Filmes por gênero

ENSINA-ME A VIVER (1971)

Harold and Maud
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Harold et Maude (França, Canadá)
Harold e Maude (Itália)
Harold y Maude (Espanha)
Enséñame a vivir (México)
Harold und Maude (Alemanha)
Harold og Maude (Dinamarca)
Harold és Maude (Hungria)
Гарольд и Мод (Rússia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia, Romance
Direção: Hal Ashby
Roteiro: Colin Higgins
Produção: Colin Higgins, Charles Mulvehill
Design Produção: Michael D. Haller
Fotografia: John A. Alonzo
Edição: William A. Sawyer, Edward Warschilka
Figurino: William Ware Theiss
Guarda-Roupa: Andrea E. Weaver
Maquiagem: Bob Stein
Efeitos Sonoros: William Randall, Frank E. Warner, James Richard, Richard Portman
Efeitos Especiais: A. D. Flowers
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1973

Elenco

Ruth Gordon Maude
Bud Cort Harold Chasen
Vivian Pickles Sra. Chasen, mãe de Harold
Cyril Cusack Glaucus
Charles Tyner Tio Victor
Ellen Geer Sunshine Doré
Eric Christmas Padre
G. Wood Psiquiatra
Judy Engles Candy Gulf
Shari Summers Edith Phern
Tom Skerritt Patrulheiro na motocicleta
Susan Madigan Namorada
Ray K. Goman Policial
Gordon De Vol Policial
Harvey Brumfield Policial
Philip Schultz Médico
Sonia Sorrell Enfermeira-Chefe
Henry Dieckoff Mordomo
Margot Jones Estudante de enfermagem
Marjorie Eaton Madame Arouet

Prêmios

Festival Internacional de Valladolid, Espanha

Prêmio Espiga de Ouro (Hal Ashby)

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Revelação Masculina (Bud Cort)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Musical ou Comédia (Bud Cort)

Prêmio de Melhor Atriz em um Musical ou Comédia (Ruth Gordon)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Harold Chasen, um rapaz de 20 anos, filho de uma mulher rica e dominadora, tem uma fixação pela morte e suas principais diversões são simular suicídios e ir a funerais.  Ele chega a falar para o seu psiquiatra que já participou de cerca de 15 tentativas de suicídio.  Maude é uma mulher de 79 anos que mora em um vagão abandonado e é adepta de uma filosofia hedonista.  Como Harold, ela também costuma freqüentar funerais.  A grande diferença é que, enquanto Harold é obcecado pela morte, Maude é fascinada pelo grande ciclo da vida.

Os dois se conhecem durante um funeral e começam a  formar uma sólida amizade entre eles.  Maude, com toda a sua energia positiva e incansável vontade de viver, ensina ao revoltado Harold a curtir cada pequeno momento da vida, mostrando-lhe o direito à liberdade, bloqueado pelo autoritarismo da mãe.  Por outro lado, a rebeldia de Harold, demonstrada por sua hilária obsessão pela morbidez, valendo-se de um inconfundível humor-negro, acaba por fazer Maude encarar a morte de maneira mais divertida.

Depois de rejeitar três tentativas da mãe de fazê-lo casar-se com moças de sua preferência, os apelos do seu tio Victor em direção ao exército e de cometer falsos suicídios, Harold, com seu carro fúnebre e suas idéias negativistas, anuncia que vai casar-se com Maude.

Entretanto, Maude tem uma surpresa para Harold que vai mudar sua vida para sempre.

imagem imagem imagem

Comentários

"Ensina-me a Viver" é um belíssimo filme que trata das relações interpessoais de forma poética e bem-humorada, levando o público a refletir um pouco sobre a vida e a morte, principalmente sobre como se deve encarar e levar a vida.  Com um forte teor psicológico, o filme encanta a quem o assiste, tornando-se difícil alguém não se emocionar com a relação entre os dois personagens principais.

A veterana atriz Ruth Gordon dá um show de interpretação como Maude, uma senhora de 79 anos.  Por outro lado, por sua interpretação, o ator Bud Cort foi agraciado pela Academia Britânica com o prêmio revelação do ano.  A química entre os dois atores é perfeita.

O diretor Hal Ashby realiza um belo trabalho, conseguindo muito bem balancear comédia, humor negro e uma épica história sobre a vida.  Destacam-se, ainda, o roteiro, a trilha sonora e os cenários.  Em relação à trilha sonora, apenas em alguns poucos momentos, a música de Cat Stevens parece inadequada à situação.  Com relação aos cenários, o filme consegue utilizar alguns bucólicos e sombrios cenários para acentuar a melancolia de Harold, enquanto, por outro lado, os mesmos são contrapostos com a divertida moradia de Maude.

Para finalizar, diria que a melhor parte de "Ensina-me a Viver" é a sua mensagem sobre a vida.

CAA