Filmes por gênero

AS AMIGAS (1955)

Le amiche
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Femmes entre elles (França, Bélgica)
The Girlfriends (Estados Unidos, Reino Unido)
Las amigas (Espanha, Argentina)
Die Freundinnen (Alemanha)
Väninnorna (Suécia)
Przyjaciólki (Polônia)
Barátnők (Hungria)
Veninderne (Dinamarca)
Pais: Itália
Gênero: Drama, Romance
Direção: Michelangelo Antonioni
Roteiro: Michelangelo Antonioni, Suso Cecchi d'Amico, Alba de Cespedes
Produção: Giovanni Addessi
Design Produção: Gianni Polidori
Música Original: Giovanni Fusco
Fotografia: Gianni Di Venanzo
Edição: Eraldo Da Roma
Figurino: Enzo Bulgarelli
Maquiagem: Giovanni Donelli
Efeitos Sonoros: Ennio Sensi, Emilio Rosa, Giulio Canavero
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1965

Elenco

Eleonora Rossi Drago Clelia
Gabriele Ferzetti Lorenzo
Franco Fabrizi Cesare Pedoni
Valentina Cortese Nene
Yvonne Furneaux Momina De Stefani
Madeleine Fischer Rosetta Savoni
Anna Maria Pancani Mariella
Luciano Volpato Tony
Maria Gambarelli Empregadora de Clelia
Ettore Manni Carlo, assistente de Cesare
Marcella Ferri .
Alessandro Fersen .

Prêmios

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Prata de Melhor Direção (Michelangelo Antonioni)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Direção (Michelangelo Antonioni)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Fotografia (Gianni Di Venanzo)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Atriz Coadjuvante (Valentina Cortese)

Prêmios Cálices de Ouro, Itália

Prêmio Cálice de Ouro de Melhor Direção (Michelangelo Antonioni)

Prêmio Cálice de Ouro de Melhor Atriz (Valentina Cortese)

Indicações

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Michelangelo Antonioni)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Clelia é uma bela jovem que retorna à Torino, sua cidade natal, a fim de dirigir uma Filial da casa de alta costura, Ferreri, de Roma.  Depois de uma infância pobre, foi para a capital italiana, onde fez carreira como modelo.  Seu retorno representa, portanto, a realização de um grande sonho no campo profissional.

Em sua primeira noite, num luxuoso hotel da cidade, é procurada por uma das arrumadeiras para, através do apartamento em que se acha instalada, tentar acessar o vizinho, ocupado por outra jovem, Rosetta Savoni.  Dessa forma, as duas descobrem que Rosetta havia tentado o suicídio, ao ingerir uma overdose de sonífero.  Imediatamente, Clelia toma todas as providências para que a jovem seja removida para um hospital.

Logo a seguir, chega ao hotel, a Sra. Momina De Stefani, uma rica socialite, que veio se encontrar com Rosetta, ocasião em que conhece Clelia.  As duas seguem juntas até o hospital.  Assim, de uma hora para outra, Clelia vê-se no meio de um grupo de mulheres da sociedade torinense, todas amigas de Momina, entre elas Mariella e Nene.  Mariella é uma jovem sem maiores responsabilidades, alegre, interessada apenas em se divertir.  Já Nene, é uma talentosa ceramista, casada há pouco com um pintor fracassado, Lorenzo, cujo último trabalho foi o de retratar Rosetta.

Ao sair do hospital, ela vai até o novo ateliê, onde encontra atrasadas as obras de reforma de suas instalações.  Pouco depois, descobre que Momina é uma mulher superficial, casada com um homem bastante rico, e que tem como amante, Cesare Pedoni, o arquiteto responsável pelas obras do seu futuro ateliê.

Quando Rosetta recebe alta, todo o grupo decide fazer um passeio até a praia.  Convidada, Clelia os acompanha.  Uma vez lá, Momina tenta humilhar Rosetta e, logo depois, encontra seu amante aos beijos com Mariella.  Diante de um ambiente tão pesado, Clelia, alegando que ainda tem que passar pelas obras do ateliê, retorna à Torino de trem, levando Rosetta consigo, a quem convida para trabalhar com ela.  Na conversa, fica claro que a tentativa de suicídio tinha um homem por trás.  É que Rosetta havia se apaixonado por Lorenzo, quando posou para ele.

No ateliê, Clelia encontra-se com Carlo, assistente de Cesare, ocasião em que os dois se sentem atraídos, um pelo outro, e terminam se beijando.  Atraente, mas pobre, mora na periferia da cidade e não freqüenta as altas rodas da sociedade local.

Por outro lado, ao chegar em casa, Nene recebe um telefonema convidando-a para expor suas cerâmicas em Nova York, o que a deixa muito feliz, embora não saiba qual vai ser a reação do marido.

Chega o dia da inauguração do ateliê, com a presença da gerente da Casa Ferreri, de Roma.  Na ocasião, por ter descoberto o caso entre o marido e Rosetta, ao se encontrar com esta, Nene lhe aconselha a investir em Lorenzo, já que decidiu partir para os Estados Unidos.

O desfile inaugural é um sucesso e, ao final do mesmo, um grupo sai para festejar num restaurante.  À entrada do mesmo, Rosetta encontra-se com Lorenzo e lhe fala sobre a decisão de Nene de ir para Nova York.  Este não gosta da notícia e, uma vez lá dentro, termina brigando com todos e saindo.  Rosetta o acompanha, mas ele acaba seu relacionamento com ela, ao dizer-lhe que não precisa de ninguém.  Desesperada, a jovem se joga nas águas do Rio Pó, suicidando-se.

Clelia encontra-se no ateliê quando toma conhecimento da morte da amiga.  Descontrolada, na frente de clientes e da gerente, ataca Momina, chamando-a de assassina e responsabilizando-a pelo suicídio de Rosetta.  Enquanto isso, Lorenzo pede à Nene que não o deixe por Nova York, no que é atendido.

No hotel, depois do tumulto que provocara no ateliê, Clelia tem certeza que não vai poder continuar a trabalhar para as Casas Ferreri.  A gerente a procura para confirmar que não há mais condições dela ficar à frente do ateliê, mas que seu emprego, na matriz, em Roma, está garantido se ela se dispuser a viajar imediatamente para lá.  Agradecida, responde que vai preparar as malas para pegar o trem das 22 horas.

Antes de partir, encontra-se com Carlo, a quem fala da decisão tomada, a qual, segundo ela, levou em consideração a certeza de que os dois não seriam felizes se ficassem juntos.

imagem imagem imagem

Comentários

Embora não esteja entre as melhores obras de Michelangelo Antonioni, "As Amigas" ainda é um ótimo filme.  Dentro da linha do neo-realismo italiano, mais uma vez o cineasta aborda questões sociais da Itália da época, ao dirigir seu foco para um grupo de mulheres da sociedade torinense.

Partindo de um roteiro muito bem estruturado, Antonioni conduz com maestria seus personagens, no que é ajudado por grandes atuações do elenco e pela bela fotografia em preto-e-branco de Gianni Di Venanzo.  A trama aborda problemas da evolução das mulheres na sociedade, como o conflito entre a carreira e o amor, do machismo, da futilidade de algumas mulheres.

No elenco, Yvonne Furneaux está magnífica como uma mulher superficial, preocupada apenas com sua aparência e se mostrando às vezes até cruel com pessoas de sua relação.  Eleonora Rossi Drago apresenta-se como a elegante e sensível Clelia, sempre preocupada com os outros, principalmente com a frágil Rosetta, encontra satisfação em seu trabalho.  Valentina Cortese, a mais consagrada atriz do elenco, está inesquecível no papel de Nene, uma mulher pronta para perdoar e se sacrificar em benefício do homem que ama.  Madeleine Fischer, em seu 2º filme, apresenta um bom trabalho como a jovem Rosetta.  Entre os atores, o maior destaque fica com Gabriele Ferzetti, no papel do inconstante Lorenzo.

CAA