Filmes por gênero

O ESTRANHO QUE NÓS AMAMOS (1971)

The beguiled
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Ritual de guerra (Portugal)
Les proies (França, Canadá)
La notte brava del soldato Jonathan (Itália)
El seductor (Espanha)
El engaño (México, Peru)
Betrogen (Alemanha, Áustria)
Korpral McB - anmäld saknad (Suécia)
Een mand - syv kvinder (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Guerra Civil, Suspense
Direção: Don Siegel
Roteiro: Albert Maltz, Irene Kamp
Produção: Don Siegel, Claude Traverse
Design Produção: Ted Haworth
Música Original: Lalo Schifrin
Fotografia: Bruce Surtees
Edição: Carl Pingitore
Direção de Arte: Alexander Golitzen
Figurino: Helen Colvig
Guarda-Roupa: Carol Christie, Neva Rames, Glenn Wright
Maquiagem: Bud Westmore
Efeitos Sonoros: Waldon Watson, John Mack
Efeitos Especiais: Jack DeBron
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1974

Elenco

Clint Eastwood Cabo John McBurney
Geraldine Page Martha Farnsworth
Elizabeth Hartman Edwina Dabney
Jo Ann Harris Carol
Darleen Carr Doris
Mae Mercer Hallie
Pamelyn Ferdin Amy
Melody Thomas Scott Abigail
Peggy Drier Lizzie
Patricia Mattick Janie
Charlie Briggs Capitão confederado
Charles Martin Capitão confederado
George Dunn Sam Jefferson
Buddy Van Horn Soldado
Matt Clark Scrogins
Patrick Culliton Miles Farnswoth

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Durante a Guerra Civil americana, um cabo do exército da União, John McBurney, gravemente ferido, é resgatado por Amy, uma garota de 12 anos que vive num internato sulista, de propriedade da Sra. Martha Farnsworth.  Na escola, algumas das responsáveis não vêem com bons olhos a presença de um soldado inimigo entre elas mas, mesmo assim, decidem cuidar dele.

Quando Martha lhe fala que só o está ajudando por uma questão de ética, ele responde que foi exatamente por uma questão ética que foi ferido, já que, sendo um 'quaker', não levava armas para o front e seu ferimento deveu-se ao fato de tentar ajudar um soldado inimigo.  Tal revelação  faz com que ela, de alguma forma, se sinta atraída pelo estranho.

Edwina Dabney, sócia de Martha, desde o primeiro instante se apaixona por ele, que demonstra corresponder aos seus sentimentos.

Por outro lado, Carol, uma estudante adolescente de 17 anos, o procura e já vai beijando-o e dizendo-lhe que, à noite, vai deixar a porta de seu quarto aberta para ele.  Entretanto, quando o vê abraçado e aos beijos com Edwina, decide, enciumada, colocar uma bandeira azul no portão principal, sinal que significa para a patrulha sulista, que há um inimigo na casa.

Quando a patrulha chega e o prende, Martha informa que ele não é inimigo e sim um primo do Texas.  Quando lhe perguntam sobre a bandeira azul, ela responde tratar-se de uma brincadeira de mau gosto de uma das alunas.

Quando, depois, ele a procura para agradecer-lhe, ela o beija e lhe pergunta se gostaria de ficar para ajudá-las na lavoura, ao que ele responde afirmativamente.

A seguir, ele bebe além da conta e, embriagado, vai ao quarto da adolescente Carol.  Ao mesmo tempo, Edwina e Martha, separadamente, procuram por ele.  Quando Edwina o encontra no quarto de Carol, fica descontrolada, o chama de cafajeste e o empurra da escada.

Com a queda, seus ferimentos se complicam e Martha, com a ajuda de Edwina e de Hallie, uma empregada negra da escola, decide amputar uma de suas pernas, para evitar uma possível gangrena. Ao descobrir que teve uma perna amputada, ele se revolta e acusa Martha de tê-lo castigado por ele não ter ido pra cama com ela.  Sabendo que ele adora cogumelos, Martha lhe diz que, para selar a paz entre eles, vai-lhe preparar uma refeição especial à base de cogumelos.

Edwina o procura e declara seu amor.  Os dois combinam deixar a casa no dia seguinte.  Quando todos se sentam para o almoço, inclusive as alunas, Edwina anuncia a decisão por eles tomada.  A refeição se inicia e o prato com cogumelos é colocado ao lado de McBurney.  Depois de comer o suficiente e elogiar os cogumelos, ele pede que Edwina se sirva e passe em seguida o prato para as demais pessoas.  No momento em que ela vai por o primeiro cogumelo na boca, Martha grita pedindo-lhe que não o coma.  Em poucos minutos, McBurney está morto por envenenamento.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado no livro homônimo de Thomas Cullinan, "O Estranho Que Nós Amamos" é um ótimo e interessante filme sobre a recuperação de um soldado inimigo, quando acolhido num internato para garotas, bem como, sobre as tensões sexuais que afloram entre alunas e professoras por sua presença naquele educandário.

Produzido e dirigido pelo cineasta Don Siegel, o filme apresenta uma história interessante, um bom trabalho de Siegel, uma bela fotografia e algumas ótimas interpretações.  Uma das melhores vem da atriz Elizabeth Hartman.  Outras boas atuações são as apresentadas por Mae Mercer, no papel da empregada negra, por Geraldine Page e por Clint Eastwood.

CAA