Filmes por gênero

INFINITY - UM AMOR SEM LIMITES (1996)

Infinity
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Eine liebe für die unendlichkeit (Alemanha)
Infinité (Canadá)
Oändlig kärlek (Suécia)
Végtelen (Hungria)
Päättymätön rakkaus (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Biográfico, Drama
Direção: Matthew Broderick
Roteiro: Patricia Broderick
Produção: Matthew Broderick, P. Broderick, Michael Leahy, Joel Soisson
Design Produção: Bernt Amadeus Capra
Música Original: Bruce Broughton
Fotografia: Toyomichi Kurita
Edição: Elena Maganini, Bill Johnson, Amy Young
Direção de Arte: Jeffrey Tex Schell
Figurino: Mary Jane Fort
Guarda-Roupa: Jane Greenwood, Carolyn Greco, Greg Stroud e outros
Maquiagem: Rosemary Zurlo, Angela Moos
Efeitos Sonoros: Eric Flickinger, Scott Breindel, Kyle Rochlin e outros
Efeitos Visuais: Phillip Giles, Jamison Scott Goei
Nota: 7.9
Filme Assistido em: 1997

Elenco

Matthew Broderick Richard Feynman
Patricia Arquette Arline Greenbaum
Peter Riegert Mel Feynman
David Drew Gallagher Harold
Raffi Di Blasio Robert
Josh Keaton David
James Hong Abacus Adder
Melissa DeLizia Joan, jovem
Dori Brenner Tutti Feynman
Jack Lindine Sr. Greenbaum
Peter Michael Goetz Dr. Gell-Mann
Joyce Van Patten Tia Ruth
Mary Kay Wulf Tia Rose
Helene Moore Enfermeira
James LeGros John Wheeler
Jeffrey Force Richard, jovem
Zeljko Ivanek Bill Price
Laurence Haddon Médico da família
John Hammil Médico do Condado
Mary Pat Gleason Médica do Condado
Erich Anderson Gil
John Patterson Stan Ivanek
Marianne Muellerleile Enfermeira Gracie
Kristin Dattilo Joan Feynman
Corbitt Smith Henry
Geoffrey Nauffts Rob

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1934, Richard Feynman encontra-se na Faculdade, onde se destaca como um brilhante estudante de física.  Certo dia, numa reunião de amigos, conhece Arline Greenbaum, uma jovem que se achava presente, cantando e tocando piano.  Os dois sentem-se mutuamente atraídos, de modo que, a partir daquele dia, passam a estar sempre juntos.

Em 1939, já vivendo juntos e Richie cursando o último ano do Massachusetts Institute of Technology, ele a leva para um fim-de-semana em Atlantic City.  Jovens, fazem planos de longo prazo, envolvendo casamento após ele concluir seu trabalho de graduação, acreditando que terão todo o tempo do mundo.

Ao concluir o curso, entretanto, eles adiam seus planos pessoais, quando Richie consegue uma bolsa de estudos para fazer pós-graduação em Princeton.

Em 1941, o casal sai para se divertir, ocasião em que ela descobre estar com um pequeno nódulo na região do pescoço.  Depois de passar por vários exames, é diagnosticada como tendo o Mal de Hodgkin, uma doença fatal após uns dois anos.  Ao receberem o resultado de uma biópsia, no entanto, tomam conhecimento que a verdadeira doença de Arline é tuberculose, contagiosa e também fatal, porém com uma sobrevida maior, em torno de uns cinco anos.

Em 1942, Richie conclui seu curso de doutorado, em Princeton.  Sob os protestos de sua família, que receia que ele possa vir a contrair a terrível doença, casa-se com Arline um pouco antes de obter seu PhD, a fim de melhor atender às necessidades dela.  Ainda em 1942, muda-se para Los Alamos, no Novo México, onde se junta ao Projeto Manhattan, como físico.  O chefe do projeto, Dr. Robert Oppenheimer, consegue que Arline fique internada num Hospital de Albuquerque, distante 160 km de Los Alamos, o que permite a Richie poder visitá-la nos fins-de-semana.

Pouco depois do Comandante Supremo das Forças Armadas comunicar a vitória dos aliados na Europa, em março de 1945, Richie recebe um telefonema do Hospital, informando-o que Arline encontra-se em seus últimos momentos.  Ele vai à Albuquerque, onde consegue ainda falar com a esposa.  Com sua morte, ele viaja com o corpo para entregá-lo à família dela e aproveitar a ocasião para visitar seus pais.

Em 11 de julho de 1945, ele se encontra com sua família, quando seu pai recebe um telefonema de Los Alamos pedindo-lhe que dê o seguinte recado a ele: "O bebê deve chegar em 26 de julho".  Preocupado, o Sr. Feynman transmite o recado, sem saber que se trata de uma mensagem cifrada que informa que o primeiro teste da ultra-secreta bomba atômica vai-se dar naquela data, no deserto do Novo México.

imagem

Comentários

"Infinity - Um Amor Sem Limites" é um bom filme.  Realizado por Matthew Broderick que, além da direção, participou da elaboração do roteiro e interpretou o papel do Dr. Richard Feynman, o filme, embora biográfico, cobre apenas um período de onze anos da vida desse consagrado físico norte-americano, aquele que vai do momento em que conhece aquela que viria a ser sua primeira esposa, até a morte dela por tuberculose.

Na vida real, o Dr. Richard Feynman casou-se duas outras vezes, em 1952 com Mary Louise Bell, uma professora universitária, de quem se divorciou em 1956, e em 1960 com Gweneth Howarth, com quem teve um filho, Carl, e adotou uma filha, Michelle.  Em 1965, Dr. Feynman ganhou o Prêmio Nobel de Física, por seus trabalhos sobre eletrodinâmica quântica.

Em várias seqüências do filme, Richie explica à sua mulher assuntos ligados à física, envolvendo inércia, infinito, prótons, elétrons e nêutrons.  Tais passagens são interessantes porque ajudam os espectadores a compreenderem a matéria, deixando de ser um assunto enfadonho para eles.

Finalmente, "Infinity - Um Amor Sem Limites" é um filme feito para Matthew Broderick e Patricia Arquette, os quais basicamente dominam todas as cenas.  Os demais atores são verdadeiramente coadjuvantes.

CAA