Filmes por gênero

INFERNO Nº 17 (1953)

Stalag 17
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Inferno na Terra (Portugal)
Stalag 17 - L'inferno dei vivi (Itália)
Traidor en el infierno (Espanha)
Infierno 17 (Argentina)
Infierno en la tierra (México, Uruguai, Venezuela)
Fångläger nr 17 (Suécia)
Bag pigtråd i Stalag 17 (Dinamarca)
Vankileiri 17 (Finlândia)
Лагерь для военнопленных No17 (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, 2ª Guerra Mundial
Direção: Billy Wilder
Roteiro: Billy Wilder, Edwin Blum
Produção: Billy Wilder
Música Original: Leonid Raab
Fotografia: Ernest Laszlo
Edição: George Tomasini
Direção de Arte: Hal Pereira, Franz Bachelin
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Harold Lewis, Gene Garvin
Efeitos Especiais: Gordon Jennings
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1955

Elenco

William Holden Sgt. J. J. Sefton
Don Taylor Ten. James Dunbar
Otto Preminger Coronel von Scherbach
Robert Strauss Sgt. Stanislaus Kuzawa
Harvey Lembeck Sgt. Harry Shapiro
Richard Erdman Sgt. 'Hoffy' Hoffman
Peter Graves Sgt. Frank Price
Neville Brand Duke
Sig Ruman Sgt. Johann Schulz
Michael Moore Sgt. Manfredi
Peter Baldwin Sgt. Johnson
Robinson Stone Joey
Robert Shawley Sgt. Peterson
William Pierson Marko, o carteiro
Gil Stratton Sgt. Clarence Harvey Cook
Jay Lawrence Sgt. Bragadian
Carl Forcht Tenente alemão
Bill Sheehan Prisioneiro de guerra
Robin Morse Prisioneiro de guerra
Bill McLean Prisioneiro de guerra
Wesley Ling Prisioneiro de guerra

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (William Holden)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (Billy Wilder)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Robert Strauss)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Billy Wilder)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator (William Holden)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de uma Comédia Americana (Billy Wilder, Edwin Blum)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Num campo para prisioneiros de guerra, o Barracão 17 é destinado a sargentos aliados.  Entre os prisioneiros, encontra-se o Sgt. J. J. Sefton, um americano de passado duvidoso, que promove apostas, nas quais o dinheiro é cigarro.  Com seus ganhos, negocia com o Sgt. Schulz, um alemão responsável pelo Barracão, alguns privilégios como, por exemplo, ovos, tudo em troca de cigarros.

Quando dois de seus companheiros tentam uma fuga através de um pequeno túnel, Sefton aposta que eles não terão êxito em sua empreitada.  Os fugitivos são apanhados e mortos.  Tal fato faz com que o Sgt. Price, eleito pelo grupo como o homem responsável pela segurança, levante a possibilidade de haver um espião entre eles, o que leva a pensar que o delator seja Sefton.  Mesmo assim, ele continua a fazer apostas, promovendo, inclusive, corrida de ratos.

Quando conseguem um pequeno rádio, para tentarem ouvir a BBC, no dia seguinte Schulz vai ao Barracão e facilmente localiza o aparelho, muito embora o mesmo estivesse muito bem escondido.  Com isso, as desconfianças aumentam ainda mais.

Certo dia, por falta de acomodações no Barracão dos Oficiais, o recém-chegado Ten. James Dunbar é enviado para o 17.  Entre os novos companheiros, ele conta ter sido responsável pela explosão de um trem de munições junto à Estação de Frankfurt.  No dia seguinte, é levado à presença do Comandante do Campo, Coronel von Scherbach, onde é torturado.

Cada vez mais desconfiado de Sefton, o grupo o espanca barbaramente.  Este, por outro lado, está mais do que nunca decidido a descobrir o verdadeiro informante.  Assim, quando certa noite, Schulz ordena que todos deixem o Barracão, Sefton consegue se esconder, permanecendo no mesmo.  É quando assiste à conversa entre Schulz e Price, descobrindo que este é um nazista infiltrado no grupo.  Descobre, ainda, que a troca de informações se dá através de uma peça de xadrez oca.

Quando o Comandante decide enviar o Ten. Dunbar, preso, para Berlim, o grupo promove uma confusão que permite ao oficial esconder-se numa caixa d'água.  A seguir, planejam uma forma de tirar Dunbar do Campo.  Uma vez concluído o plano, resolvem sortear o colega que deverá fugir com o tenente.  Price, alegando ser o homem de segurança, coloca-se como o mais habilitado a cumprir essa missão.

É quando Sefton o desmascara e é eleito aquele que tentará fugir com Dunbar.  Assim, com os cronômetros ajustados, fica estabelecido que, na hora determinada, o grupo jogará Price no pátio, para chamar a atenção dos alemães.  Dessa forma, enquanto Sefton e Dunbar estão deixando o Campo, os nazistas, acreditando tratar-se de um fugitivo, apontam e disparam suas metralhadoras contra Price.

imagem

Comentários

Baseado numa peça de sucesso de Donald Bevan e Edmund Trzcinski, "Inferno nº 17" é um ótimo drama de guerra com alguns momentos de humor.  Particularmente, acredito que se não fosse recheado com seqüências típicas de comédia, o resultado teria sido ainda melhor.

Produzido e dirigido por Billy Wilder, que também participou da elaboração do seu roteiro, o filme não chega a ser um clássico, mas é sem dúvida imperdível, principalmente para os admiradores do gênero.  Wilder reescreveu uma substancial quantidade do material original, ao transformar a peça da Broadway no filme.  Sua direção é brilhante e vem, mais uma vez, mostrar porque ele é considerado um dos melhores cineastas do seu tempo.

No elenco, o maior destaque é William Holden, cuja atuação lhe rendeu o Oscar, derrotando atores de peso como Marlon Brando, por sua atuação em "Júlio César", Montgomery Clift e Burt Lancarter, por suas atuações em "A Um Passo Da Eternidade", e Richard Burton, por sua atuação em "O Manto Sagrado".  Destacam-se, ainda, Robert Strauss e Otto Preminger, entre os coadjuvantes.

CAA