Filmes por gênero

O LEÃO NO INVERNO (1968)

The lion in winter
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Le lion en hiver (França, Canadá francês)
Il leone d'inverno (Itália)
El león en invierno (Espanha, Argentina, México)
Der löwe im winter (Alemanha)
Så tuktas ett lejon (Suécia)
Leeuw in de winter (Holanda)
Leijona talvella (Finlândia)
Løve ved vintertide (Dinamarca)
Лев зимой (Rússia)
Pais: Reino Unido, Estados Unidos
Gênero: Drama, Histórico
Direção: Anthony Harvey
Roteiro: James Goldman
Produção: Martin Poll
Música Original: John Barry
Direção Musical: John Barry
Fotografia: Douglas Slocombe
Edição: John Bloom
Direção de Arte: Peter Murton
Figurino: Margaret Furse
Guarda-Roupa: David Baker, Vi Murray
Maquiagem: Bill Lodge
Efeitos Sonoros: Simon Kaye, Chris Greenham, Gerry Humphreys
Efeitos Especiais: Wally Armitage, Garth Inns
Nota: 8.8
Filme Assistido em: 1970

Elenco

Peter O'Toole Henry II
Katharine Hepburn Eleanor d'Aquitaine
Anthony Hopkins Richard, o "Coração de Leão"
John Castle Geoffrey
Nigel Terry Príncipe John
Timothy Dalton Rei Philippe-Auguste de France
Jane Merrow Alais
Nigel Stock Capitão William Marshal
Kenneth Ives Guarda da Rainha Eleanor
O. Z. Whitehead Bispo de Durham
Fran Stafford Dama de Companhia
Ella More Dama de Companhia
Kenneth Griffith .
Henry Woolf .
Karol Hagar .
David Griffith .

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Katharine Hepburn)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (James Goldman)

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (John Barry)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Katharine Hepburn)

Prêmio Anthony Asquith de Melhor Música (John Barry)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Peter O'Toole)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Produção Estrangeira (Martin Poll)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Anthony Harvey)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Katharine Hepburn)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (James Goldman)

Grêmio dos Roteiristas da Grã Bretanha

Prêmio de Melhor Roteiro Britânico (James Goldman)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Direção (Anthony Harvey)

Oscar de Melhor Ator (Peter O'Toole)

Oscar de Melhor Figurino (Margaret Furse)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins)

Prêmio de Melhor Fotografia (Douglas Slocombe)

Prêmio de Melhor Roteiro (James Goldman )

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Chris Greenham)

Prêmio Nações Unidas (Anthony Harvey)

Prêmio de Melhor Figurino (Margaret Furse)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Anthony Harvey)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (John Barry)

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Katharine Hepburn)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Jane Merrow)

Prêmio de Melhor Roteiro (James Goldman)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Drama

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro (James Goldman)

Prêmio de Melhor Ator (Peter O'Toole)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Eleanor d'Aquitaine, ao ter anulado seu primeiro casamento com o rei Louis VII da França, em 1152, casou-se com Henry II da Inglaterra, onze anos mais novo que ela.  Mesmo casada com Henry, as regiões francesas de Tourraine, Gascogne e Aquitaine continuaram sob seu controle.  Com isso, Henry II passou a ser mais poderoso que o próprio rei da França, já que, sob seu domínio, encontrava-se ainda toda a Grã-Bretanha.

Não concordando com várias de suas decisões e cansada de suas infidelidades, principalmente com Rosamund Clifford, famosa por sua rara beleza, Eleanor liderou em 1173, juntamente com seus filhos Richard, Geoffrey e John, uma revolta contra o marido, sendo derrotada.  Como conseqüência, Henry a manteve presa na Torre de Salisbury por cerca de 10 anos.

Quatro anos antes, em 1169, a princesa Adèle de France, irmã do rei Philippe-Auguste, havia sido prometida em casamento a Richard, indo morar na Corte de Henry II.  Este tomou imediatamente posse do dote da jovem, os Condados d'Aumale e d'Eu.

Ao manter Eleanor presa na Torre, Henry II reconheceu Rosamund como sua amante mas, logo em seguida, passou a ser amante da jovem Adèle, prometida a Richard, com quem chegou a ter mais um filho ilegítimo.

A partir de 1183, começou a luta entre os três filhos para que um deles viesse a se tornar o herdeiro do trono.  Enquanto Richard era o preferido de Eleanor, Henry II manobrava para que John viesse a ser o escolhido.  Geoffrey ainda tentou conseguir apoio ao seu nome, mas não teve sucesso.

O levante de 1173, do qual participaram seus três filhos, fizeram com que Henry II organizasse uma viagem à Roma, a fim de conseguir, junto ao Papa, a anulação de seu casamento com Eleanor e a conseqüente união com Adèle.  Esta, entretanto, receava que, com a morte do monarca, seu filho viesse a ser morto por Richard.

A viagem não chegou a ser realizada.  Com a ajuda de Philippe-Auguste, Richard atacou e derrotou Henry em 4 de julho de 1189.  Dois dias depois, Henry II morria no Castelo de Chinon.  Com sua morte, Richard, o "Coração de Leão", tornou-se rei da Inglaterra.

imagem imagem imagem

Comentários

"O Leão no Inverno", inicialmente uma peça de teatro, foi cuidadosamente adaptada para o cinema por seu autor,  James Goldman.  Realizado pelo cineasta inglês Anthony Harvey, o filme apresenta uma trama que gira em torno das deliberações do rei Henry II, com o fim de fazer seu sucessor no trono da Inglaterra, bem como, das manobras dos vários príncipes e da própria rainha, na tentativa de influenciar suas decisões.

Tecnicamente, o filme é excelente, tendo o mesmo recebido merecidas 7 indicações ao Oscar, inclusive a de Melhor Filme, sendo entretanto agraciado com as estatuetas de Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Trilha Sonora e Melhor Atriz.

Katharine Hepburn e Peter O'Toole estão perfeitos em seus respectivos papéis.  Os diálogos entre eles são dignos de nota.  Anthony Hopkins, que havia estreado no cinema no ano anterior, está ótimo como Richard, o "Coração de Leão", mas longe de chegar perto das atuações de Hepburn e O'Toole.

CAA