Filmes por gênero

OLGA (2004)

imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Pais: Brasil
Gênero: Biográfico, Drama
Direção: Jayme Monjardim
Roteiro: Rita Buzzar
Produção: Rita Buzzar, Carlos Eduardo Rodrigues
Design Produção: Cláudia Braga
Música Original: Marcus Viana
Fotografia: Ricardo Della Rosa
Edição: Pedro Amorim
Direção de Arte: Tiza de Oliveira
Figurino: Paulo Lóes
Maquiagem: Marlene Moura
Efeitos Sonoros: Jorge Saldanha, Alessandro Laroca, Fernando Lobo e outros
Efeitos Especiais: Sergio Farjalla Jr.
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 2004

Elenco

Camila Morgado Olga Benário
Caco Ciocler Luís Carlos Prestes
Fernanda Montenegro D. Leocádia Prestes
Floriano Peixoto Filinto Müller
Luís Mello Léo Benário
Eliane Giardini Eugénie Benário
Milena Toscano Anita Leocádia
Osmar Prado Getúlio Vargas
Mariana Lima Lygia Prestes
José Dumont Manuel
Odilon Wagner Capitão do navio
Jandira Martini Sarah
Murilo Rosa Estevan
Werner Schünemann Arthur Ewert
Renata Jesion Elise Ewert (Sabo)
Guilherme Weber Otto Braun
Eliana Guttman Enfermeira-Chefe
Oscar Simch Herr Fischer
Leona Cavali Maria
Paschoal da Conceição Dimitri Manuilski
Sabrina Greve Elza Colônio
Ranieri Gonzales Miranda
Raul Serrador Rodolfo Ghioldi
Bruno Dayrrel Victor Barron
Anderson Müller Paul Gruber
Maria Clara Fernandes Carmem
Eduardo Semerjian Galvão
Telmo Fernandes Bangu
Hélio Ribeiro Padre Leopoldo
Edgard Amorim Agildo Barata
Zé Carlos Machado Ministro da Guerra

Prêmios

Festival de Cinema de Havana, Cuba

Prêmio do Público (Jayme Monjardim)

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Direção de Arte

Prêmio de Melhor Figurino

Prêmio de Melhor Maquiagem

Indicações

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado

Prêmio de Melhor Ator (Caco Ciocler)

Prêmio de Melhor Atriz (Camila Morgado)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Eliane Giardini)

Prêmio de Melhor Som

Prêmio de Melhor Fotografia

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Filha de Eugénie Gutmann Benário, descendente de uma rica família judía, e de Léo Benário, advogado e influente personalidade do Partido Social Democrata, Olga ingressou na Juventude Comunista aos 15 anos.  Desde cedo, esteve ligada à estrutura interna do Partido Comunista Alemão, já ilegal nesse período.  Cinco anos depois, invadiu a prisão de Moabit e, numa ação ousada, resgatou o professor comunista Otto Braun durante seu julgamento.

Em 1928, Olga, junto com Otto, foi enviada pelo partido à União Soviética.  Em Moscou, recebeu treinamento militar no Exército Vermelho e foi designada pela Internacional Comunista para cuidar da segurança pessoal do Capitão Luís Carlos Prestes, na viagem que o traria de volta ao Brasil para comandar o primeiro levante comunista na América do Sul.

Em uma viagem arriscada, passando pela Europa e pelos Estados Unidos e disfarçados como um rico casal de portugueses em lua-de-mel, Prestes e Olga se apaixonaram.  Aos 37 anos de idade, o militar experiente e disciplinado se revelou um homem tímido, que nunca antes havia estado com uma mulher.

No Brasil, o casal se juntou a outros membros enviados pelo Comintern, que viviam na clandestinidade, e o grupo começou a organizar uma revolução comunista.  No entanto, o movimento foi tragicamente derrotado.  Todos os revoltosos foram esmagados pela polícia de Getúlio Vargas;  muitos foram presos e outros tantos mortos.

Em 1936, Olga e Prestes foram presos e nunca mais se viram.  O responsável pela prisão foi Filinto Müller, chefe da Polícia Militar do Distrito Federal.

E assim, Olga, grávida de sete meses, foi deportada para a Alemanha de Hitler e teve sua filha, Anita Leocádia, na prisão.  Durante todo o tempo em que ficou presa, Olga trocou correspondências com o marido e continuou pregando seus ideais de liberdade e justiça social.

Aos quatorze meses, Anita foi separada de Olga.  Entretanto, graças a uma campanha deflagrada pelos incansáveis esforços da mãe de Prestes, Dona Leocádia, a criança foi salva e entregue a ela.

Olga nunca mais voltou a ver Prestes ou sua filha.  A militante foi uma das primeiras vítimas das câmaras de gás, sendo morta na cidade de Bernburg, em 1942.

imagem imagem imagem

Comentários

Embora apresente algumas falhas, "Olga" é um ótimo filme brasileiro, que retrata o drama vivido pela judia-alemã e comunista, Olga Benário, desde o momento em que recebeu a missão de fazer com que o líder comunista brasileiro, Luís Carlos Prestes, retornasse de Moscou ao Brasil em segurança, até sua morte numa câmara de gás na Alemanha, em 1942.

Realizado por Jayme Monjardim, o filme se baseia num livro de Fernando Morais.  Com roteiro de Rita Buzzar, a trama se estende muito na relação amorosa entre Olga e Prestes, fazendo com que, o filme se torne desnecessariamente longo, com seus 141 minutos de projeção.

"Olga" tem, entre seus pontos fortes, a magnífica direção de arte, assinada por Tiza de Oliveira, e a belíssima fotografia de Ricardo Della Rosa.

O elenco conta com grandes nomes da televisão, do teatro e do cinema brasileiros, mas a história é centrada nos intérpretes de Olga e Prestes, respectivamente, Camila Morgado e Caco Ciocler.  Camila está maravilhosa, conseguindo imprimir a dramaticidade que o personagem exige.  Ciocler faz um Prestes moderado, não dando ao espectador a impressão de grande líder que ele foi.

CAA