Filmes por gênero

ASSIM ESTAVA ESCRITO (1952)

The bad and the beautiful
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Cativos do Mal (Portugal)
Les ensorcelés (França, Bélgica)
Cautivos del mal (Espanha, Argentina)
Il bruto e la bella (Itália)
Stadt der illusionen (Alemanha, Austria)
Illusionernas stad (Suécia)
Klatergoud (Holanda)
A szörnyeteg és a szépség (Hungria)
Piekny i zly (Polônia)
Злые и красивые (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Vincente Minnelli
Roteiro: Charles Schnee
Produção: John Houseman
Música Original: David Raksin
Coreografia: Alex Romero
Fotografia: Robert Surtees
Edição: Conrad A. Nervig
Direção de Arte: Cedric Gibbons, Edward C. Carfagno
Figurino: Helen Rose
Maquiagem: William Tuttle
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer
Efeitos Especiais: Warren Newcombe, A. Arnold Gillespie
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1953

Elenco

Lana Turner Georgia Lorrison
Kirk Douglas Jonathan Shields
Walter Pidgeon Harry Pebbel
Dick Powell James Lee Bartlow
Barry Sullivan Fred Amiel
Gloria Grahame Rosemary Bartlow
Gilbert Roland Victor 'Gaucho' Ribera
Leo G. Carroll Henry Whitfield
Vanessa Brown Kay Amiel
Paul Stewart Syd Murphy
Elaine Stewart Lila
Sammy White Gus
Ivan Triesault Von Ellstein
Stanley Andrews Xerife
Robert Burton McDill
Ben Astar Joe
Bess Flowers Amiga de Joe
Madge Blake Sra. Rosser
Steve Forrest Líder
Pat O'Malley Homem do lado de fora do Clube
William Tannen Repórter
Sarah Spencer Repórter
John Bishop Ferraday
Barbara Billingsley Evelyn Lucien
Hadda Brooks Pianista

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Gloria Grahame)

Oscar de Melhor Roteiro (Charles Schnee )

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Robert Surtees)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Cedric Gibbons, Edward Carfagno, Edwin Willis, F. Keogh Gleason)

Oscar de Melhor Figurino em Branco e Preto (Helen Rose)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (Kirk Douglas)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Gilbert Roland)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Gloria Grahame)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Vincente Minnelli)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Vincente Minnelli)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Charles Schnee)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

O filme relata a ascensão e queda de um poderoso e tirânico magnata de Hollywood por meio de depoimentos de pessoas que trabalharam com ele.  Assim, um diretor, Fred Amiel, uma atriz, Georgia Lorrison e um roteirista,  James Lee Bartlow explicam as razões pelas quais não desejam trabalhar nunca mais com o produtor Jonathan Shields.

O espectador vai conhecendo a personalidade de Shields à medida em que o filme transcorre.  O diretor, a atriz e o roteirista estão reunidos no escritório do assistente de Shields, Harry Pebbel, para discutir como ajudar Shields a dar a volta por cima depois de ter produzido três fracassos em seguida e ter perdido todo seu dinheiro e apoio dos investidores.

Cada um dos três tem uma fraqueza importante e se beneficiou da associação com Shields, embora eles não notem isso naquele momento.  Só depois que terminam suas histórias e Pebbel esclarece alguns pontos, eles começam a perceber o impacto que Shields foi para suas vidas.

O primeiro flashback é do diretor Amiel, um sujeito tão tímido que não consegue sequer dar ordens a si próprio.  Shields o encoraja e ambos trabalham juntos num estúdio pobre fazendo produções com orçamentos muito baixos.  Um desses filmes atrai a atenção do dono do estúdio, que quer fazer dele um projeto ambicioso, capaz de conseguir sucesso nas bilheterias.  Shields contrata outro diretor e fica com todo o crédito pelo trabalho de Amiel.

O segundo flashback é da alcoólatra Georgia, que Shields afasta do vício e a conduz ao estrelato. Mas ela se apaixona por ele e, como não é correspondida, acaba se desiludindo.

O último flashback é do roteirista Bartlow.  Sua fraqueza é a cegueira sobre a conduta de sua linda mulher, Rosemary Bartlow.

Ironicamente, os três devem seu sucesso a Shields, que conseguiu tirar o melhor deles.  Apesar do ódio pelo homem, todos ainda estão muito ligados a ele.

imagem

Comentários

"Assim Estava Escrito" é um dos grandes filmes de Hollywood sobre a produção de filmes e sobre o custo de se colocar a vida profissional antes das relações pessoais.  A maioria dos filmes que trataram desse tema, tais como, "Nasce uma Estrela" de George Cukor, "Crepúsculo dos Deuses" de Billy Wilder e "O Jogador" de Robert Altman, o fizeram procurando mostrar o lado negativo da indústria cinematográfica e das pessoas que nela trabalham.

Ao contrário deles, "Assim Estava Escrito" procura mostrar um lado positivo e que há uma ambigüidade ao se fazer a escolha entre as relações pessoais e profissionais.

Kirk Douglas tem uma atuação extremamente forte como o poderoso produtor.  Lana Turner está linda em seu papel, mas a força de Douglas rouba quase todas as cenas dela.  O elenco de suporte está muito bem com um grupo de atores apresentando ótimas atuações.

CAA