Filmes por gênero

AMOR, SUBLIME AMOR (1961)

West Side story
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Amor sem barreiras (Portugal)
Amor sin barreras (Argentina, México, Peru)
Вестсайдская история (Rússia)
Уестсайдска история (Bulgária)
Priča sa zapadne strane (Croácia)
West Side'i lugu (Estônia)
Poveste din cartierul de vest (Romênia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Crime, Romance, Musical
Direção: Robert Wise, Jerome Robbins
Roteiro: Ernest Lehman
Produção: Robert Wise
Design Produção: Boris Leven
Música Original: Leonard Bernstein
Direção Musical: Saul Chaplin, Johnny Green, Sid Ramin, Irwin Kostal
Coreografia: Jerome Robbins
Fotografia: Daniel L. Fapp
Edição: Thomas Stanford
Figurino: Irene Sharaff
Guarda-Roupa: Bert Henrikson
Maquiagem: Emile LaVigne
Efeitos Sonoros: Fred Lau, Murray Spivack, Vinton Vernon, Gilbert Marchant
Efeitos Visuais: Saul Bass, Linwood G. Dunn
Nota: 9.6
Filme Assistido em: 1962

Elenco

Natalie Wood Maria
Richard Beymer Tony
Russ Tamblyn Riff
Rita Moreno Anita
George Chakiris Bernardo
Simon Oakland Tenente Schrank
Ned Glass Doc
William Bramley Krupke
Tucker Smith Ice
Eliot Feld Baby John
Bert Michaels Snowboy
David Bean Tiger
Robert Banas Joyboy
Anthony Teague Big Deal
Tommy Abbott Gee-Tar
Susan Oakes Anybodys
Gina Trikonis Graziella, garota de Riff
Carole D'Andrea Velma, garota de Ice
José de Vega Chino
Jay Norman Pepe
Gus Trikonis Indio
Eddie Verso Juano
Jaime Rogers Loco
Larry Roquemore Rocco
Yvonne Wilder Consuelo
Suzie Kaye Rosalia
Joanne Miya Francisca
Lou Ruggiero Policial
Robert E. Thompson Luis
Nick Navarro Toro
Andre Tayir Chile

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (Robert Wise, Jerome Robbins)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (George Chakiris)

Oscar de Melhor Fotografia a Cores (Robert Wise )

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Rita Moreno)

Oscar de Melhor Filme (Robert Wise )

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Boris Leven, Victor A. Gangelin)

Oscar de Melhor Figurino (Irene Sharaff)

Oscar de Melhores Efeitos Sonoros (Fred Hynes, Gordon Sawyer)

Oscar de Melhor Edição (Thomas Stanford)

Oscar de Melhor Trilha Sonora de um Musical (Saul Chaplin, Johnny Green, Sid Ramin, Irwin Kostal )

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Musical ou Comédia

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (George Chakiris)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Rita Moreno)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Robert Wise, Jerome Robbins)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Musical Americano (Ernest Lehman )

Prêmios Sant Jordi de Barcelona

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Robert Wise, Jerome Robbins)

Prêmios Grammy, EUA

Grammy de Melhor Album da Trilha Sonora de um Filme (Saul Chaplin, Johnny Green, Sid Ramin, Irwin Kostal )

Grammy de Melhor Performance de Jazz de um Grande Grupo (Stan Kenton )

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Musical

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante (Rita Moreno)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Fotografia a Cores (Daniel L. Fapp)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Ernest Lehman)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Robert Wise e Jerome Robbins)

Prêmio de Melhor Ator em um Musical ou Comédia (Richard Beymer)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Robert Wise, Jerome Robbins)

Prêmios Grammy, EUA

Grammy de Melhor Album do Ano (Didier Deutsch, Mark Betts, Bill Ivie, Natalie Wood, Richard Beymer, Rita Moreno, George Chakiris)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante (George Chakiris)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Trilha Sonora (Saul Chaplin, Johnny Green, Sid Ramin, Irwin Kostal)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na região favelada de Nova York, duas gangues de adolescentes disputam o mesmo espaço público: os Jets, formados na maior parte por descendentes de italianos, cujo líder chama-se Riff, e os Sharks, formados por imigrantes porto-riquenhos, os quais têm por líder, Bernardo.

Normalmente em minoria, os Sharks vêem-se obrigados a se retirarem toda vez que se deparam com seus rivais.  Decidido a reverter essa situação, Bernardo consegue reunir um maior número de integrantes, conseguindo, pela primeira vez, fazer com que os Jets batam em retirada.

Ao apanharem Baby John, da gangue dos Jets, grafitando uma parede com mensagens desabonadoras, os Sharks batem no jovem adversário e o põem para correr.  Em um novo confronto entre as duas gangues, o tenente Schrank e o policial Krupke intervêm, ocasião em que pedem que os dois grupos se entendam.  Tomando conhecimento do incidente com Baby John quando grafitava o muro, Schrank lhe pede que aponte o responsável pela agressão sofrida.  Com receio de sofrer uma retaliação, o jovem não entrega ninguém.  Quando os Sharks se retiram, o tenente insiste na necessidade de entendimento, sob pena dele deixar apodrecer na cadeia o primeiro que for apanhado envolvido numa briga.

Riff reúne-se com seu grupo para falar da necessidade de expulsarem os Sharks da região, da mesma forma que fizeram no passado com os Esmeraldas e os Gaviões.  Em seguida, procura seu maior amigo, Tony, com quem no passado fundou os Jets.  Tony afastou-se da gangue e agora trabalha no Bar do Doc.  Na ocasião, comenta as dificuldades que vem tendo com a presença dos Sharks, e o convida para um baile logo mais à noite.

No baile, Bernardo acha-se com sua irmã, Maria, o namorado dela, Chino, sua própria namorada, Anita, quando chegam Riff e sua gangue, bem como, Tony.  Quando Maria e Tony se encontram, eles se sentem mutuamente atraídos, a ponto de Tony conseguir roubar um beijo da jovem.  Ao ver a irmã com um amigo de Riff, Bernardo faz com que ela se retire do baile e volte pra casa.  Horas mais tarde, Tony descobre onde Maria mora e chama por ela.  Escondida da família, ela sai até a escada externa de incêndio para trocar com ele juras de amor eterno.

As duas gangues reúnem-se no Bar do Doc para acertarem as regras de uma rixa a ocorrer na noite seguinte e que definirá qual delas continuará dominando a região.  Tony chega ao local e diz que tal disputa não deve incluir pedras, tijolos ou qualquer tipo de arma, sugerindo que a mesma se dê através da luta limpa entre os dois melhores lutadores de cada grupo, sugestão aceita por todos.  Depois da reunião, Tony procura Maria no Ateliê de Madame Lucia, onde ela trabalha.  Ao saber da luta marcada para a noite seguinte, ela implora ao namorado que a evite a qualquer custo.  Ele promete-lhe fazer de tudo para evitá-la.

No local e na hora marcados, as duas gangues chegam para o tão esperado confronto definitivo.  Inicialmente estabelecido que ele se daria entre Ice e Bernardo, a chegada de Tony procurando evitá-lo irrita Bernardo, que o agride.  Formado o tumulto, Riff puxa um canivete e parte pra cima de Bernardo, que se defende com o mesmo tipo de arma.  A luta que se trava entre os dois é extremamente equilibrada.  Entretanto, num certo momento, ao partir para cima de Bernardo no que espera ser o golpe definitivo, Riff descuida-se de sua defesa, sendo mortalmente ferido pelo seu adversário.  Ao ver seu melhor amigo caído, Tony esquece a promessa feita à Maria e, num impulso, apanha o canivete de Riff e o crava no peito de Bernardo.

Chino corre até a casa de Maria para informá-la que seu irmão acabou de ser morto por Tony.  Ela não acredita em suas palavras.  Logo a seguir, Tony a procura e lhe conta o ocorrido.  Segundo ele, quando a luta teve início, fez de tudo para deter os dois contendores.  Entretanto, ao ver Bernardo matar Riff, embora sem ter tido a intenção de fazê-lo, ele perdeu a cabeça e, num i,pulso, vingou a morte daquele que considerava um irmão.  Acreditando na sinceridade de Tony, ela o perdoa.  Na cama, os dois fazem planos para fugirem e recomeçarem uma vida nova bem longe de Nova York.

Ao tomar conhecimento dos planos de Maria, Anita discute com a amiga, por não aceitar a idéia dela se entregar a alguém que matou seu irmão.  Quando o tenente Schrank bate à sua porta, Maria pede à Anita para avisar Tony, no Bar do Doc, sobre o fato do policial tê-la procurado. Schrank  lhe pergunta sobre o rapaz com quem ela dançou no baile e que gerou um atrito junto a Bernardo.  Para não criar problemas para Tony, ela lhe responde que foi um tal de José.

Não querendo ver a amiga unir-se ao responsável pela morte de Bernardo, ao chegar ao Bar, Anita pede que avisem Tony que Maria foi assassinada pelo seu antigo e ciumento namorado, Chino.  Doc vai ao encontro de Tony e lhe fala sobre o recado deixado por Anita.  Desesperado pela suposta morte de Maria, Tony sai correndo à procura de Chino.  Em sua procura, ele se defronta com Maria.  Felizes, os dois se abraçam exatamente no instante em que Chino lhe dá um tiro pelas costas.  Agonizante, Tony morre nos braços de sua amada.

imagem imagem imagem imagem imagem imagem

Comentários

"Amor, Sublime Amor" é, sem dúvida, o melhor Musical dos anos 60.  Ganhador de nada menos que 10 Oscars, esse excelente filme apresenta uma pungente crítica social, ao revelar os muitos preconceitos da sociedade americana em relação aos imigrantes.

A trilha sonora coreografada por Jerome Robbins resultou num clássico.  Aliás, o trabalho de Jerome Robbins foi tão importante para o sucesso do filme, que lhe foi dado o status de co-diretor, muito embora a maior parte da direção tradicional tenha ficado a cargo de Robert Wise.

As canções são excelentes e carregam as emoções dos personagens.  As coreografias das danças e balé são sublimes.  Os números musicais cantados pelos atores principais são dublados:  Jimmy Bryant foi responsável pela dublagem de Richard Beymer, enquanto Marni Nixon pela de Natalie Wood.

Richard Beymer tem uma boa atuação nas seqüências musicais, mas peca mais de uma vez nos momentos dramáticos.  Já Natalie Wood tem uma presença forte, embora não apresente um tipo físico que convença ser uma porto-riquenha.  Os atores coadjuvantes foram, na maioria dos casos, selecionados por suas qualidades como bailarinos e não como atores dramáticos.

O interessante nesse filme é que a violência decorrente dos conflitos entre os dois grupos rivais, resultando em mortes, tentativa de estupro e preconceitos, é apresentada de forma estilizada através da harmonia das danças e das letras das canções.

CAA