Filmes por gênero

ÓDIO CONTRA ÓDIO (1957)

The Halliday brand
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A marca do ódio (Portugal)
Il marchio dell'odio (Itália)
Von Rache getrieben (Alemanha)
Jag är lagen (Suécia)
Hehkuvaa vihaa (Finlândia)
Wild west kongen (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Faroeste
Direção: Joseph H. Lewis
Roteiro: George W. George, George F. Slavin
Produção: Collier Young
Música Original: Stanley Wilson
Direção Musical: Stanley Wilson
Fotografia: Ray Rennahan
Edição: Michael Luciano, Stuart O'Brien
Direção de Arte: David S. Garber
Guarda-Roupa: Irving Levitt
Efeitos Sonoros: Earl Snyder, Fred Hynes
Nota: 7.9
Filme Assistido em: 1959

Elenco

Joseph Cotten Daniel Halliday
Viveca Lindfors Aleta Burris
Betsy Blair Martha Halliday
Ward Bond Big Dan Halliday
Bill Williams Clay Halliday
Jay C. Flippen Chad Burris
Christopher Dark Jivaro Burris
Jeanette Nolan Nante
Peter Ortiz Manuel
John Dierkes Reverendo
I. Stanford Jolley Gentry
Glenn Strange Habitante local
Jay Lawrence Habitante local
George Lynn Habitante local
John Halloran Habitante local

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Há trinta anos, Big Dan Halliday conseguiu fazer as pazes com os índios e fundar a pequena cidade onde se tornou xerife.

Certo dia, ao chegar em casa, comenta com Daniel, seu filho mais velho, que soube que Jivaro Burris, o capataz da fazenda, tem uma mulher em seu alojamento.  Quando descobre que a tal mulher é sua própria filha, Martha, Big Dan arma para que Jivaro seja preso por um crime que não cometeu, afastando assim sua filha de um empregado e, principalmente, de um mestiço.

Como se isso não bastasse, ele sai propositadamente da cidade, a fim de permitir que seus seguidores retirem Jivaro, da cela em que se encontra, e o enforquem.  Revoltado com a atitude do pai, Daniel, que ama Aleta, irmã de Jivaro, decide ir embora.  Antes de partir, comenta com ela o que realmente ocorreu com seu irmão.

Inconformado com a decisão de Daniel, Big Dan vai procurá-lo no rancho de Chad Burris, pai de Jivaro e Aleta.  Quando Chad pede que ele se retire de sua propriedade, termina sendo morto.  Durante seu enterro, Daniel diz a Big Dan que só não o mata por ele ser seu pai.  Ao se despedir de Aleta, esta lhe diz que sua partida fará com que ela não tenha mais razão para viver.  Ele promete voltar tão logo consiga que seu pai renuncie ao cargo de xerife.

Aleta adoece e, quando está à morte, Martha a leva para sua casa, a fim de poder melhor tratá-la.

Enquanto isso, Daniel provoca o estouro da boiada do pai, libertando 3.000 cabeças de gado.  Em seguida, incendeia o celeiro da fazenda, fazendo com que todo o estoque de trigo armazenado para o inverno, seja queimado.  Daniel e Aleta se encontram, oportunidade em que ela lhe diz ser errado o que ele anda fazendo, tornando-o um fora-da-lei.

Clay, irmão mais novo de Daniel, se declara à Aleta. Esta lhe diz que não pode lhe oferecer o amor que ele merece, mas ele lhe responde que a quer mesmo assim.

Daniel encontra o pai numa estrada, onde, após brigarem, arranca a estrela-emblema de xerife, e a joga fora.  O pai passa mal, mas Clay chega ao local e o leva pra casa, enquanto Daniel vai embora.

Dias depois, Clay procura o irmão, a quem pede que volte pra fazenda, pois, à beira da morte, o pai quer ver a família reunida, além de ter permitido que ele e Aleta se casem.  Acreditando que, finalmente, o pai mudou sua forma de ser, Daniel volta em companhia do irmão.

Ao se encontrar com o pai, entretanto, descobre que ele continua o mesmo prepotente e racista que sempre foi, e que mentiu para todos como forma de atraí-lo para matá-lo.  Todos os irmãos se sentem traídos.  Com dificuldade, Big Dan se levanta da cama e, empunhando um revólver, parte para matar Daniel mas, antes de puxar o gatilho, cai morto nos braços do filho.

imagem imagem imagem

Comentários

"Ódio Contra Ódio" é um bom filme de faroeste.  Realizado pelo cineasta Joseph H. Lewis, o filme apresenta uma forte crítica ao racismo, ao papel do patriarca e aos homens-da-lei que quebram seu juramento e se tornam violentos e corruptos.

Narrado grande parte em flash-back, o filme parte de um roteiro inteligente e mostra a habilidade de Lewis como diretor.

No elenco, o maior destaque é, sem dúvida, a atuação de Ward Bond, no papel do tirânico Big Dan Halliday, seguido dos bons trabalhos apresentados por Joseph Cotten e Jay C. Flippen.  A bela atriz sueca, Viveca Lindfors, não me pareceu estar nos seus melhores dias.

Enfim, "Ódio Contra Ódio" é um filme imperdível para os amantes do gênero.

CAA