Filmes por gênero

QUANDO A MULHER ERRA (1953)

Stazione Termini
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Indiscretion of an american wife (USA)
Estação Terminus (Portugal)
Gare Terminus (França)
Amants d'un jour (Bélgica)
Estación Termini (Espanha)
Indiscreción de una esposa (Chile)
Rom, Station Termini (Alemanha, Austria)
Ödets perrong (Suécia)
Med natekspres Rom-Paris (Dinamarca)
Вокзал Термини (União Soviética)
Pais: Itália, Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Vittorio De Sica
Roteiro: Cesare Zavattini, Giorgio Prosperi, Luigi Chiarini
Produção: Vittorio De Sica
Música Original: Alessandro Cicognini
Direção Musical: Franco Ferrara
Fotografia: Aldo Graziati
Edição: Eraldo Da Roma, Jean Barker
Direção de Arte: Virgilio Marchi
Figurino: Christian Dior
Efeitos Sonoros: Alberto Bartolomei, Bruno Brunacci
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1961

Elenco

Jennifer Jones Mary Forbes
Montgomery Clift Giovanni Doria
Gino Cervi Comissário de Polícia
Richard Beymer Paul
Paolo Stoppa Carregador de bagagens
Memmo Carotenuto
Maria-Pia Casilio
Marcella Genuino .
Liliana Gerace .
Clelia Matania .
Giuseppe Porelli .
Attilio Torelli .
Enrico Viarisio .

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Figurino (Christian Dior)

Festival Internacional de Cannes, França

Grand Prix do Festival (Vittorio De Sica)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Após ter passado um mês em Roma, em visita a uma irmã, a americana Mary Forbes decide retornar à Filadélfia, onde vive com o marido e com sua filha de sete anos, Kathy.  Nesse período em que esteve na Itália, conheceu e se apaixonou por Giovanni Doria, um jovem professor,  filho de pai italiano e mãe americana, mantendo com ele um intenso caso de amor.

Embora seja difícil para ela deixá-lo, Mary tem consciência de que seu lugar é ao lado do marido e, principalmente, da filha.  Assim, antes de partir, escreve uma carta para Giovanni, na qual expressa mais uma vez seu amor por ele, o homem que lhe deu uma felicidade que jamais sentira em sua vida.  Entretanto, ao concluí-la, não tem coragem de encaminhá-la, de modo que, segue para a Estação Ferroviária (Stazione Termini) sem se comunicar com ele.

Planejando retornar aos Estados Unidos de avião, a partir de Paris, ela consegue vaga no primeiro trem a deixar Roma, às 19:00 horas, com destino à Milão, onde fará conexão para a capital francesa.  Como dispõe de uma meia-hora, ela se lembra que deixou algumas roupas na casa da irmã, inclusive um casaco de peles.  Assim, pede por telefone ao seu sobrinho, Paul, que lhe faça o favor de trazê-los até a Estação.  Enquanto o aguarda, entra numa loja e compra um vestido para sua filha.

Giovanni e Paul chegam minutos antes da partida.  Ela agradece ao sobrinho e este se retira.  Por outro lado, Giovanni reclama da falta de consideração com ele, pois só tomou conhecimento de sua decisão após conversar, por telefone, com a irmã dela.  Insegura sobre o que fazer, termina não embarcando no trem das 19:00 horas.

Os dois sentam-se num restaurante da Estação, onde falam de suas vidas.  Giovanni lhe diz que aceitou um convite para lecionar na Universidade de Pisa, e que poderiam morar numa casa à beira-mar, em Marina del Pisa, onde tem certeza, seriam muito felizes, juntamente com Kathy, que viria da Filadélfia.

Ao ver que o sobrinho ainda se encontra na Estação, Mary o chama, fato que deixa Giovanni furioso.  Depois de conversar com Paul, ela lhe pede que a aguarde numa lanchonete, a fim de tomarem um chocolate.  Quando o jovem se retira, ela diz a Giovanni que decidiu partir no trem das 20:30 horas.  Inconformado, ele lhe dá um tapa no rosto e se retira sob os olhares de dezenas de pessoas.

Após ajudar uma mulher grávida que passa mal, Mary é vista de longe por Giovanni.  Arrependido, ele corre por entre os trilhos, em sua direção, sendo quase atingido por uma locomotiva em manobra.  O susto por que passa faz com que Mary se esqueça do tapa e o abrace.  Em seguida, ele a leva até um vagão isolado e vazio, onde se beijam apaixonadamente.  Ele lhe pede perdão pelo tapa que lhe dera e diz que vai deixá-la partir.

Logo depois, policiais que haviam sido avisados por um funcionário da ferrovia, que os vira subindo no vagão, chegam até eles e os levam presos à presença do Comissário.  Depois de ficar a par do ocorrido e de examinar os documentos dos dois, o policial lhes informa que a infração é passível de multa a ser estabelecida por um juiz.  Entretanto, ao tomar conhecimento que ela se acha com um bilhete para Paris, num trem que estará deixando a Estação em 10 minutos, ele decide rasgar o Boletim de Ocorrências e a libera.

Mary, finalmente, embarca no trem das 20:30 horas com destino à capital francesa.

imagem

Comentários

Baseado numa história de Cesare Zavattini, "Quando a Mulher Erra" é uma boa co-produção ítalo-americana.  Realizada pelo cineasta italiano Vittorio De Sica, trata do drama de consciência vivido por uma americana que, após um mês em Roma, onde se apaixonou por um jovem professor, tem que decidir se volta para os Estados Unidos, onde deixou marido e filha, ou se joga tudo para o alto e fica com seu novo amor.

A história é simples, mas o roteiro é muito bem construído e a direção de De Sica, exemplar.  Com poucos personagens, o elenco tem, em Jennifer Jones, seu maior destaque.  Ela está maravilhosa no papel principal, onde muitos de seus melhores momentos são aqueles sem diálogos, mas que permitem, ao espectador, ler claramente seus pensamentos e emoções através de suas expressões faciais.

Com apenas 63 minutos de duração, mais de 95% do filme se passam dentro da Stazione Termini, a principal gare de Roma.

CAA