Filmes por gênero

ADÚLTERA (1946)

Le diable au corps
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Devil in the Flesh (USA)
El diablo y la dama (Espanha, Argentina, Uruguai)
Il diavolo in corpo (Itália)
Teufel im Leib (Alemanha)
Djävulen i kroppen (Suécia)
Diabel wcielony (Polônia)
Djævelen i kroppen (Dinamarca)
A test ördöge (Hungria)
Pais: França
Gênero: Drama
Direção: Claude Autant-Lara
Roteiro: Pierre Bost, Jean Aurenche
Produção: Paul Graetz
Design Produção: Max Douy
Música Original: René Cloërec
Direção Musical: Francis Salabert
Fotografia: Michel Kelber
Edição: Madeleine Gug
Figurino: Claude Autant-Lara, Monique Dumas
Maquiagem: Alex Archambault, Yvonne Fortuna
Efeitos Sonoros: William Robert Sivel
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1951

Elenco

Micheline Presle Marthe Grangier
Gérard Philipe François Jaubert
Denise Grey Madame Grangier
Jean Debucourt Sr. Jaubert
Palau Sr. Marin
Jean Lara Jacques Lacombe
Michel François René
Richard Francoeur Maître
Max Maxudian O maître da escola
Germaine Ledoyen Madame Jaubert
Jeanne Pérez Madame Marin
Jacques Tati Um oficial no Bar
André Bervil Repórter
Edmond Beauchamp Sommelier do grande restaurante
Henri Gaultier Sr. Georges, Gerente do grande restaurante
Marthe Mellot Freira
Albert Michel Vendedor
Charles Vissière Anselme
Maurice Lagrenée Médico
Jean Berton Barman
Raymond Destac Inspetor do Liceu

Prêmios

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Filme Estrangeiro (Claude Autant-Lara)

Indicações

Festival Internacional de Veneza, Itália

Grande Prêmio Internacional (Claude Autant-Lara)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Enquanto os sinos dobram por conta do armistício da 1ª Guerra Mundial (1914 - 1918), Marthe Lacombe é sepultada.  François Jaubert, abatido pela tristeza, recorda-se...

Em 1917, Marthe trabalhava com enfermeira de um Hospital Militar, em Nogent-sur-Marne, enquanto ele era estudante.  Ao se conhecerem, os dois sentiram-se atraídos um pelo outro, muito embora ela fosse noiva de Jacques Lacombe, um soldado que se encontrava lutando no front.

Tomando conhecimento do caso, Madame Grangier, que desejava fortemente o casamento, pediu a François que se afastasse da filha.  Desgostoso, ele não compareceu a um encontro marcado com Marthe.

Alguns meses depois, eles se reencontraram.  Marthe, embora já se achasse casada com Jacques, percebeu que, em nenhum momento, deixou de amar François, e os dois se tornaram amantes.  Os vizinhos cochichavam.  Certo dia, Marthe lhe disse que se achava grávida dele e lhe pediu para assumir suas responsabilidades de pai, mas ele se mostrou fraco e indeciso.

O fim da guerra estava próximo.  Madame Grangier mandou sua filha para a Bretanha.  François a acompanhou até Paris, onde os dois revisitaram os lugares onde foram felizes.

Quando do anúncio do armistício, Marthe sentiu as primeiras dores do parto.  Ela retornou à sua casa e morreu ao dar à luz a seu filho.  Seu marido encontrava-se presente quando ela pronunciou o nome de François.  Madame Grangier apressou-se a dizer que Marthe gostaria que esse nome fosse dado ao seu filho.

imagem

Comentários

Baseado no livro de Raymond Radiguet, "Adúltera" é um dos clássicos do cinema francês.  Realizado pelo cineasta Claude Autant-Lara, o filme se passa no final da 1ª Guerra Mundial e conta a história de Marthe, uma jovem comprometida que se apaixona por um rapaz bem novo.

A direção de Claude Autant-Lara é consistentemente boa, o que o levou a ser indicado ao Prêmio Leão de Ouro do Festival de Veneza.

Micheline Presle e Gérard Philipe estão muito bem nos papéis principais.  Ele está ótimo quando passa uma tristeza profunda pela morte de sua amada, ao mesmo tempo em que todos que o rodeiam festejam alegremente o anúncio do armistício.

CAA