Filmes por gênero

HAMLET (1948)

Hamlet
imagem

Ficha Técnica

Pais: Reino Unido
Gênero: Drama
Direção: Laurence Olivier
Roteiro: Laurence Olivier
Produção: Laurence Olivier, Reginald Beck, Anthony Bushell
Design Produção: Roger K. Furse
Música Original: William Walton
Fotografia: Desmond Dickinson
Edição: Helga Cranston
Direção de Arte: Carmen Dillon
Figurino: Elizabeth Hennings
Guarda-Roupa: Elizabeth Hennings, Barbara Gillett
Maquiagem: Tony Sforzini
Efeitos Sonoros: John W. Mitchell, L.E. Overton, Harry Miller
Efeitos Especiais: Henry Harris, Paul Sheriff, Jack Whitehead
Nota: 9.1
Filme Assistido em: 1951

Elenco

Laurence Olivier Hamlet, Príncipe da Dinamarca
Jean Simmons Ophelia, filha de Polonius
Felix Aylmer Polonius, Lord Chamberlain
Basil Sydney Claudius, o rei
Terence Morgan Laertes, filho de Polonius
Peter Cushing Osric
Niall MacGinnis Capitão de Mar
Stanley Holloway Coveiro
John Gielgud Voz do Fantasma
Esmond Knight Bernardo
John Laurie Francisco
Anthony Quayle Marcellus
Eileen Herlie Gertrude, a rainha
Norman Wolland Horatio, amigo de Hamlet
Patricia Davidson Lady da Côrte
Russell Thorndike Padre

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Ator (Laurence Olivier)

Oscar de Melhor Figurino em Branco e Preto (Roger K. Furse)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Roger K. Furse, Carmen Dillon )

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Filme Europeu (Laurence Olivier)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Laurence Olivier)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator (Laurence Olivier)

Prêmios Bambi, Alemanha

Prêmio Bambi de Melhor Atriz Internacional (Jean Simmons)

Círculo dos Roteiristas de Cinema, Espanha

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Festival Internacional de Veneza, Itália

Grande Prêmio Internacional (Laurence Olivier)

Prêmio Internacional de Melhor Atriz (Jean Simmons)

Prêmio Internacional de Melhor Fotografia (Desmond Dickinson)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (Laurence Olivier)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Jean Simmons)

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (William Walton)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme Britânico

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Laurence Olivier)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O príncipe Hamlet, filho do rei da Dinamarca, sente-se deprimido quando perde o pai.  Seu tio, Claudius, casa-se logo a seguir com sua mãe, a rainha Gertrude, e se torna o novo rei.

Pouco tempo depois, Hamlet se depara com o fantasma do pai, que lhe revela ter sido assassinado por Claudius e lhe pede vingança.  Atormentado com tanta tristeza, é ainda alvo de membros da família que tentam convencê-lo de que está ficando louco.

Paralelamente, ele se sente apaixonado pela jovem Ophelia, filha de Polonius, conselheiro de Claudius e Gertrude, e irmã mais nova de seu grande amigo, Laertes.  Ao tomar conhecimento do romance, Polonius tenta intrigá-lo com o fim de fazer com que o príncipe deixe de fazer a côrte à sua filha.

Quando Hamlet procura a mãe para falar de suas suspeitas, segundo as quais Claudius teria assassinado seu pai, ele termina matando acidentalmente Polonius, que a tudo escutava às escondidas.  A infeliz morte do conselheiro de Claudius dá a este o pretexto para afastá-lo do reino.  Hamlet é, então, enviado para a Inglaterra.  Ao mesmo tempo, Laertes regressa do exterior, onde estudava, quando toma conhecimento da morte do pai e da doença da irmã que, não suportando o fato de seu pai ter sido morto pelo seu grande amor, vive mergulhada numa profunda tristeza e sofrendo de desmaios.

Ao retornar à Dinamarca, Hamlet se depara com o funeral de Ophelia.  Aproveitando-se da situação, o rei Claudius convence Laertes a convidar Hamlet para uma exibição, onde os dois lutariam com espadas.  Por orientação do rei, Laertes prepara sua espada com veneno em sua extremidade.

No dia combinado, com a Corte reunida, inicia-se a luta.  Após alguns passos, Laertes fere Hamlet no ombro com sua espada envenenada.  Enraivecido, este consegue igualmente ferir seu oponente com a mesma espada.  Nesse instante, a rainha Gertrude grita que fora envenenada.  Ela tinha inadvertidamente bebido um vinho com veneno, preparado por Claudius para Hamlet, caso este saísse com vida da luta.

Embora ferido, Hamlet, suspeitando de traição, ordena que todas as portas sejam fechadas.  Laertes, então, diz ser ele o traidor e que Hamlet não tem mais que meia hora de vida, já que não há nenhum tipo de medicamento que possa curá-lo.  Em seguida, pedindo perdão a Hamlet, morre, com suas últimas palavras acusando o rei Claudius de ser o responsável por toda essa tragédia.  Hamlet, então, vira-se para o tio e crava a espada envenenada no coração do rei, cumprindo, assim, a promessa de vingança feita ao pai.  A seguir, chama seu amigo Horatio, que assistira a tudo, e lhe pede que conte sua história para todo o mundo.

imagem

Comentários

"Hamlet", de Laurence Olivier, é um excelente filme, considerado por muitos críticos como a melhor adaptação da clássica peça de Shakespeare e a grande referência pela qual as futuras versões serão julgadas.

Para muitos, Olivier é considerado o maior ator de todos os tempos, e esse conceito é fortemente baseado em sua atuação em "Hamlet".  A bela Jean Simmons, na época com apenas 19 anos, faz a maravilhosa Ophelia, sendo premiada no Festival de Veneza e recebendo uma indicação ao Oscar.

Além de atuar e de escrever o roteiro, Olivier dirige o filme com um estilo extremamente refinado.  Merecem ainda destaques a ótima música de William Walton, a brilhante fotografia de Desmond Dickinson e o maravilhoso Design de Produção.

CAA