Filmes por gênero

O HOMEM QUE MATOU O FACÍNORA (1962)

The man who shot Liberty Valance
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O Homem que matou Liberty Valance (Portugal)
L'homme qui tua Liberty Valance (França)
L'uomo che uccise Liberty Valance (Itália)
El hombre que mató a Liberty Valance (Espanha)
Un tiro en la noche (Argentina, México, Peru)
Der mann der Liberty Valance erschoss (Alemanha)
Mannen som sköt Liberty Valance (Suécia)
Человек, который застрелил Либерти Вэланса (Rússia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Faroeste
Direção: John Ford
Roteiro: James Warner Bellah, Willis Goldbeck
Produção: John Ford, Willis Goldbeck
Música Original: Cyril Mockridge
Direção Musical: Irvin Talbot
Fotografia: William H. Clothier
Edição: Otho Lovering
Direção de Arte: Hal Pereira, Eddie Imazu
Figurino: Edith Head
Maquiagem: Wally Westmore
Efeitos Sonoros: Charles Grenzbach, Philip Mitchell
Efeitos Visuais: Farciot Edouart
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 1963

Elenco

John Wayne Tom Doniphon
James Stewart Ransom Stoddard
Vera Miles Hallie Stoddard
Lee Marvin Liberty Valance
Edmond O'Brien Dutton Peabody
Andy Devine Xerife Link Appleyard
Ken Murray Doc Willoughby
John Carradine Maj. Cassius Starbuckle
Jeanette Nolan Nora Ericson
John Qualen Peter Ericson
Lee Van Cleef Reese
Willis Bouchey Jason Tully
Carleton Young Maxwell Scott
Woody Strode Pompey
Denver Pyle Amos Carruthers
Strother Martin Floyd
Paul Birch Prefeito Winder
Joseph Hoover Charlie Hasbrouck
Jacqueline Malouf Lietta Appleyard
Anna Lee Sra. Prescott
Tom Hennesy Buck Langhorn

Prêmios

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator em um Filme de Ação (John Wayne)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Figurino (Edith Head)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Filme de Ação

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator em um Filme de Ação (Lee Marvin)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O trem pára em Shinbone, no Velho Oeste, e dele descem o senador Ransom Stoddard e sua mulher Hallie, os quais são recebidos pelo xerife Link Appleyard.  Os dois chegam para assistirem aos funerais de um antigo amigo, Tom Doniphon.

Ao ser entrevistado pela imprensa local, Ransom decide contar que sua fama começou quando ainda era um simples advogado recém-formado.  Assim, em flashbacks, ele narra todo esse período de sua vida:

Em sua primeira viagem à Shinbone, vindo do leste, sua diligência foi assaltada por um grupo de foras-da-lei.  Ao tentar defender a Sra. Prescott, uma passageira, foi atacado pelo chefe dos assaltantes.  Para sua sorte, foi encontrado por Doniphon, um hábil vaqueiro, e levado para a cidade para ser cuidado pela namorada de Doniphon, Hallie, e por um casal sueco, Peter e Nora Ericson, que gerenciavam um restaurante.

Lá, descobriu que Liberty Valance, um famoso pistoleiro, foi o homem que o atacara, que um revólver ou um rifle era a única lei na região, e que a população sonhava com um homem como ele.  Como advogado, pretendia colocar Valance atrás das grades usando a lei e não uma arma. Essa sua pretensão foi motivo de chacota, muito embora ele fosse respeitado por seu conhecimento, seus ideais e pelo fato dele representar o progresso que desejavam para suas crianças.

Em pouco tempo, ele começou a ensinar as pessoas a ler e a escrever, a mostrar-lhes como usar o voto e a provar que não era preciso usar uma arma para ser homem.  Ranson propôs que Doniphon fosse um dos indicados à Convenção do Território, mas ele não aceitou.  Uma segunda proposta foi que ele próprio fosse indicado juntamente com o editor do jornal local, Dutton Peabody.  Um terceiro candidato, auto-indicado, foi Liberty Valance, com o intuito de defender os interesses dos grandes rancheiros.  Rejeitado fortemente, Liberty prometeu matá-lo.  Aconselhado por Doniphon a passar algum tempo fora da cidade, decidiu permanecer, principalmente depois que Peabody sofreu um atentado.  O confronto entre ele e Liberty passou a ser inevitável.  Assim, ao se encontrarem frente à frente na rua, depois de uma troca de tiros, Liberty caiu morto.

Orgulhosa pela coragem demonstrada, Hallie se apaixonou por ele, para tristeza de Doniphon.  Por julgar ter matado um homem, ele não se sentiu bem em continuar como representante do Território. Foi aí que Doniphon confessou que chegara ao local onde Liberty e ele se encontravam bem na hora em que Liberty ia puxar o gatilho.  Da sombra onde se achava, atirou com seu rifle, acertando o criminoso.

Com a consciência tranqüila, ele, Ransom, retornou à Convenção e liderou o território à condição de Estado, levando Hallie consigo.

imagem imagem imagem

Comentários

"O Homem Que Matou o Facínora" é, sem dúvida, um dos clássicos filmes de faroeste.  Realizado pelo grande cineasta John Ford, representa um marco no gênero, na medida em que mostra a passagem de um Oeste selvagem para um estado de ordem e lei.

O trabalho de Ford é consistentemente muito bom, embora a primeira meia-hora seja certamente a melhor.  "O Homem Que Matou o Facínora" apresenta, ainda, um ótimo roteiro, uma bela trilha sonora e excelentes interpretações.  Juntar num mesmo faroeste John Ford, John Wayne, James Stewart e Lee Marvin só poderia resultar num filme de qualidade.

A trama brinda o espectador com grandes momentos de suspense e emoção.

CAA