Filmes por gênero

POR UM CAPRICHO DE MULHER (1970)

Les caprices de Marie
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Portami quello che hai e prenditi quello che vuoi (Itália)
Give her the moon (USA)
Wenn Marie nur nicht so launisch wär (Alemanha)
Ta med dej stan Marie! (Suécia)
Maries nykker (Noruega)
Saisinko kuun taivaalta (Finlândia)
Marie szeszélyei (Hungria)
Pais: França, Itália
Gênero: Comédia Romântica
Direção: Philippe de Broca
Roteiro: Philippe de Broca, Renato Izzo
Produção: Christian Ferry
Design Produção: Théobald Meurisse
Música Original: Georges Delerue
Fotografia: Jean Penzer
Edição: Henri Lanoë
Efeitos Sonoros: Urbain Loiseau
Nota: 7.2
Filme Assistido em: 1973

Elenco

Philippe Noiret Gabriel
Bert Convy Broderick MacPower
Valentina Cortese Madeleine de Lépine
Fernand Gravey Capitão Ragot
Jean-Pierre Marielle Léopold Panneton
François Périer Jean-Jules de Lépine
Marthe Keller Marie Panneton
Didi Perego Aurore Panneton
Colin Drake Cummins
Georges Guéret Jornalista
Henri Crémieux Carteiro
Marc Dudicourt O apresentador
Marius Gaidon Um convidado
Dorothy Marchini Dorothy Golden
Albert Michel Presidente do juri
Barbara Middleton Sra. MacPower
Noëlle Musard Senhorita Choquet
Bernard Musson Maître d'Hôtel
Douglas Read Dick
Hilde Spalinger Raymond Bonneteau
Olga Valéry Maureen

Sinopse

Angevine, pitoresca aldeia francesa, banha-se em felicidade. Seu prefeito, Léopold Panneton, preserva seus habitantes de toda e qualquer má notícia, censurando jornais e todas as informações dramáticas, ordenando inclusive ao carteiro que destrua todas as cartas contendo más notícias.

Sua filha, a bela Marie é a rainha do lugar, mas só tem olhos para Gabriel, um jovem que, por timidez, não consegue declarar sua paixão. Inscrita num concurso de beleza, Marie é eleita “Miss Rainha do Mar”.

Ao mesmo tempo, o jovem e dinâmico bilionário americano, Broderick McPower, que realiza um cruzeiro em seu iate pela costa francesa, encarrega sua secretária de encontrar uma quinta esposa para ele, que seja rainha de qualquer coisa, já que sua quarta acaba de pedir o divórcio.

Assim, precedido de um desfile de jovens e de cowboys, Broderick pousa com seu helicóptero em Angevine, conquistando a população, apesar de perturbar seu sossego com uma profusão de presentes. Marie, fascinada por todo esse luxo, aceita, após algumas hesitações relacionadas a Gabriel, a proposta de casamento do impetuoso americano, que a leva consigo.
 
No entanto, em Nova York, ela sente saudades de casa. Broderick decide transportar Angevine com seus habitantes para a América. Assim, desmontada pedra por pedra, a aldeia é reconstruída à beira do Rio Hudson, onde se torna, à sombra dos arranha-céus, uma “reserva francesa” bastante frequentada pelos americanos.

Mas os angevinenses não se adaptam à nova vida. Quando Panneton quebra a manivela do seu moedor de café, ele chama Gabriel, o único habitante da aldeia que não deixou o solo francês, para que traga uma peça de reposição. Este chega à Nova York na manhã do dia do casamento de Marie.

Ao sentir que a jovem jamais deixou de pensar em Gabriel, Broderick cancela o casamento, reedifica Angevine em solo francês, monta uma vasta operação imobiliária para construção de cópias da aldeia francesa em solo americano, e encarrega sua secretária de voltar a procurar sua quinta esposa.

imagem imagem imagem

Comentários

Realizada pelo cineasta Philippe De Broca, que também co-assina o roteiro, “Por um Capricho de Mulher” é uma boa comédia romântica do cinema franco-italiano. Sua trama gira em torno de uma bela jovem, Marie, filha do prefeito de uma pequena aldeia francesa, que se elege Miss Rainha do Mar, e passa a ser cortejada por um bilionário americano que tem grandes projetos para os habitantes locais.

De Broca realiza um bom trabalho ao lado de Daniel Boulanger e Georges Delerue, seus colaboradores  de outros filmes, o primeiro como roteirista e o segundo como responsável pela bela trilha musical.

CAA