Filmes por gênero

AMOR, PRELÚDIO DE MORTE (1956)

A kiss before dying
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Um beijo ao morrer (Portugal)
Giovani senza domani (Itália)
Un beso antes de morir (Espanha)
Ein Kuss vor dem Tode (Alemanha)
Et kys før døden (Dinamarca)
Suudelma ennen kuolemaa (Finlândia)
Halálcsók (Hungria)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Filme Noir, Suspense, Crime
Direção: Gerd Oswald
Roteiro: Lawrence Roman
Produção: Robert Jacks
Música Original: Lionel Newman
Fotografia: Lucien Ballard
Edição: George Gittens
Direção de Arte: Addison Hehr
Guarda-Roupa: Evelyn Carruth, Henry Helfman
Maquiagem: Louis Hippe
Efeitos Sonoros: Frank Webster, Buddy Myers
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1958

Elenco

Robert Wagner Bud Corliss
Jeffrey Hunter Gordon Grant
Virginia Leith Ellen Kingship
Joanne Woodward Dorothy Kingship
Mary Astor Sra. Corliss
George Macready Leo Kingship
Robert Quarry Dwight Powell
Howard Petrie Howard Chesser
Bill Walker Bill, o mordomo
Molly McCart Annabelle Koch
Marlene Felton Estudante de medicina
Jack Stoney Policial
Joe McGuinn Professor de Química
Mickey Martin Estudante
Robert Ivers Estudante na cena do crime

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

 Numa Universidade americana, Bud Corliss é um jovem psicopata de 25 anos, colega de turma de Dorothy Kingship, por quem se diz apaixonado.  Vindo de uma família pobre, na realidade ele só pensa no dinheiro da jovem, filha de Leo Kingship, um bilionário magnata da indústria do cobre.

Quando Dorothy lhe confessa que está grávida de dois meses e que o pai, com certeza, a deserdará por não admitir sexo fora do casamento, ele sente que seu plano está por um fio.  Por outro lado, feliz com a gravidez, a jovem sugere-lhe que se casem o mais rapidamente possível, pois está disposta a começar uma vida nova com ele, independente de herança e do que o pai venha a pensar ou a fazer.

Sabendo que ela tem uma irmã solteira, Bud começa a planejar uma forma de matar Dorothy, de modo que pareça suicídio, a fim de ficar livre para passar a investir na outra filha do Sr. Kingship.  Inicialmente, faz uma pesquisa sobre toxicologia na Biblioteca da Universidade e, em seguida, vai à Escola de Farmácia, onde consegue furtar, do Laboratório, o veneno pesquisado.

Ao se encontrar com Dorothy, na sala de aula, entrega-lhe uma folha de papel, com um pequeno trecho em espanhol, pedindo-lhe que o devolva traduzido, o que ela faz na hora.  Algum tempo depois, ao voltar a se encontrar com ela na Fonte do Campus, ele lhe entrega as cápsulas roubadas da Escola de Farmácia e faz com que ela lhe prometa tomá-las logo mais à noite, alegando que foram indicadas para proteger a gestação.

Certo de que ela morrerá envenenada naquela noite, ele despacha através do correio, endereçado à Ellen, irmã de Dorothy, o trecho por esta traduzido, o qual justificaria seu suicídio.  Na manhã seguinte, ele se apavora ao ver Dorothy chegar sadia para mais uma aula.  Diante do fracasso de sua tentativa para eliminá-la, ele corre até os Correios, na esperança de conseguir recuperar o bilhete postado.  Não o conseguindo, resta-lhe a alternativa de matar a jovem antes que ela retorne à sua casa.

Assim, ele a procura dizendo-lhe que resolveu atender ao seu pedido e que já acertou tudo para que se casem ainda naquele dia.  Marcam, então, um encontro no prédio onde funciona o Cartório de Licenças de Casamento.  A hora, propositalmente por ele escolhida, é aquela em que o cartório fecha para o almoço.  Assim, ao chegarem lá e encontrarem suas portas fechadas, ele lhe sugere que dêem um pulo no telhado do edifício, a fim de contemplarem uma das mais belas vistas da cidade.  Lá, após trocarem juras de amor e se beijarem, ele a empurra para a morte.

O bilhete recebido pelo correio e o laudo da autópsia, que indica o estado de gravidez, fazem com que a família aceite o suicídio como causa mortis e a polícia encerre o inquérito.  Ellen é a única a não aceitar tal hipótese.

Conforme planejado, Bud aproxima-se dela que, em pouco tempo, sente-se apaixonada por ele.  Quando ela recebe uma carta de Annabelle Koch, uma ex-colega da irmã, decide procurar Gordon Grant, um professor e detetive-auxiliar de Howard Chesser, chefe da Polícia local, o qual julga que há fatos novos que justifiquem a reabertura do processo.

Independentemente do trabalho de Gordon Grant, Ellen passa a procurar provas que a levem ao assassino de sua irmã.  Depois de algum tempo, chega ao nome de Dwight Powell e o procura.  Este confessa-lhe que saiu algumas vezes com Dorothy, mas que depois, ela passou a namorar um colega de turma.  Ainda segundo ele, o nome do rapaz ele o tem anotado em uma caderneta que guarda em seu quarto.  Quando ele vai pegar o tal nome, é assassinado por Bud, que seguira Ellen. Usando a mesma tática, Bud datilografa uma nota segundo a qual Dwight se suicidara por não suportar a culpa de ter morto Dorothy.

O namoro de Ellen evolui para uma festa de noivado, contando inclusive com a presença da mãe de Bud.  Casualmente, Gordon chega à mansão dos Kingship para dizer à Ellen que Dwight não era o assassino de sua irmã pois, no dia de sua morte, ele se achava na Cidade do México participando de um torneio de tênis.  Na ocasião, ele é apresentado a Bud e o reconhece como sendo um estudante que ele já havia visto antes em companhia de Dorothy.

Ao deixar a mansão, Gordon telefona para o chefe de polícia, comentando o fato, e termina por descobrir que tudo leva a crer que Bud foi o último namorado da jovem.  Retornando à mansão, é recebido pelo Sr. Kingship, o qual não aceita tal hipótese pois, se a mesma fosse verdade, com certeza Ellen saberia que o noivo conhecera sua irmã.  Ellen chega na ocasião e confirma que Bud não chegou a conhecer Dorothy.

No dia seguinte, Gordon retorna mais uma vez à mansão, agora com a certeza de que Bud é o responsável pelas mortes de Dorothy e Dwight.  Na ocasião, o Sr. Kingship recebe um telefonema de Howard Chesser, Chefe de Polícia, confirmando a notícia, o que o deixa preocupado, pois a filha saiu sozinha para mostrar a Bud as minas de cobre da família.  Os dois seguem imediatamente para lá, ao mesmo tempo em que tomam conhecimento que um reforço policial já se acha a caminho.

Depois de visitarem as minas, Ellen pergunta ao noivo se ele conheceu Dorothy.  Bud responde que não mas, logo a seguir, ele se trai ao se referir à Dorie, apelido só conhecido por poucas pessoas.  Reconhecendo que foi apanhado na mentira, ele parte para cima de Ellen com a intenção de matá-la.  Os dois lutam e, ao tentar jogá-la contra um caminhão da mina, o motorista consegue desviar o veículo da jovem, mas o atinge mortalmente.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado num livro de Ira Levin, "Amor, Prelúdio de Morte" não chega a ser um grande filme, mas com certeza agrada aos apaixonados pelo gênero.  Realizado pelo cineasta alemão, Gerd Oswald, o filme segue os passos de um jovem psicopata, disposto a matar quantas pessoas forem necessárias para atingir seu maior objetivo: casar-se com uma jovem herdeira de bilhões de dólares.

Oswald apresenta-nos uma direção com altos e baixos, não sendo ajudado pelo roteiro de Lawrence Roman, marcado por certas inconsistências.  A trama que se presta a um grande filme de suspense, teria resultado num clássico se colocada nas mãos do mestre Hitchcock.

Em seu elenco, o cineasta contou com os veteranos atores Mary Astor e George Macready, bem como, com os talentosos Joanne Woodward, Robert Wagner, Jeffrey Hunter e Virginia Leith, todos na faixa de 24 a 30 anos.

CAA