kramer, Thom Mount
Design Produção: Pierre Guffroy
Música Original: Wojciech Kilar
Direção Musical: Harry Rabinowitz
Fotografia: Tonino Delli Colli
Edição: Hervé de Luze
Direção de Arte: Claude Moesching
Figurino: Milena Canonero
Guarda-Roupa: Nathalie Doux, Germinal Rangel
Maquiagem: Linda DeVetta, Didier Lavergne
Efeitos Sonoros: Daniel Brisseau, Jean-François Auger, Laurent Quaglio e outros
Efeitos Especiais: Thierry Alloy, Bruno Lefebvre, Gilles Piéri, Michel Vialla
Efeitos Visuais: Pierre Biecher, Frédéric Moreau, Alan Church
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1995

Elenco

Sigourney Weaver Paulina Escobar
Ben Kingsley Dr. Roberto Miranda
Stuart Wilson Gerardo Escobar
Krystia Mova Esposa do Dr. Miranda
Jonathan Vega Filho do Dr. Miranda
Rodolphe Vega Filho do Dr. Miranda
Karen Strassman Elena Galvin
Gilberto Cortés Componente do Quarteto de Cordas
Jorge Cruz Componente do Quarteto de Cordas
Carlos Moreno Componente do Quarteto de Cordas
Eduardo Valenzuela Componente do Quarteto de Cordas
Sergio Ortega Alvarado Componente do Quarteto de Cordas

Indicações

Fantasporto, Cidade do Porto, Portugal

Prêmio Internacional de Melhor Filme de Fantasia (Roman Polanski)

Prêmios Independent Spirit, California, Estados Unidos

Prêmio Independent Spirit de Melhor Direção (Roman Polanski)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Fotografia (Tonino Delli Colli)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Paulina Escobar é uma dona de casa casada com um proeminente advogado de um país sul-americano. Certo dia, uma tempestade obriga seu marido, Gerardo, a chegar em casa em companhia de um charmoso estranho. Ao vê-lo, ela se mostra convencida de que se trata do Dr. Roberto Miranda, um médico que fazia parte do antigo regime fascista e que, no passado, havia lhe torturado e estuprado por várias semanas, ocasiões em que ela era mantida com os olhos vendados. Paulina o mantém prisioneiro e, apesar das tentativas de seu marido e do próprio Miranda de tentarem convencê-la de que ele é inocente, ela tem absoluta certeza do que está dizendo, e obriga o marido a ser "advogado" de Miranda no "julgamento" que ela vai provocar através das autoridades.

Miranda conspira com Gerardo no sentido de apresentar uma confissão falsa (como Paulina afirma que é tudo o que ela quer em troca de sua vida), e assim eles escrevem uma e a apresentam a ela. Enfurecida, Paulina considera Miranda como sendo um devasso e o ameaça matá-lo. Quando Gerardo tenta impedi-la, Miranda consegue tomar a arma de Paulina, e ameaça matá-la se ele não for libertado. À medida que avança em direção à porta, ela bate nele e, depois de uma luta, volta ao controle da situação.

Em um último esforço para salvar sua vida, Miranda implora a Gerardo que entre em contato com o local onde ela afirma ter sido estuprada.  Enquanto ela conduz Miranda com os olhos vendados até a beira de um precipício, Gerardo contata o hospital, onde os colegas de Miranda confirmam a história. Ele corre para informar Paulina, finalmente convencido de que Miranda é inocente. Paulina, no entanto, recusa-se a acreditar, dizendo que os médicos da época criaram álibis para esconderem suas identidades. Aceitando a derrota, Miranda, finalmente, confessa que ele realmente era o médico, que gostava de brutalizar Paulina, e que sentia muito que o antigo regime tenha caído.

Enfurecido, Gerardo tenta lançar Miranda do penhasco, mas desiste ao perceber que não pode tirar a vida de uma pessoa. Paulina, aparentemente, aceita a confissão e, juntamente com o marido, deixa Miranda sobre a falésia e voltam para casa.

imagem

Comentários

Realizado pelo grande cineasta Roman Polanski, “A Morte e a Donzela” é um ótimo filme de suspense psicológico de meados dos anos 1990.

Partindo de um roteiro muito bem construído, Polanski nos brinda com um ótimo trabalho, dosando sabiamente uma atmosfera de suspense do início ao fim, o que deixa o espectador preso à trama ao longo de toda a projeção. A música de Franz Schubert contribui, de forma decisiva, para o clima de tensão apresentado.

No elenco, as atuações de Sigourney Weaver, Ben Kingsley e Stuart Wilson são de primeiríssima linha, dignas de premiações que, infelizmente, não aconteceram.

Enfim, “A Morte e a Donzela” é um filme imperdível.

CAA