Filmes por gênero

AMA-ME OU ESQUECE-ME (1955)

Love me or leave me
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Les pièges de la passion (França)
Amami o lasciami (Itália)
Quiéreme o déjame (Espanha)
Tyrannische Liebe (Alemanha)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Biográfico, Drama, Música
Direção: Charles Vidor
Roteiro: Isobel Lennart, Daniel Fuchs
Produção: Joe Pasternak
Música Original: George E. Stoll, Robert Van Eps
Direção Musical: George Stoll
Fotografia: Arthur Arling
Edição: Ralph Winters
Direção de Arte: Cedric Gibbons, Urie McCleary
Figurino: Helen Rose
Maquiagem: William Tuttle
Efeitos Sonoros: Wesley Miller
Efeitos Especiais: Warren Newcombe
Nota: 7.8
Filme Assistido em: 1957

Elenco

Doris Day Ruth Etting
James Cagney Martin Snyder
Cameron Mitchell Johnny Alderman
Robert Keith Bernard Loomis
Tom Tully Frobisher
Harry Bellaver Georgie
Peter Leeds Fred Taylor
John Harding Greg Trent
Dorothy Abbott Dançarina
Robert Carson Gerente da Estação de Rádio
Claude Stroud Eddie Fulton
Richard Gaines Paul Hunter
Shirley Wilson Corista
Larri Thomas Corista
Winona Smith Corista
Patti Nestor Corista
Benny Burt Gerente de palco
John Damler Repórter
Robert R. Stephenson Garçom
Jimmy Cross Fotógrafo
Henry Randolph Fotógrafo
Roy Engel Repórter

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor História Original

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (James Cagney)

Oscar de Melhor Roteiro

Oscar de Melhor Canção Original (I'll Never Stop Loving You)

Oscar de Melhor Trilha Sonora

Oscar de Melhor Gravação de Som

Sinopse

Na Chicago dos anos 20, o mafioso Martin Snyder descobre a bela e jovem Ruth Etting, a quem dá seu cartão de visitas com promessa de ajudá-la em sua carreira.  Embora possua uma magnífica voz, Ruth consegue inicialmente trabalho como uma das coristas de um Clube Noturno.

Ao pianista Johnny Alderman, que observa não ser ela uma boa dançarina, ela confidencia que está ali por precisar de dinheiro, pois, na verdade, ela é uma cantora.  Logo depois, Martin chega dizendo-lhe que eles vão viajar para a Flórida, com o que ela não concorda.  Embora não saiba receber um 'não' de ninguém, ele contrata os serviços de Johnny para ministrar aulas de canto à Ruth, na esperança de que, em sinal de reconhecimento, ela mude de idéia e decida ir para a Flórida.

Logo na primeira aula, Johnny constata que Ruth é uma excepcional cantora, pronta para subir em qualquer palco.  Após ouvir os elogios de Johnny, Martin consegue que ela substitua a principal atração de um Clube Noturno.  O resultado é um sucesso retumbante.

Numa de suas apresentações, encontra-se presente o Sr. Bernard Loomis, da Agência Roger Black de Nova York.  Ele quer agendá-la para uma boate chamada "The Black Cat".  Martin é contra por achar que não é o melhor para ela.  Johnny a procura para dizer-lhe que deveria ter aceito a proposta de Loomis, talvez o melhor dos agentes do país.  Adicionalmente, tenta mostrar-lhe que ela está se tornando escrava de Martin.  Os dois se beijam, mas ela não cede aos argumentos dele.

Depois que ela se apresenta numa das melhores rádios de Chicago, Martin fecha um contrato com Loomis para sua apresentação no "Ziegfeld Follies" de Nova York.  Quando Martin procura Johnny para que ele a acompanhe, este lhe responde que não vai para Nova York e sim para Los Angeles, e que ele, Martin, não passa de um vigarista barato que gosta de mandar nos outros.

A apresentação de Ruth no "Ziegfeld Follies" é arrasadora.  Num dos intervalos, o sempre mandão Martin tenta ir ao seu camarim e acaba expulso do teatro.  Como ato de represália, ele quebra o contrato e a obriga a se casar com ele.  Após a cerimônia, desejando-lhe dar uma jóia caríssima, ela lhe diz que não precisa comprá-la, pois ela já se vendeu.

A seguir, com a ajuda de Loomis, Martin consegue que ela inicie uma brilhante turnê.  Em Buffalo, ela estabelece recordes de público.  Em Miami, apresenta-se com cachês altíssimos.  A seguir, ele consegue um contrato para que ela participe de uma produção cinematográfica em Hollywood.  Apesar de todo esse sucesso, Ruth sente-se infeliz e começa a beber.  Johnny lhe telefona dizendo-lhe que soube que os dois vão trabalhar juntos no novo filme de Paul Hunter.

Ao chegar aos Estúdios para falar com o Sr. Hunter, Martin dá de cara com Johnny, o Diretor Musical.  A presença do maestro e pianista incomoda o mafioso.  Assim, ele procura o Sr. Hunter para lhe dizer que Ruth exige a substituição de Johnny.  Procurada por Hunter, entretanto, ela desmente a informação.  Tal fato gera novo desentendimento com o marido e Ruth não volta para casa naquela noite.  Já de manhã, o telefone toca para dizer-lhe que ela se acha no escritório de Loomis e que quer vê-lo em uma hora.  Ao chegar lá, ela lhe pede formalmente o divórcio.

O fato de Johnny ter permanecido na produção de Hunter havia feito com que Martin colocasse todo seu dinheiro na aquisição e reforma de uma boate, pois sua idéia era a de tirar Ruth do filme para que ela passasse a se apresentar apenas em um estabelecimento de sua propriedade, onde ele pudesse mandar e desmandar.  O pedido de divórcio complica, assim, seus planos.

Certo dia, ao sair do Estúdio de gravação, Johnny quer levá-la até a casa dela, mas Ruth não aceita a proposta, dizendo-lhe que, se vale como consolo, ela o ama.  Diante de tal declaração, ele a segue e a alcança quando ela se prepara para entrar em casa.  Ainda no jardim, os dois se despedem com um beijo e, ao se retirar, Johnny é atingido por duas balas disparadas por Martin, que se achava escondido num recanto.

Ruth leva Johnny até o hospital, onde permanece por toda a noite.  Enquanto isso, Martin é levado preso.  No dia seguinte, ela vai visitá-lo na prisão, pois deseja ajudá-lo.  Mesmo arruinado com as obras da boate, ele a expulsa do local.

Ruth resolve casar-se com Johnny mas, reconhecendo que muito de seu sucesso ela deve a Martin, decide bancar todas as despesas para a abertura da boate.  Na noite de sua estréia, ela paga a fiança exigida pela justiça para soltura de Martin.  Um de seus homens de confiança vai buscá-lo na prisão, não revela quem pagou a fiança e o leva diretamente para a boate.  Ao se aproximar do local, para sua surpresa, ele lê o anúncio luminoso onde está escrito: "Martin Snyder apresenta Ruth Etting"

imagem imagem imagem

Comentários

"Ama-me ou Esquece-me" é um ótimo filme.  Realizado pelo grande cineasta Charles Vidor, trata da dramática história de uma famosa cantora americana,  Ruth Etting, e de sua conturbada relação com um mafioso de Chicago.

Partindo de um excelente roteiro baseado na premiada história de Daniel Fuchs, Vidor apresenta uma direção consistentemente boa, do início ao fim.

A fotografia de  Arthur Arling é excelente, tendo sido utilizado o processo Cinemascope.  A trilha sonora, por outro lado, é simplesmente fantástica.  Aliás, por seu magnífico nível, em diversos quesitos, "Ama-me ou Esquece-me" recebeu 6 indicações ao Oscar, tendo tendo sido agraciado com a estatueta de Melhor História.

Como de costume, James Cagney está perfeito no papel do mafioso Martin Snyder.  Entretanto, o grande nome desse filme é a maravilhosa Doris Day.  Ela canta uma dezena de canções, com grande sentimento e emoção, dança e apresenta uma atuação digna de um Oscar.  Entre os números musicais, acham-se "Ten Cents a Dance", "Never Look Back", "I'll Never Stop Loving You" e, principalmente, "Shakin' the Blues Away", no Ziegfeld Follies de Nova York, e "Love Me or Leave Me", nas seqüências finais.

Merecem ser destacadas, ainda, as ótimas atuações de Cameron Mitchell e Robert Keith, entre os atores coadjuvantes.

CAA