Filmes por gênero

O DIA 'D' (1956)

D-Day, the sixth of June
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: 6 de Junho - Dia D (Portugal)
Au sixième jour (França)
Operazione Normandia (Itália)
6 de junio, día D (Espanha)
Zwischen Himmel und Hölle (Alemanha, Austria)
Den korte lykke (Dinamarca)
Kahdet jäähyväiset (Finlândia)
Den sjätte juni (Suécia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: 2ª Guerra Mundial, Melodrama
Direção: Henry Koster
Roteiro: Harry Brown, Ivan Moffat
Produção: Charles Brackett
Música Original: Lyn Murray
Fotografia: Lee Garmes
Edição: William Mace
Direção de Arte: Lyle Wheeler, Lewis Creber
Guarda-Roupa: Charles Le Maire
Maquiagem: Ben Nye
Efeitos Sonoros: Eugene Grossman, Harry Leonard
Efeitos Visuais: Ray Kellogg
Nota: 7.6
Filme Assistido em: 1957

Elenco

Robert Taylor Capt. Brad Parker
Richard Todd Ten. Cel. John Wynter
Dana Wynter Valerie Russell
Edmond O'Brien Ten. Cel. Alexander Timmer
John Williams Brig. Russell
Jerry Paris Raymond Boyce
Robert Gist Dan Stenik
Richard Wyler David Archer
Ross Elliott Maj. Mills
Alex Finlayson Cel. Harkens
Damian O'Flynn Gen. Pike
Geoffrey Steele Maj. McEwen
Richard Aherne Granger, correspondente de guerra
George Pelling Capt. Waller
Otto Reichow Capt. alemão
Parley Baer Sgt. Gerbert
Marie Brown Georgina, funcionária da Cruz Vermelha
Lillian Kemble-Cooper Enfermeira britânica
Virginia Carroll Enfermeira americana
Paul Glass Randall
Patricia McMahon Suzette

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O Capt. Brad Parker é um oficial americano, casado, a serviço em Londres durante a 2ª Guerra Mundial.  Após fraturar a perna numa missão como pára-quedista, passou a trabalhar como auxiliar do Ten. Cel. Alexander Timmer.  Valerie Russell é uma bela jovem inglesa, comprometida com o Ten. Cel. britânico, John Wynter.  Ela trabalha para a Cruz Vermelha Americana, enquanto Wynter encontra-se com as forças que lutam no norte da África.

Ao se conhecerem, Parker e Valerie se sentem mutuamente atraídos.  No início, eles se comportam como simples amigos, falando de seus respectivos compromissos, com a esposa que ficou nos Estados Unidos e com o namorado que se acha no campo de batalha.  Entretanto, continuando a saírem juntos, terminam se apaixonando e passando um final de semana num pequeno hotel do litoral inglês.

Algum tempo depois, Parker é transferido para o Quartel General dos Aliados em Argel.  Antes de embarcar para a África, ele a procura na Cruz Vermelha mas não a encontra, sendo informado que ela viajara para assistir aos funerais do pai.

Dez meses depois de se achar em Argel, Parker encontra-se com um amigo que lhe informa estar voltando para Londres a fim de ingressar numa Força Especial de Voluntários, uma mistura de americanos, canadenses e marinheiros britânicos que está sendo formada sob o comando do Ten. Cel. Timmer.  Tal informação faz com que Parker se apresse em se tornar mais um voluntário e ter a oportunidade de rever Valerie.

De volta à Londres, os dois passam a viver juntos durante a fase de treinamento da Força Especial. Nesse ínterim, Wynter retorna à Inglaterra.  Valerie e Parker encontram-se numa festa quando ela é informada sobre seu retorno.  Embora afirmando a Parker que o ama muito, ela lhe diz que se vê obrigada a ir ao encontro de Wynter.

No Quartel General, Timmer informa que é chegada a hora da Força Especial partir.  Segundo ele, a Força deverá chegar de surpresa à Normandia, na França, antes do bombardeio naval e pouco antes da frota principal de navios chegar para a invasão, no Dia D.

Parker procura Valerie, a quem diz que a ama muito e que devem começar a fazer planos para o após-guerra, pois não está disposto a perdê-la.  Ela lhe responde que, uma vez terminada a guerra, o lugar dele é ao lado da esposa americana, enquanto ela deverá ficar com Wynter.

Na última hora, sérios problemas com Timmer fazem com que Wynter assuma o comando da Força Especial.  Durante a travessia do Canal da Mancha, os dois oficiais falam sobre Valerie.  Apesar do efeito surpresa, o desembarque na França é sangrento, com muitas baixas, mas a Força Especial consegue tomar a posição inimiga.  Na operação, Parker é ferido e enviado a um Hospital de Londres.  Logo após se despedir dele, Wynter pisa numa mina terrestre, em plena praia, e morre.

Pouco depois de Valerie tomar conhecimento da morte do namorado, ela se encontra com Parker na enfermaria do hospital.  Sem saber que Wynter havia morrido, Parker lhe diz que, apesar de amá-la muito, vai estar voltando para os Estados Unidos e espera que ela e Wynter sejam muito felizes.  Sem revelar o ocorrido, ela o beija e vai embora.

imagem imagem imagem

Comentários

"O DIA D" é um bom entretenimento, muito embora seja motivo de desapontamento para aqueles que esperam ver as sangrentas batalhas ocorridas quando da invasão da Normandia, em Junho de 1944, pelas forças aliadas sob o comando do Gen. Dwight Eisenhower.

Realizado pelo cineasta Henry Koster, o filme trata na realidade de um triângulo amoroso entre um capitão americano, um tenente-coronel britânico e uma jovem inglesa.  Dos seus 106 minutos de projeção, apenas 9 mostram o heróico desembarque da Força Especial numa praia da Normandia.

A narrativa poderia ter sido melhor estruturada.  Merece atenção a ótima trilha sonora assinada por Lyn Murray.  Na cena final, após se despedir de Parker na enfermaria, Valerie deixa o hospital ao som da belíssima canção "You'll Never Know".

No quesito elenco, os grandes destaques ficam para os quatro principais atores, todos com ótimas atuações: Richard Todd, Edmond O'Brien, Dana Wynter e Robert Taylor.

A título de curiosidade, na vida real, o ator Richard Todd participou como pára-quedista da histórica invasão do 'Dia-D', na Normandia.  Por outro lado, entre 1943 e 1946, Robert Taylor, ocupando o posto de tenente, foi instrutor de vôo da Divisão de Transportes da Marinha Americana.

CAA