Filmes por gênero

A GRANDE ILUSÃO (1949)

All the king's men
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A corrupção do poder (Portugal)
Les fous du roi (França)
Tutti gli uomini del re (Itália)
El político (Espanha)
Decepción (Argentina, Chile, México)
Der Mann, der herrschen wollte (Austria, Alemanha)
Alla kungens män (Suécia)
Alle kongens mænd (Dinamarca)
Вся королевская рать (Rússia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Robert Rossen
Roteiro: Robert Rossen
Produção: Robert Rossen
Música Original: Louis Gruenberg
Direção Musical: Morris Stoloff
Fotografia: Burnett Guffey
Edição: Al Clark, Robert Parrish
Direção de Arte: Sturges Carne
Figurino: Jean Louis
Guarda-Roupa: Joan Joseff
Maquiagem: Clay Campbell
Efeitos Sonoros: Frank Goodwin
Nota: 9.0
Filme Assistido em: 1963

Elenco

Broderick Crawford Willie Stark
John Ireland Jack Burden
Joanne Dru Anne Stanton
John Derek Tom Stark
Mercedes McCambridge Sadie Burke
Shepperd Strudwick Adam Stanton
Ralph Dumke Tiny Duffy
Anne Seymour Lucy Stark
Katherine Warren Sra. Burden
Raymond Greenleaf Juiz Monty Stanton
Walter Burke Sugar Boy
Will Wright Dolph Pillsbury
Grandon Rhodes Floyd McEvoy
Frank Wilcox Relações Públicas
Helene Stanley Helene Hale
A. C. Tillman Xerife
Pat O'Malley Político
King Donovan Repórter
William Cottrell Reporter
Frank McClure Médico
Marshall Bradford Senador
Wheaton Chambers Senador
William E. Green Senador
Judd Holdren Político
Robert Karnes Legislador

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Ator (Broderick Crawford)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Mercedes McCambridge)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Ator (Broderick Crawford)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Direção (Robert Rossen)

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Broderick Crawford)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Mercedes McCambridge)

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Mercedes McCambridge)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Robert Rossen)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Robert Rossen )

Prêmio Robert Meltzer (Robert Rossen)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção (Robert Rossen)

Oscar de Melhor Edição (Robert Parrish, Al Clark)

Oscar de Melhor Roteiro (Robert Rossen)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (John Ireland)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Robert Rossen)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (George Duning)

Prêmio de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Burnett Guffey )

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Mercedes McCambridge)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na Louisiana, Willie Stark é um idealista que vive a fazer campanha contra os políticos que dominam o Estado, por considerá-los corruptos e criminosos.  Seu sonho é ser governador para dar um basta em tanta sujeira.  Na capital, trabalhando para um jornal, Jack Burden é enviado ao Condado de Kanoma para contatar Willie e escrever uma série de artigos sobre ele.

Ao chegar lá, procurando pelo idealista, Burden é hostilizado pelos manda-chuvas locais que, para intimidá-lo, tomam logo sua máquina fotográfica.  Mesmo assim, ele se encontra com Willie e com sua mulher, Lucy, conseguindo obter as informações de que precisa para escrever a matéria.  Ao deixar Kanoma, Burden acha-se convicto de que realmente se trata de um homem honesto, corajoso e com uma vontade de ferro.

Ao terminar sua tarefa, o jornalista sai de férias e viaja até Ancoradouro Burden, a fim de visitar sua mãe e os Stanton, seus vizinhos.  Anne Stanton, sua namorada, é sobrinha do respeitado juiz Monty e irmã do médico, Adam.

Ao se candidatar a governador, Willie não consegue derrotar os homens que tomaram de assalto a máquina do Estado.  Decide, então, concluir seu curso de direito e passar a ser bastante atuante na área, defendendo principalmente os injustiçados da zona rural.  Paralelamente, não se descuida de sua luta para acabar com a prática do suborno em seu Estado.  Com seus discursos inflamados, vai proporcionando uma verdadeira revolta entre os mais desfavorecidos.

Burden vai mais uma vez à Kanoma, a fim de acompanhar de perto a trajetória política de Willie.  Numa nova disputa eleitoral, Harrison, candidato dos manda-chuvas locais, observa que o prestígio de Willie está fazendo com seu opositor, McMurphy, comece a crescer nas pesquisas.  Como forma de reverter esse quadro, manobra para que o ainda ingênuo Willie se candidate, dividindo os votos de seus opositores.  A estratégia dá certo e Harrison é eleito.  Persistente, o idealista não desiste e se prepara para o próximo pleito, quatro anos depois.

Ao chegar a época da nova campanha, ele se apresenta como o único candidato com possibilidades de desmascarar os manda-chuvas, gasta muito dinheiro e utiliza métodos que sempre combatera.  Surgem boatos de acordos com todo tipo de gente.  Burden é contratado para trabalhar pra ele.  Nesse trabalho, o jornalista o leva a Ancoradouro Burden, onde consegue o apoio político dos Stanton.  Willie finalmente é eleito governador da Louisiana e o juiz Monty Stanton é nomeado promotor público.

Construindo estradas, escolas, barragens, cada vez mais conquista popularidade, principalmente nas zonas rurais do Estado.  Seus métodos, entretanto, são piores do que aqueles que tanto combatera.  Chantagem e suborno passam a ser corriqueiros.  Anne, namorada de Burden, torna-se sua amante.

Quando um de seus colaboradores mete a mão nos fundos de pensão, ele abafa o episódio, o que faz com que o juiz Monty peça demissão da promotoria e denuncie o escândalo à imprensa.  Com base num pequeno deslize cometido por Monty em sua juventude, Willie tenta chantageá-lo, resultando no suicídio do juiz.

Na mesma época, o filho do governador sofre um terrível acidente ao dirigir embriagado.  Como resultado, fica preso numa cadeira de rodas, e uma jovem, que se encontrava no veículo, morre.  O pai da jovem procura Willie e este tenta suborná-lo.  Não se dobrando à proposta recebida, o senhor denuncia a tentativa de suborno e termina aparecendo morto.

Esses dois escândalos levam o governador a enfrentar um processo de impeachment.  No dia da decisão de seu julgamento, o Congresso é cercado por multidões vindas principalmente do meio rural, as quais passam a pressionar os congressistas a absolverem o governador.  Assim, Willie é considerado inocente.

Na saída do Senado, entretanto, Adam Stanton o mata em sinal de vingança pelo suicídio de seu tio.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado na obra de Robert Penn Warren, "A Grande Ilusão" é mais um excelente filme da época de ouro de Hollywood.  Escrito, dirigido e produzido pelo cineasta Robert Rossen, esse drama gira em torno da corrupção na política, tema que não envelhece.

Rossen realiza um excepcional trabalho, embora não atinja a quase perfeição de Orson Welles em "Cidadão Kane", de 1941, ou de Frank Capra em "A Mulher Faz o Homem", de 1939.  Narrada num estilo semi-documental, a história procura mostrar como pessoas bem intencionadas podem se tornar cruéis e corruptas após sentirem o gosto do poder.

"A Grande Ilusão" nos apresenta uma grande mensagem, diálogos inteligentes, um ritmo perfeito, um roteiro imprevisível e um final surpreendente.  Adicionando-se a tudo isso, a bela fotografia em preto-e-branco de Burnett Guffey e magníficas atuações de seus principais atores, só se pode obter, como resultado final, um filme fascinante do início ao fim.

Broderick Crawford e Mercedes McCambridge estão ótimos em seus respectivos papéis.  Embora tenha sido uma atriz excepcional, tendo inclusive ganho o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por sua participação neste filme, chama-me a atenção o fato de McCambridge nunca ter atingido o estrelato.

CAA