Filmes por gênero

QUANTO MAIS QUENTE, MELHOR (1959)

Some like it hot
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Certains l'aiment chaud (França, Canadá)
A qualcuno piace caldo (Itália)
Con faldas y a lo loco (Espanha)
Una Eva y dos Adanes (Argentina, Chile, México)
Manche mögen's heiß (Austria, Alemanha)
I hetaste laget (Suécia)
Noen har det hett (Noruega)
Ingen er fuldkommen (Dinamarca)
Некоторые любят погорячее (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia
Direção: Billy Wilder
Roteiro: Billy Wilder, I. A. L. Diamond
Produção: Billy Wilder
Música Original: Adolph Deutsch
Música Não Original: A. H. Gibbs
Direção Musical: Matty Malneck
Coreografia: Jack Cole
Fotografia: Charles Lang
Edição: Arthur P. Schmidt
Direção de Arte: Ted Haworth
Guarda-Roupa: Bert Henrikson, Orry-Kelly
Maquiagem: Emile LaVigne
Efeitos Sonoros: Fred Lau
Efeitos Especiais: Milt Rice
Nota: 9.4
Filme Assistido em: 1960

Elenco

Marilyn Monroe Sugar Kane Kowalczyk
Tony Curtis Joe / Josephine / Junior
Jack Lemmon Jerry / Daphne
George Raft Spats Colombo
Pat O'Brien Detetive Mulligan
Joe E. Brown Osgood Fielding III
Nehemiah Persoff Little Bonaparte
Joan Shawlee Sweet Sue
Billy Gray Sig Poliakoff
George E. Stone Toothpick Charlie
Dave Barry Beinstock
Mike Mazurki Capanga de Spats
Harry Wilson Capanga de Spats
Barbara Drew Nellie
Beverly Wills Dolores
Edward G. Robinson Jr. Johnny Paradise
Marian Collier Olga
Laurie Mitchell Mary Lou
Sandra Warner Emily
Helen Perry Rosella

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Figurino em Branco e Preto (Orry-Kelly )

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (Jack Lemmon)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Musical ou Comédia (Jack Lemmon)

Prêmio de Melhor Atriz em um Musical ou Comédia (Marilyn Monroe)

Prêmio de Melhor Filme - Musical ou Comédia

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de uma Comédia Americana (Billy Wilder, I.A.L. Diamond )

National Board of Review, USA

Prêmio NBR dos 10 Melhores Filmes

Prêmios PGA, Los Angeles, Califórnia, USA

Prêmio PGA Hall of Fame - Cinema (Billy Wilder)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (Billy Wilder)

Oscar de Melhor Ator (Jack Lemmon)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Billy Wilder, I.A.L. Diamond )

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Charles Lang)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Ted Haworth, Edward G. Boyle)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme (Billy Wilder)

Prêmios Bambi, Alemanha

Prêmio Bambi de Melhor Ator Internacional (Tony Curtis)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Billy Wilder)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Billy Wilder)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Comédia

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator em uma Comédia (Jack Lemmon)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em uma Comédia (Marilyn Monroe)

Prêmios Grammy, EUA

Grammy de Melhor Album da Trilha Sonora de um Filme

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Chicago, 1929.  Joe e Jerry são músicos desempregados, que estão desesperados à procura de  trabalho.  Acidentalmente, eles testemunham o massacre do Dia de São Valentim, ao assistirem o criminoso Spats Colombo e seu cúmplice aniquilarem Toothpick Charlie e sua gangue.

Forçados a apressadamente deixarem a cidade, Joe e Jerry aceitam o primeiro trabalho que lhes aparece: tocar na banda de garotas da 'Sweet Sue'.  Em trajes femininos, os dois se juntam ao resto da banda em um trem que vai para Miami, Flórida.

Diante dessa situação, Joe adota o nome de Josephine e Jerry torna-se Daphne.  De repente, eles vêem Sugar Kane, a vocalista da banda.  Jerry se apaixona na hora, mas Joe o lembra que ele não pode se fazer notar.  

Ao chegarem ao Seminole-Ritz Hotel, em Miami, Osgood Fielding III, um milionário que lá se encontra, apaixona-se por Daphne e Joe resolve se fazer passar por um milionário para tentar conquistar Sugar Kane.

As confusões em que os dois amigos músicos se metem vão-se sucedendo uma após outra.  As coisas pioram ainda mais, quando eles se encontram com Spats Colombo e seus capangas no 'hall' do Hotel, os quais chegaram à Miami  para participarem de uma convenção de criminosos, que contará, inclusive, com a presença de Little Bonaparte, presidente do Sindicato Nacional do Crime.

imagem

Comentários

"Quanto Mais Quente, Melhor" é uma das melhores e mais inteligentes comédias de todos os tempos.  Produzido, dirigido e co-escrito pelo grande cineasta Billy Wilder, o filme apresenta uma série de situações divertidíssimas, muito bem conduzidas por Wilder.

O roteiro é extremamente bem estruturado, sem furos.  A trilha sonora e a fotografia são, também, excelentes.  No elenco, destacam-se as atuações de Marilyn Monroe, Jack Lemmon e Tony Curtis.  Marilyn, além de demonstrar seu talento, está linda em seus 33 anos e sempre mostrando o seu jeitinho ingênuo e sensual.  Lemmon e Curtis, travestidos, sendo assediados por milionários, estão perfeitos em seus respectivos papéis.

A seqüência final é um dos muitos exemplos das situações hilariantes apresentadas em "Quanto Mais Quente, Melhor".  Inteiramente apaixonado, Osgood, personagem vivido por Joe E. Brown, insiste em falar em casamento, enquanto Daphne, interpretada por Jack Lemmon, tenta acabar com o relacionamento, por motivos óbvios.  O diálogo que se estabelece é, mais ou menos, o seguinte:

Osgood:  Eu falei com mamãe.  Ela está muito feliz e gostaria que você usasse seu vestido de noiva.
Daphne:  Eu não posso me casar com o vestido dela.  Nossos corpos são muito diferentes.
Osgood:  Nós podemos mandar adaptá-lo para você.
Daphne:  Não, Osgood. Nós não podemos nos casar.
Osgood:  Por que não?
Daphne:  Em primeiro lugar, porque eu não sou uma loura natural.
Osgood:  Isso não tem importância.
Daphne:  Eu fumo muito.
Osgood:  Eu não me importo.
Daphne:  Eu vivo com um saxofonista há três anos.
Osgood:  Eu lhe perdôo.
Daphne:  Eu não posso lhe dar filhos.
Osgood:  Nós podemos adotar um.
Daphne / Jerry:  Mas você não compreende, Osgood.  Eu sou homem.
Osgood  (imperturbável e ainda apaixonado):  Afinal, ninguém é perfeito.

CAA