Filmes por gênero

AMAR E MORRER (1958)

A time to love and a time to die
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Tempo para amar e tempo para morrer (Portugal)
Le temps d'aimer et le temps de mourir (França)
Tempo di vivere (Itália)
Tiempo de amar, tiempo de morir (Espanha)
Zeit zu leben und Zeit zu sterben (Alemanha)
Tid att älska, dags att dö (Suécia)
Czas zycia i czas smierci (Polônia)
Først elske - siden dø (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: 2ª Guerra Mundial, Drama, Romance
Direção: Douglas Sirk
Roteiro: Orin Jannings
Produção: Robert Arthur
Música Original: Miklós Rózsa
Fotografia: Russell Metty
Edição: Ted J. Kent
Direção de Arte: Alexander Golitzen, Alfred Sweeney
Figurino: Bill Thomas
Maquiagem: Bud Westmore
Efeitos Sonoros: Leslie Carey, Vernon Kramer
Efeitos Especiais: Whitey McMahon, Clifford Stine
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1960

Elenco

John Gavin Ernst Graeber
Liselotte Pulver Elizabeth Kruse Graeber
Joke Mahoney Immerman
Don DeFore Hermann Boettcher
Keenan Wynn Reuter
Erich Maria Remarque Professor Pohlmann
Dieter Borsche Capt. Rahe
Barbara Rütting Guerrilheira
Thayer David Oscar Binding
Charles Régnier Joseph
Dorothea Wieck Sra. Lieser
Kurt Meisel Heini
Agnes Windeck Sra. Witte
Clancy Cooper Sauer
John Van Dreelen Policial
Klaus Kinski Tenente da Gestapo
Jim Hutton Hirschland
Alice Treff Sra. Langer
Bengt Lindström Steinbrenner
Wolf Harnisch Sgt. Muecke
Karl Ludwig Lindt Dr. Karl Fresenburg
Lisa Helwig Sra. Kleinert

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhores Efeitos Sonoros (Leslie I. Carey)

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Ouro (Douglas Sirk)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme a Promover a Paz entre os Povos

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Há dois anos, o soldado alemão Ernst Graeber não visita a família.  Nos últimos sete meses, ele esteve lutando na frente russa, onde as tropas nazistas vêm sofrendo enormes baixas e recuando cada vez mais.  É quando ele recebe a informação de que lhe foi concedida uma licença de três semanas para rever sua terra natal.

Antes de embarcar no trem que o levará à Alemanha, Graeber se despede de seus colegas de batalhão, sonhando com os dias em que vai desfrutar de uma confortável cama com lençóis limpos e de uma comidinha fresca em pratos de porcelana.

Ao chegar à Werden, sua cidade, ele a encontra semi-destruída.  No bairro de sua família, só se depara com destruição.  No local onde ficava a casa de seus pais, ele não vê uma única parede em pé.  Ernst começa, então, a procurar uma pista que o leve a eles.  Depois de passar pela Seção de Desaparecidos, Cruz Vermelha e Hospitais, ele se lembra de procurar o Dr. Kruse, um médico amigo da família.  Ao chegar à casa dele, encontra apenas sua filha Elizabeth.  Esta lhe diz que não sabe dos pais dele, assim como, desconhece o local para onde levaram seu pai há quatro meses.

Na rua, ele se depara com Oscar Binding, um antigo amigo do colégio que ocupa hoje um cargo de prestígio na Gestapo.  Este promete ajudá-lo a ter notícias de seus pais.  Os dias que se seguem são marcados por bombardeios diários da aviação aliada.  Ernst e Elizabeth voltam a se encontrar com freqüência até que resolvem se casar.  Uma vez casados, ficam juntos até a hora dele voltar para o front russo.  Na véspera de seu embarque, ele toma conhecimento de que seus pais acham-se vivos.

Já no front, recebe uma carta de Elizabeth informando-o que está grávida e que já localizou seus pais.  Quando a situação fica crítica, seu batalhão recebe ordens para bater em retirada.  Antes de partir, ele recebe ordens para fuzilar três guerrilheiros que se acham presos.  Rebelando-se contra seu superior, termina matando-o e, em seguida, soltando os prisioneiros.  Ao se afastar com a carta de Elizabeth em suas mãos, é assassinado por um dos homens que acabara de libertar.

imagem imagem imagem

Comentários

Adaptação de um livro de Erich Maria Remarque, que atua como o Professor Pohlmann, "Amar e Morrer" é um ótimo filme sobre a 2ª Guerra Mundial.  Realizado pelo cineasta Douglas Sirk, o filme procura mostrar o drama vivido por um jovem soldado alemão, tanto quando ele se encontra no front russo, quanto nas três semanas que ele passa em sua terra natal, a essa altura devastada pelos constantes bombardeios aéreos da aviação aliada, à procura de seus familiares e ao encontrar o amor na pessoa da filha de um antigo médico da família.

Ao contrário da maioria dos filmes de guerra, "Amar e Morrer" não apresenta ao espectador qualquer batalha entre as forças envolvidas.  Sirk procura explorar os dramas e tensões sofridos por jovens soldados, bem como, as atrocidades irracionais que são praticadas contra a humanidade no decorrer de uma guerra.

São vários os momentos marcantes, dos quais cito dois passados no front russo:

1 - Logo no início do filme, após ser obrigado a participar de um batalhão de fuzilamento contra uma meia dúzia de camponeses/guerrilheiros russos, um jovem soldado alemão não suporta o ato praticado e se suicida;

2 - Nas seqüências finais, contrariando as ordens recebidas para fuzilar um pequeno grupo de guerrilheiros, Ernst Graeber decide libertá-los e, ao dar as costas, é morto por um dos homens por ele libertado.

Além do ótimo trabalho realizado por Sirk, o filme apresenta, ainda, uma bela fotografia, uma adequada trilha sonora e boas atuações, com destaques para os trabalhos de Charles Régnier, Liselotte Pulver e John Gavin.

Enfim, "Amar e Morrer" segue a mesma linha pacifista apresentada pelo grande clássico de Lewis Milestone de 1930, "Sem Novidades No Front", filme também baseado num outro livro de Erich Maria Remarque.

CAA