Filmes por gênero

BEIJO 2348-72 (1990)

imagem

Ficha Técnica

Pais: Brasil
Gênero: Comédia
Direção: Walter Rogério
Roteiro: Walter Rogério, Mário Prata, José Rubens Chachá
Produção: Wagner Carvalho, Zita Carvalhosa, Ivan Novaes
Design Produção: Beto Manieri, Guto Lacaz
Música Original: Dino Vicente
Coreografia: Lala Deheinzelin
Fotografia: Adrian Cooper
Edição: Danilo Tadeu
Figurino: Beto Manieri, Tereza Berlinck
Maquiagem: Plínio Peloso
Efeitos Sonoros: José Luiz Sasso
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1994

Elenco

Chiquinho Brandão Lourival
Maitê Proença Catarina, operária
Fernanda Torres Claudete, colega na tecelagem
Antônio Fagundes Dr. Paulo, advogado
Ary Fontoura Avarino, chefe
José Rubens Chachá Pedrão
Walmor Chagas Juiz do Tribunal Superior do Trabalho
Sérgio Mamberti Juiz
Cláudio Mamberti Advogado do Sindicato
Míriam Pires Funcionária da tecelagem
Iara Jamra Carmen
Gianfrancesco Guarnieri Dono do parque de diversões
Miguel Falabella Zecão
Vick Militello Madame
Eloísa Mafalda Proprietária da Pensão
Joel Barcellos Arquivista
Genival Lacerda Cantor de Forró
Henrique Lisboa Taubaté
Ankito
Walter Breda .
Ary França .

Prêmios

Festival de Cinema de Brasília, DF

Troféu Candango de Melhor Ator (Chiquinho Brandão)

Troféu Candango de Melhor Filme (Walter Rogério)

Troféu Candango de Melhor Ator Coadjuvante (Joel Barcellos)

Festival de Gramado, Brasil

Kikito de Ouro de Melhor Fotografia (Adrian Cooper)

Kikito de Ouro de Melhor Edição (Danilo Tadeu )

Prêmio do Júri Especial (Cláudio Mamberti)

Indicações

Festival de Gramado, Brasil

Kikito de Ouro de Melhor Filme (Walter Rogério)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Demitido por justa causa de uma tecelagem, devido a um beijo, operário reclama à Justiça de Trabalho, onde obtém ganho de causa, recebendo uma quantia irrisória.

Num forró no Brás, São Paulo, Lourival conhece Claudete, tecelã numa fábrica do bairro, que lhe oferece emprego no local onde trabalha. No dia seguinte, encontram-se no ônibus que vai até a tecelagem e Claudete não consegue disfarçar seu interesse pelo rapaz.

Lourival é contratado pela empresa para ser carregador de fios, em março de 1972. Catarina, companheira de Claudete, é a musa de Avarino, supervisor da tecelagem. Lourival começa a flertar com Catarina, mesmo sabendo que seu colega Pedrão e Avarino estão interessados na mulher que é casada.

Certo dia, Catarina deixa cair no chão um pedaço de metal e Lourival abaixa-se para pegar. Avarino, que faz sua rotineira inspeção, vê os dois abaixados atrás de uma máquina e deduz que estão se beijando.

Catarina e Lourival são demitidos por justa causa. O sindicato aciona a empresa, questionando se um beijo deve ser considerado justa causa. O sindicato perde o processo.

Lourival encontra Pedrão num bar e os dois conversam sobre a vida. Pedrão conta ao amigo que Claudete casou-se com Avarino e está muito bem de vida. Lourival conta que o sindicato recorreu da decisão do juiz. Lourival ganha a causa.

Dr. Paulo, advogado da empresa, entra com recurso no Tribunal Superior do Trabalho. Enquanto isso, Lourival passa a viver de bicos: cafetina, veste-se de gorila num parque de diversões e trabalha como catador de entulho pelas ruas de São Paulo.

Certo dia, por acaso, Lourival passa na frente da casa de Claudete. Os dois se encontram e acabam fazendo sexo. Finalmente, o Tribunal Superior do Trabalho decide que o beijo não é motivo para justa causa nem degrada moralmente a empresa, o que dá a vitória do caso à Lourival. Em 1976 o processo é definitivamente arquivado.

imagem

Comentários

"Beijo 2348/72" é um bom filme nacional.  Realizado pelo diretor Walter Rogério, ele narra o drama vivido por um operário, ao ser despedido por justa causa da Fábrica onde trabalhava. Na realidade, ele foi inspirado em um fato real, onde um funcionário de uma fábrica teria dado um beijo numa colega, o que lhe causou um processo, cujo número foi escolhido para o título do filme.

Walter Rogério consegue imprimir um bom ritmo ao filme, ao mesmo tempo em que faz críticas à burocracia reinante no Poder Judiciário.

Além do bom trabalho de direção, "Beijo 2348/72" apresenta ainda a bela fotografia de Adrian Cooper e ótimas interpretações do elenco principal, com destaque para a soberba atuação de Chiquinho Brandão.

CAA