Filmes por gênero

ENTRE DEUS E O PECADO (1960)

Elmer Gantry
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O falso profeta (Portugal)
Elmer Gantry, le charlatan (França, Bélgica)
Il figlio di giuda (Itália)
El fuego y la palabra (Espanha)
Elmer Gantry - Gott ist im Geschäft (Alemanha)
Elmer Gantry, ni bendito ni maldito (México)
Элмер Гантри (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Richard Brooks
Roteiro: Richard Brooks
Produção: Bernard Smith
Música Original: André Previn
Direção Musical: Kenyon Hopkins
Fotografia: John Alton
Edição: Marjorie Fowler
Direção de Arte: Edward Carrere
Figurino: Dorothy Jeakins
Guarda-Roupa: Joan Joseff
Maquiagem: Robert J. Schiffer, Harry Maret
Efeitos Sonoros: Fred J. Brown, Harry D. Mills
Nota: 8.7
Filme Assistido em: 1961

Elenco

Burt Lancaster Elmer Gantry
Jean Simmons Irmã Sharon Falconer
Arthur Kennedy Jim Lefferts
Dean Jagger William ' Bill' L. Morgan
Shirley Jones Lulu Bains
Patti Page Irmã Rachel
Edward Andrews George Babbitt
John McIntire Reverendo John Pengilly
Hugh Marlowe Reverendo Philip Garrison
Philip Ober Reverendo Planck
Everett Glass Reverendo Brown
Wendell Holmes Reverendo Ulrich
Michael Whalen Reverendo Phillips
Barry Kelley Capitão de Polícia Holt
Joe Maross Pete
Dayton Lummis Sr. Eddington
Rex Ingram Pregador da Congregação Negra
Peter Brocco Benny, fotógrafo
John McKee Repórter fotográfico
John Qualen Sam
Jean Willes Prostituta
Sally Fraser Prostituta
Barbara Luna Prostituta
William H. O'Brien Condutor do trem

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (Burt Lancaster)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Shirley Jones)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Richard Brooks)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator (Burt Lancaster)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Burt Lancaster)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Drama

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator em um Drama (Burt Lancaster)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante (Shirley Jones)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Richard Brooks )

National Board of Review, USA

Prêmio NBR dos 10 Melhores Filmes

Prêmio NBR de Melhor Atriz Coadjuvante (Shirley Jones)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme (Bernard Smith )

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (André Previn )

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme (Richard Brooks)

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Jean Simmons)

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (Burt Lancaster)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Direção (Richard Brooks)

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Jean Simmons)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Shirley Jones)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Richard Brooks)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Jean Simmons)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1920, Elmer Gantry, um caixeiro-viajante, leva uma vida habituada aos hotéis imundos e às noites de bebedeiras e de amor sem futuro.  Embora seja um profundo conhecedor da Bíblia, fruto de uma rigorosa educação religiosa e de uma formação abortada de seminarista, sua carreira não lhe oferece maiores perspectivas.

Quando cruza o caminho da Irmã Sharon Falconer, uma evangelista pregando no meio rural, ele vislumbra a possibilidade de mudar de vida.  À frente de um grupo de pregadores que dirige como uma verdadeira chefe de empresa, no que é assessorada por William ' Bill' Morgan, a Irmã Sharon impressiona o caixeiro-viajante, através de seus sermões repletos de fé e de compaixão, quando exorta os fiéis a se converterem.

Ele a procura e lhe oferece seus serviços, oportunidade em que ela decide lhe dar uma chance.  Em pouco tempo, Elmer se revela um pregador fora do comum, ganhando notoriedade.  Os dois juntos conseguem bastante dinheiro.  Ela realiza seu grande sonho de ter seu próprio templo.

Quando é atacado por um jornal em Zenith, Elmer convoca os fiéis para limparem a cidade dos cassinos clandestinos e dos bordéis.  Assim, uma legião de fanáticos, empunhando tochas, começam a destruir vários estabelecimentos, tendo Elmer como seu grande incentivador.  Num dos bordéis, ele encontra Lulu Bains, a jovem filha de um diácono por ele seduzida, em plena igreja, em 1917, fato que lhe valeu sua expulsão do seminário.  Ao reconhecê-la, ele faz com que alguns policiais, que os acompanham, as poupem.

A Irmã Sharon, que já vinha sendo assediada por ele, o convida finalmente para um piquenique a dois.  Logo depois, Elmer recebe um telefonema de Lulu, agradecendo-lhe por sua intervenção no bordel.  Na ocasião, ele lhe pede seu endereço e, à noite, a visita.  Embora não tenha nenhuma atitude condenável, é fotografado quando Lulu o beija e quando ela aceita um dinheiro que ele lhe oferece como ajuda.

Na manhã seguinte, quando se prepara para sair com Sharon para o piquenique, Bill chega com as fotos mandadas tirar por Lulu, acompanhadas de um pedido de extorsão de US$ 25 mil, a serem entregues pessoalmente por Sharon até as 14 horas.  Na hora estabelecida, a Irmã vai ao encontro marcado levando o dinheiro.  Entretanto, Lulu não está interessada no mesmo, que ela chuta com um pontapé, e sim em desacreditar e humilhar quem a seduziu anos atrás.

No dia seguinte, os jornais estampam as fotos na 1ª página.  À noite, quando da realização do culto, a igreja está quase vazia.  Os poucos que ali se encontram, cobrem Elmer com ovos que lhe são arremessados, além de promoverem um quebra-quebra geral.  Lulu assiste a tudo, mas demonstra arrependimento.

Quando tudo parece estar perdido e Elmer se prepara para ir embora, seu amigo e jornalista Jim Lefferts chega com a última edição do jornal para o qual escreve, mostrando a entrevista dada livremente por Lulu, inocentando-o de todo o ocorrido.

imagem

Comentários

"Elmer Gantry" é um excelente filme.  Escrito e dirigido pelo cineasta Richard Brooks, o filme nos oferece uma das figuras mais marcantes do cinema americano.  Grande sedutor e manipulador, Gantry constitui o arquétipo do pregador corrompido, numa sociedade doente de seus valores, numa sociedade onde os princípios morais foram absorvidos pela cultura do espetáculo e do lucro.

O trabalho de Brooks, tanto como roteirista quanto como diretor, é impecável.  Os diálogos são extremamente inteligentes.  Tal trabalho é ressaltado, realçado por uma bela trilha sonora, um bom design de produção e magníficas interpretações.

Por suas maravilhosas atuações, Burt Lancaster e Shirley Jones foram agraciados, respectivamente, com os Oscars de Melhor Ator e de Melhor Atriz Coadjuvante.  Jean Simmons também merecia uma estaueta mas, por outro lado, foi indicada ao Prêmio de Melhor Atriz, pela Academia Britânica de Cinema.  No elenco de suporte, merecem ainda ser destacadas as interpretações dos atores Arthur Kennedy e Dean Jagger.

CAA