Filmes por gênero

OPERAÇÃO FRANÇA (1971)

The french connection
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Os Incorruptíveis contra a droga (Portugal)
La filière (França)
La filière française (Canadá)
Contra el imperio de la droga (Espanha)
Contacto en Francia (Argentina, México)
Il braccio violento della legge (Itália)
French Connection - Brennpunkt Brooklyn (Alemanha)
French Connection - Lagens våldsamma män (Suécia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Ação, Crime, Suspense
Direção: William Friedkin
Roteiro: Ernest Tidyman
Produção: Philip D'Antoni, Kenneth Utt
Música Original: Don Ellis
Direção Musical: Don Ellis
Fotografia: Owen Roizman
Edição: Gerald B. Greenberg
Direção de Arte: Ben Kazaskow
Figurino: Joseph Fretwell III
Guarda-Roupa: Joseph W. Dehn, Florence Foy
Maquiagem: Irving Buchman
Efeitos Sonoros: Theodore Soderberg, Christopher Newman
Efeitos Especiais: Sass Bedig
Nota: 9.3
Filme Assistido em: 1972

Elenco

Gene Hackman Jimmy Doyle
Fernando Rey Alain Charnier
Roy Scheider Det. Buddy Russo
Tony Lo Bianco Sal Boca
Marcel Bozzuffi Pierre Nicoli
Frédéric de Pasquale Devereaux
Bill Hickman Mulderig
Ann Rebbot Marie Charnier
Harold Gary Weinstock
Arlene Farber Angie Boca
Eddie Egan Simonson
Sonny Grosso Klein
Benny Marino Lou Boca
Patrick McDermott Químico
Al Fann Informante
Randy Jurgensen Sargento da Polícia
Irving Abrahams Mecânico da Polícia
Robert Weil Leiloeiro
The Three Degrees Elas próprias
Rhina Ferrari Mulher no aeroporto
Sarina C. Grant Prostituta na rua
Maureen Mooney Jovem na bicicleta
Melonie Haller Jovem estudante
Doris McCarthy Hóspede do Hotel

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme (Philip D'Antoni)

Oscar de Melhor Ator (Gene Hackman)

Oscar de Melhor Direção (William Friedkin)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Ernest Tidyman)

Oscar de Melhor Edição (Gerald B. Greenberg)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator (Gene Hackman)

Prêmio de Melhor Edição (Gerald B. Greenberg)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Filme Estrangeiro (Philip D'Antoni)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Direção (William Friedkin)

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Gene Hackman)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator (Gene Hackman)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (William Friedkin)

Círculo dos Críticos de Cinema de Kansas City, USA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Filme (Gene Hackman)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Drama adaptado de material previamente publicado (Ernest Tidyman)

Prêmios Edgar Allan Poe

Prêmio de Melhor Filme (Ernest Tidyman)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Roy Scheider)

Oscar de Melhor Fotografia (Owen Roizman)

Oscar de Melhores Efeitos Sonoros (Chris Newman, Theodore Soderberg)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Chris Newman, Theodore Soderberg)

Prêmio de Melhor Direção (William Friedkin)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro (Ernest Tidyman )

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Ator (Gene Hackman)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Ator (Gene Hackman)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Jimmy 'Popeye' Doyle e seu parceiro Buddy 'Cloudy' Russo são dois policiais do Departamento de Narcóticos da Polícia de Nova York.  Depois de intimidarem um distribuidor de drogas, os dois vão a um clube de Manhattan tomar um drink.  Lá, eles observam e desconfiam de um casal (Sal Boca e sua mulher, Angie), que se encontra numa das mesas.  Doyle sugere seguirem de perto o tal casal.  Assim, eles seguem os dois até 7 horas da manhã, presenciam uma entrega de drogas e descobrem que eles têm um depósito.

Continuando a observá-los, os dois detetives logo percebem que o pequeno negócio de Boca não pode suportar o estilo de vida que ele e Angie levam.  Ao seguirem Boca, eles vão ter a um apartamento em Manhattan de Joel Weinstock, um rico judeu que financia a entrada de drogas ilícitas no País.  Weinstock negocia um carregamento de US$ 32milhões com o chefão das drogas na França, Alain Charnier.

Em Marselha, Charnier, esconde heroína num automóvel de uma celebridade da televisão francesa, Henri Devereaux, que involuntariamente vai acompanhar o carregamento até Nova York.

Quando Charnier chega à Nova York, em companhia de seu pistoleiro, Pierre Nicoli, para fechar o negócio, logo percebe que está sendo seguido por Doyle no metrô da cidade.  Ele consegue escapar do detetive e, tendo-o identificado, Doyle torna-se o principal alvo a ser eliminado.

Nicoli tenta matar Doyle e é perseguido por este, numa caçada que envolve um carro e um trem desgovernado do metrô.  No final dessa caçada, quando o trem é acidentado, Doyle consegue atirar em Nicoli.

Depois de uma batida no carro de Devereaux, sem resultado, Buddy descobre que o carro está com um sobre-peso de 60 kg.  Ele insiste que o mesmo tem a ver com o carregamento de heroína.  O pó é, finalmente, encontrado escondido nos painéis do automóvel, ficando provada a conexão entre Charnier e os distribuidores de drogas de Nova York.

No final:

     -  Joel Weinstock é acusado pelo Grande Juri, mas solto por falta de provas;

     -  Angie Boca, culpada por contravenção, tem a sentença suspensa;

     -  Lou Boca, culpado de conspiração e porte de narcóticos, tem sua sentença reduzida;

     -  Henri Devereaux, culpado de conspiração, é preso por 4 anos numa Penitenciária Federal;

     -  Alain Charnier nunca foi encontrado.  Acredita-se que more na França.

imagem imagem imagem

Comentários

"Operação França" é provavelmente o mais famoso policial urbano já produzido por Hollywood.  Gene Hackman e Roy Scheider estão ótimos como os policiais que lutam para desbaratar a conexão francesa de drogas que age em Nova York.  O filme é recheado de muita ação e tensão dramática.

Friedkin, graças à sua experiência em documentários, consegue passar um realismo a essa história, baseada em fatos reais, sobre a apreensão da maior quantidade de heroína na história dos Estados Unidos.

CAA