Filmes por gênero

OS INOCENTES (1961)

The innocents
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Les innocents (França)
Suspense (Itália, Espanha)
Posesión satánica (México)
Schloß des Schreckens (Alemanha)
De oskyldiga (Suécia)
De uskyldige (Dinamarca)
Kauhujen linna (Finlândia)
Pais: Estados Unidos, Reino Unido
Gênero: Horror, Suspense
Direção: Jack Clayton
Roteiro: William Archibald, Truman Capote
Produção: Jack Clayton
Música Original: Georges Auric
Direção Musical: Lambert Williamson
Fotografia: Freddie Francis
Edição: Jim Clark
Direção de Arte: Wilfred Shingleton
Figurino: Sophie Devine
Guarda-Roupa: Brenda Gardner
Maquiagem: Harold Fletcher
Efeitos Sonoros: Buster Ambler, John Cox, Ken Ritchie
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 1962

Elenco

Deborah Kerr Srta. Giddens
Peter Wyngarde Peter Quint
Megs Jenkins Sra. Grose
Michael Redgrave O Tio
Martin Stephens Miles
Pamela Franklin Flora
Clytie Jessop Srta. Jessel
Isla Cameron Anna
Eric Woodburn O Cocheiro

Prêmios

Prêmios Edgar Allan Poe

Prêmio de Melhor Filme (William Archibald, Truman Capote)

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme Britânico

Prêmio de Melhor Filme

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Jack Clayton)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Jack Clayton)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (William Archibald, Truman Capote)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

A Srta. Giddens, filha de um pastor, é entrevistada pelo rico proprietário de uma enorme mansão em Londres.  Sendo uma pessoa muito ocupada e com uma intensa vida noturna, ele lhe diz que não tem tempo suficiente para cuidar de dois sobrinhos, Flora e Miles, de quem é tutor, deixando claro que se ela aceitar o emprego para tomar conta das crianças, será tratada como se fosse da família.

Ao chegar à mansão, rodeada de belos jardins, bosques e córregos, é recebida pela Sra. Grose, a governanta, e pela pequena Flora.  Miles ainda se encontra na escola.  Mais tarde, ao caminhar pelos jardins, Giddens ouve uma voz misteriosa, já que ninguém mais consegue ouvi-la.  À noite, ao colocar Flora na cama, ela volta a ouvir algo diferente.

No dia seguinte, toma conhecimento que Miles está sendo expulso da escola por ter ofendido vários colegas e, assim, voltando para casa.  Imaginando o trabalho que vai ter com um garoto complicado, sua ansiedade desaparece com sua chegada, pois o mesmo se mostra uma criança bem articulada e de boas maneiras, como a irmã.

À medida que os dias passam, Giddens sente que outras 'pessoas' estão rondando a propriedade, inicialmente um homem e, depois, uma mulher.  Ao descrevê-los para a Sra. Grose, fica horrorizada ao saber que se trata de dois antigos empregados, ambos falecidos:  Peter Quint, um mordomo, e a Srta. Jessel, uma governanta.  Fazendo mais perguntas sobre os dois, fica sabendo que eles mantinham uma relação licenciosa e que, de alguma forma horrível, podem ter pervertido as crianças.  Assim, ela imagina, ou pensa imaginar, que os dois espíritos inquietos voltaram para se apossarem das almas de Flora e Miles.

Convencida que as crianças também estão tendo essas visões, Giddens tenta fazer com que elas o admitam.  O emprego de um tratamento de choque em Flora resulta apenas numa explosão histérica, fazendo com que a Sra. Grose leve a garota para longe da mansão.  Consolando-se com o pensamento de que salvou a alma da pequena Flora, Giddens passa a investir na salvação de Miles.

Assim, ao voltar a se encontrar com a figura de Quint nos jardins, ela pede a Miles que diga o nome do homem que tem certeza ele também está a ver.  O garoto, pressionado, grita "Quint" e cai em seguida sem vida.  Arrasada, ela o toma em seus braços e o beija.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado no romance "The Turn of the Screw", de Henry James, "Os Inocentes" é uma mistura de estórias sobre fantasmas e horror psicológico.  Produzido e dirigido pelo cineasta Jack Clayton, que nos brinda com um excelente trabalho, sua trama prende a atenção do espectador do início ao fim.

O roteiro, muito bem estruturado e escrito, foi assinado por William Archibald e Truman Capote.  A excelente trilha sonora, de Georges Auric, e a fotografia em preto-e-branco, de Freddie Francis, ajudam a criar uma perfeita atmosfera de mistério, horror e ambigüidade da estória.

Trata-se, realmente de uma trama inteligente, na medida em que permite diferentes interpretações. Da mesma forma que se pode adotar uma linha de raciocínio, segundo a qual, a estória se passa numa mansão mal-assombrada, pode-se investir numa outra, diametralmente oposta, onde me incluo, através da qual os maus espíritos de Quint e Jessel só existiam na cabeça doente da Srta. Giddens.  Nessa hipótese, em sua loucura, ela teria assassinado Miles como forma de salvar a alma do garoto.

No elenco, de longe Deborah Kerr é o maior destaque, com uma interpretação digna de um Oscar.  Ao longo do filme, ela consegue lentamente mudar a imagem de seu personagem, de uma jovem mulher doce e simples, no início, a uma pessoa apavorada e fora de si, no final.  Aos 13 anos de idade, Martin Stephens vem, a seguir, com uma ótima atuação.  O filme marca ainda a estréia no cinema de Pamela Franklin, aos 11 anos, atriz que viria a desenvolver sua carreira em séries de televisão.

CAA