Filmes por gênero

FULANINHA (1986)

imagem

Ficha Técnica

Pais: Brasil
Gênero: Comédia
Direção: David Neves
Roteiro: David Neves, Onézio Paiva
Produção: Carlos Molleta, Paulo Thiago
Música Original: Sérgio Saraceni
Fotografia: Antônio Penido
Edição: Marco Antônio Cury
Direção de Arte: Paulo Dubois
Figurino: Isabel Paranhos
Maquiagem: Miro Messias
Efeitos Sonoros: Denise Fontoura, José Luiz Sasso
Nota: 7.4
Filme Assistido em: 1988

Elenco

Mariana de Moraes Ana Maria / Fulaninha
Marcos Palmeira Rubinho
Carlos Marzo Bruno
Kátia D'Ângelo Rose, mãe de Fulaninha
Roberto Bonfim Canela
José de Abreu Jardel
Flávio São Thiago Emílio
Nelson Dantas Porteiro
Paulo Villaça Dr. Armando
Zaíra Zambelli Sulamita
Monique Lafond Mulher da Boate
Mário Petráglia Sabonete
Gilson Moura Delegado
Ivan Setta Policial
Paschoal Villaboin Seu Antônio
Mário Tupinambá Camarão

Prêmios

Festival de Gramado, Brasil

Kikito de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante (Flávio São Thiago)

Indicações

Festival de Gramado, Brasil

Kikito de Ouro de Melhor Filme (David Neves)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Bruno é um cineasta quarentão que vive uma crise existencial.  Freqüentemente, ele se reúne com um grupo de amigos no Bar do Camarão, em Copacabana, onde as conversas são postas em dia, as mentiras são contadas, as desculpas pelas brigas e bebedeiras são aceitas ou não e as cobranças pessoais são feitas em meio a doses duplas de uísque e bolinhos de bacalhau.

Sempre que o grupo está reunido, passa pela calçada uma bela adolescente, que logo chama a atenção de Bruno, o que faz com que este passe a segui-la e a filmá-la apaixonadamente pelas ruas, com sua câmera de vídeo.  Ela passa a ser sua musa inspiradora para um novo filme que pretende rodar.

Entre os habituais amigos que se encontram no Bar, estão: Canela, um produtor picareta de vídeos pornôs, que mantém um pequeno estúdio num dos prédios da Rua Prado Júnior, no que é ajudado por Sulamita;  Jardel, um gigolô atormentado pelos problemas sexuais de sua mulher endinheirada, que intermedia um contato com um possível financiador paulista para o filme de Bruno;  Hermínio, um advogado que vive constantemente bêbado, e que espera angustiado a sentença judicial que poderá fazê-lo perder sua herança para um primo, o que o obrigará a voltar a trabalhar.  Eles passam a chamar a jovem de Fulaninha, cujo nome verdadeiro é Ana Maria.

No prédio onde fica o estúdio de Canela,  morre um morador e a polícia retira o corpo.  O delegado interroga o porteiro do edifício, o qual aponta Dr. Armando como aquele que teria sido o último a conversar com a vítima.

Fulaninha encontra o namorado, fabricante de pranchas de surfe.  Armando chega com Rose, sua amante, e conversa com o delegado, que o considera suspeito do crime.  Rose, que também é mãe de Fulaninha, tem uma discussão com Armando.  Ela diz sentir-se muito sozinha desde a morte de seu marido.

Durante uma filmagem no estúdio de Canela, chega Fulaninha que diz querer ser atriz.  É aconselhada a procurar Bruno, que tem boas intenções, ao contrário dos outros que são cafajestes.

Armando chega no prédio de Rose e faz escândalo ao não conseguir falar com ela.  No outro dia, os dois discutem.  Rose sai apressada.  Bruno tenta consolá-la e os dois combinam de se encontrar. Assistem juntos a um filme e se beijam.

Armando é preso. Rose e Bruno iniciam um namoro. Bruno termina finalmente seu roteiro e se espanta ao descobrir que Rose é mãe de Ana Maria.  Rose fica com ciúmes, enquanto Bruno consegue fazer seu filme.

imagem

Comentários

"Fulaninha" é uma deliciosa comédia nacional, a segunda que o cineasta David Neves realiza sobre a Zona Sul carioca.  A primeira foi "Muito Prazer", em 1979.

Neste filme, os personagens principais são o cineasta, Bruno, e a adolescente, Fulana de Tal, esta última vivida por Mariana de Moraes, neta do grande poeta, Vinícius de Moraes.

Com música de Paulinho da Viola, "Fulaninha" apresenta ótimas seqüências como, por exemplo, uma em que Canela, enciumado com Sulamita, a agride e explode com seus amigos.

Enfim, trata-se de um bom entretenimento que merece ser visto.

CAA